intervenção

Ato com ciclistas pede 'mais amor no trânsito'

O ato foi marcado pelas redes sociais e reuniu cerca de 100 ciclistas, que fecharam a Rua Dona Leopoldina durante 30 minutos ( Foto: Kid Júnior )
01:00 · 12.05.2018 / atualizado às 20:19 · 14.05.2018

Um corpo único, sobre duas rodas, parecia continuar o percurso de Luana Vasconcelos Holanda, 35, interrompido violentamente por um ônibus na manhã da última terça-feira (8), quando trafegava na ciclofaixa da Avenida Antônio Sales, no cruzamento com a Rua Dona Leopoldina. A ciclista precisou amputar parte da perna direita.

O ato foi marcado pelas redes sociais e reuniu cerca de 100 ciclistas, que fecharam a Rua Dona Leopoldina durante 30 minutos, antes de iniciarem uma bicicletada pela faixa da esquerda da Avenida. Cantos e gritos pediam "mais amor, menos motor" e cobravam de outros condutores mais atenção no trânsito: "Ei, motorista, respeite o ciclista". Alguns condutores chegaram a aguardar a liberação da via e reclamavam da intervenção. Outros, mais sensíveis, buzinavam ou gritavam, em apoio ao ato.

> Ciclistas e pedestres continuam sob ameaça do desrespeito

O grupo, considerado por alguns participantes como anônimo, reunia histórias diferentes de violência no trânsito, de quem fez questão de estar ali em solidariedade à Luana. "Tenho esse pulso machucado de um acidente", conta o artista Marcelo Melo, 58, que usa a bicicleta como meio de transporte há 40 anos. Relato semelhante vem da autônoma Georgia Santiago, 39, atropelada na Avenida Santos Dumont. "Bati a cabeça no meio-fio, fiquei desacordada, acordei dentro do hospital. O problema não é apenas nesse cruzamento. Em qualquer cruzamento que seja você é fechado", diz. A analista de esportes Alexandra Popov, 36, reforça que a palavra central é "respeito".

Doações

A jovem Luana Vasconcelos Holanda segue hospitalizada no Instituto Doutor José Frota e precisa de doações de sangue. Devem ser feitas obrigatoriamente no posto do Hemoce no IJF, informando o nome completo dela. A unidade funciona no mesmo endereço do hospital. Familiares e amigos também pedem doações financeiras para auxiliar no tratamento e contribuir para a compra de uma cadeira de rodas. Depósitos devem ser feitos na conta de Milena Bandeira, 42474-6, agência 1922, operação 013, na Caixa Econômica.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.