CE é 6º em denúncias de violência sexual - Cidade - Diário do Nordeste

CRIANÇAS E ADOLESCENTES

CE é 6º em denúncias de violência sexual

16.05.2009

A luta contra a violência sexual é lembrada amanhã, 18. No Ceará, há calendário de conscientização

Num País cheio de desigualdades como o Brasil, as famílias pobres fazem de tudo para sobreviver. Muitas acabam explorando sexualmente suas meninas e seus meninos. Nesse cenário de desamparo, há também pais que “esquecem” de proteger seus jovens, que, muitas vezes, são violentados dentro de casa, ou na vizinhança. Para combater essa situação, o dia 18 de maio é usado para conscientizar a população sobre a gravidade do problema.

No Ceará, Estado que garante lutar contra o turismo sexual e é historicamente marcado pelo machismo, as denúncias de crianças e adolescentes abusados sexualmente entre maio de 2003 e 2008 chegaram a 4,7 mil, uma média de 57,42 para cada grupo de 100 mil habitantes. Esse número deixa o Ceará em sexto lugar no ranking nacional de denúncias, feitas pelo Disque 100.

O Nordeste é a primeira região do Brasil em denúncias, seguida por Sudeste, Sul, Norte e Centro-Oeste. Os dados são da Secretaria Especial de Direitos Humanos, da Presidência da República. Em todo o País, de 2003 a 2008, o Disque Denúncia realizou mais de dois milhões de atendimentos, tendo recebido e encaminhado 84.766 denúncias.

Mesmo com o número elevado de denúncias no Ceará e Nordeste, a assessora comunitária do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca-CE), Mara Carneiro, ressalta que a quantidade de denúncias não reflete o número de casos e que, portanto, o fato de as denúncias terem aumentado não está ligado a um aumento da violência sexual.

Ela explica que há uma carência de fontes e pesquisas nessa área. “Essa denúncia pode chegar em vários lugares, no Disque Denúncia nacional, do Estado, Município e até nos conselhos tutelares. É muito difícil conseguir dados precisos. Mas trabalhamos com o que temos”, diz Maria Carneiro.

E apesar dos avanços alcançados no combate à violência sexual de crianças e adolescentes em Fortaleza e no Ceará, com o aumento contínuo do número de denúncias, algumas questões colocam-se ainda como empecilho para uma ação efetiva no combate a esse tipo de violência, segundo a secretária executiva do Fórum Cearense de Combate à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, Lídia Rodrigues.

Ela diz que o atendimento às vítimas é um dos grandes problemas. Como conta, embora haja as denúncias, não existe retaguarda suficiente para atender à demanda. A secretária explica que o atendimento adequado às vítimas começaria com ação do Conselho Tutelar, que averigua a denúncia e acompanha o processo de realização do boletim de ocorrência e exame de corpo e delito.

O próximo passo seria o encaminhamento da vítima aos programas sociais, como os Centros de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), onde deveriam receber acompanhamento social e psicológico.

O atendimento também precisaria se estender às famílias, que devem ir para projetos sociais de geração de emprego e renda, como o Bolsa Família. No entanto, conforme a coordenadora do Fórum Cearense de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, Márcia Cristine, em Fortaleza há carência tanto de programas sociais, quanto de profissionais qualificados para o atendimento.

“Nos demais municípios do Estado, a situação se agrava, pois a falta de equipamentos suficientes para dar conta da demanda faz com que, muitas vezes, o acompanhamento seja interrompido”, diz.

O Fórum Cearense de Enfrentamento à Violência Sexual e o Fórum dos Direitos da Criança e do Adolescente têm trabalhado em parceria para a construção do Plano Estadual de Convivência Familiar e Comunitária, cujo eixo é o combate à violência sexual e o atendimento adequado. Além disso, frisa Márcia, o Fórum está acompanhando de perto as ações dos Creas.

Segundo a coordenadora do Fórum, é importante que as vítimas e suas famílias recebam o atendimento para que os jovens violentados possam continuar a se desenvolver de forma tranqüila, com suporte e apoio da família, e não venham a sofrer abusos novamente.

RENATA BENEVIDES
Repórter


DADOS

4,7 mil denúncias
de violência sexual foram feitas no Ceará entre maio de 2003 e 2008
2 mi atendimentos foram realizados no mesmo período em todo o Brasil

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999