Ceará é o 8º Estado em mortes de criança e adolescente por afogamento - Cidade - Diario do Nordeste

Pesquisa

Ceará é o 8º Estado em mortes de criança e adolescente por afogamento

01.02.2012

O estudo revelou que, aproximadamente, 45% das mortes por afogamento de crianças e adolescentes aconteceram em rios, mares e lagos. Já as piscinas foram os locais onde foram contabilizados 7% dos óbitos
O estudo revelou que, aproximadamente, 45% das mortes por afogamento de crianças e adolescentes aconteceram em rios, mares e lagos. Já as piscinas foram os locais onde foram contabilizados 7% dos óbitos
JOSÉ LEOMAR
O Ceará está em oitavo lugar no ranking dos Estados que possuem mais mortes de crianças e adolescentes por afogamento. A pesquisa, realizada pela ONG Criança Segura, revela que o afogamento simboliza 28% dos óbitos por acidente no País, perdendo apenas para acidentes de trânsito. Os dados do estudo têm como base os números de mortalidade mais atuais divulgados pelo Ministério da Saúde, no ano de 2009.

A ONG declara que a pesquisa tem como objetivo compreender melhor os números, alertar a população e incentivar a adoção de políticas públicas voltadas à prevenção. No total, foram registradas 1.376 mortes por afogamento em todo o País. O Ceará apresenta a taxa de 16,82 vítimas por 100 mil habitantes, sendo elas crianças e adolescentes.

O comandante da unidade do Copo de Bombeiros do Mucuripe, major Cláudio Barreto, declara que é promovido um trabalho de prevenção contra afogamento na Praia do Futuro. Em 2010, a ação atingiu 12.899 pessoas, em 2011, foram 32.019 e, até o dia 29 deste mês, 3.587 banhistas foram abordados somente naquela região. "Essa prevenção é feita por meio de entrega de folder e pulseiras para identificação de crianças. Também indicamos os locais apropriados para banho", destaca.

Major Barreto comenta que a maioria dos afogamentos com crianças e adolescentes acontece por falta de atenção dos pais. "Muitos adultos deixam as crianças livres, quase para os bombeiros cuidarem. E as crianças podem estar tomando banho em um canto plano, enquanto os pais estão na barraca, mas, devido às ondas, podem cair em valas, já que na Praia do Futuro há muitas delas".

Dados da pesquisa

A pesquisa revelou que, aproximadamente, 45% das mortes por afogamento aconteceram em rios, mares e lagos. Já as piscinas foram os locais onde ocorreram 7% dos óbitos. Contudo, 37% não tiveram os locais identificados e 5% das mortes foram classificadas como outros.

As mortes por afogamento envolvendo crianças de dez a 14 anos representaram 36% do total; de um a quatro anos, 35%; cinco a nove anos, 26%; e menos de um ano, 3%. O sexo também foi levado em consideração, assim 67% de crianças afogadas são meninos, enquanto as meninas foram 33%. O Estado que teve o maior índice de óbitos foi Amapá com 31,03 por 100 mil habitantes, seguido de Espírito Santo (22,14), Mato Grosso (21,08) e Paraíba (20,61). O Distrito Federal é o que tem menos caso (9,25). Foram gastos mais de R$ 254 mil no tratamento e recuperação de crianças e sobreviventes, em 2009, no País.

SAIBA MAIS

Como prevenir afogamentos
1. Crianças devem estar sempre acompanhadas de adultos
2. A água tem que estar na altura da cintura da criança
3. o banhista não deve nadar perto de embarcações ou pedras
4. Não nadar atravessando de um lado para o outro
5. O banhista deve nadar paralelo à praia. Nunca de mar adentro
6. É recomendado sempre nadar acompanhado
7. O banhista não deve ter vergonha de chamar por socorro quando precisar
8. Não ingerir bebidas alcoólicas antes e durante o banho
9. Não comer comida "pesada" antes de entrar na água
10. Sempre procurar nadar perto de guaritas dos guardas-vidas

Fonte: corpo de bombeiros

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999