FESTA DEMOCRÁTICA

Balança o chão da praça

Ocupar a cidade com festa. Esse é o princípio da descentralização do Carnaval de Fortaleza. Atendendo a demandas locais, os polos se firmam com identidades próprias e fortalecem o crescimento da folia

Que tiro foi esse? Irreverência e criatividade de grupos de foliões tomaram conta das ruas de Fortaleza durante os quatro dias de folia ( FOTO: KID JUNIOR )
01:00 · 14.02.2018

Festas e blocos espalhados pela Praia de Iracema, Benfica, Centro, Aerolândia, Mucuripe confirmaram, neste ano, a descentralização da folia. Teve gente exaltando o patrimônio histórico da cidade, símbolos culturais, equipamentos públicos e espaços afetivos.

Na Praia de Iracema, também teve bode, índia, poeta e muita animação no cortejo do bloco Iracema Bode Beat, que foi pra rua pelo segundo ano. A concentração dos foliões foi no Largo dos Tremembés. De lá, a turma passeava pela Rua dos Tabajaras, com uma parada no Poço da Draga para apresentação dos personagens, rumando para a Praça Verde do Dragão do Mar, para shows musicais.

O folclórico Bode Ioiô, a lendária Índia Iracema e o saudoso poeta Mário Gomes, além da Gata do Brilho e da Gata do Fogo, animaram todo o percurso, com paradas e interações estratégicas, fazendo vibrar a multidão de foliões que marchava ao lado, cortejando e cortejados. Outros artistas se juntavam ao grupo, como o Carlos Careca, 56, fantasiado como o "Guerreiro do Meio Ambiente". Há 40 anos reutiliza materiais para alertar sobre a importância da preservação da natureza.

O Benfica, espaço historicamente associado à boemia e intelectualidade, concentrou as atenções das tardes de Carnaval em Fortaleza, com o retorno do bloco Luxo da Aldeia. Já o Centro disseminou a festa para as crianças nas manhãs do Passeio Público e, na terça-feira, na Praça dos Leões. No limite do bairro com a Praia de Iracema, o Mercado dos Pinhões se consolidou como espaço de irreverência em todos os dias de festa momina.

Além dos 10 polos oficiais do Ciclo Carnavalesco de Fortaleza, 56 blocos são apoiados pela Prefeitura em diversos bairros da cidade, por meio do Edital de Apoio aos Blocos de Rua do Ciclo Carnavalesco 2018, com recursos que chegam a um montante total de R$ 550 mil.

Leia ainda:

> Fortaleza: terra da folia 
> Memória, samba e afeto na cidade 
> Maracatu reinventado 
> Fantasia para manter a luta 
> Aracati: Alegria resgatada 
> Muita cor e diversão em várias cidades do Ceará
> Folia com crítica social pelo País

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.