Pesquisa

Capital se destaca em exercícios para idosos

A Capital cearense também teve resultados positivos no que diz respeito à matrícula de idosos na educação

Fortaleza ficou em 24º lugar, mostrando que existem pistas de corrida para as pessoas se manterem saudáveis ( Foto: José Leomar )
01:00 · 14.04.2018

O Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, realizou uma pesquisa em 150 cidades grandes do Brasil para apontar quais pontos positivos e negativos desses municípios e como eles estão se preparando para o envelhecimento populacional no que diz respeito ao acesso à cultura, saúde, educação, moradia, entre outros. Classificada como uma das cidades mais populosas do País, Fortaleza ficou, de modo geral, na posição 98, de 150, considerando o grau de bem-estar que a cidade proporciona para as pessoas envelhecerem com qualidade.

Segundo Antônio Leitão, gerente institucional no Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, a pesquisa foi feita tendo como base indicadores públicos disponíveis na internet.

No que se refere à Educação para idosos, a Terra da Luz se destaca: Fortaleza ficou em sétimo lugar, entre 150, na lista que analisa a matrícula de idosos na educação de jovens e adultos. Para Antônio, o dado é um motivo para comemorar, já que no Brasil, milhares de idosos são analfabetos. "Isso mostra que a Prefeitura busca uma iniciativa de reverter o problema do analfabetismo na terceira idade, não apenas pelo estudo, mas também daquela pessoa se manter participativa socialmente", afirma. De acordo com o gerente, se manter ativo é de extrema importância, porque o isolamento social causa diversos problemas, até de saúde, como a depressão.

O número de estabelecimentos para condicionamento físico, enquadrado na pesquisa como um dos requisitos de saúde e bem-estar, também é destaque da capital cearense. Fortaleza ficou em 24º lugar, mostrando que existem pistas de corrida para as pessoas se manterem saudáveis. "A chance de ficar doente se exercitando fisicamente é muito menor do que se não tiver, é uma forma preventiva. É prevenção e promoção da saúde".

Segurança

No que diz respeito à segurança, de acordo com a pesquisa, Fortaleza amarga no 144º lugar no indicador agressão à vida, que analisa a quantidade de homicídios a cada 100 mil habitantes.

De acordo com o gerente, o dado é preocupante para o aspecto de envelhecimento porque o idoso tem a limitação de sua locomoção e só sai de casa se souber que o local é realmente seguro. "Se uma pessoa jovem, que tem condições de andar, se sente insegura porque acha que o bairro que ela mora não tem segurança, imagina uma pessoa que tem restrições. A importância da segurança pra uma pessoa idosa é ate maior, porque influi a percepção de que ela pode andar no seu bairro de forma tranquila", explica Antônio Leitão.

Outro ponto de melhora é a expectativa de emprego. A cidade que é destino de milhões de turistas nas férias é também aquela que deixa a desejar para sua população quando o assunto é trabalho. Fortaleza amarga a 140ª colocação no indicador taxa de desemprego.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.