Árvores centenárias são cortadas - Cidade - Diário do Nordeste

Meio ambiente

Árvores centenárias são cortadas

06.04.2012

Análise técnica determinou que as sete árvores apresentavam risco de queda
Análise técnica determinou que as sete árvores apresentavam risco de queda
Foto: Viviane Pinheiro
De acordo com o Colégio Militar, o corte foi realizado após a constatação de possível risco de acidentes

A calçada do Colégio Militar de Fortaleza (CMF) chama atenção pela beleza, imponência e o verde da fileira de oitis, árvore nativa da flora cearense. Plantadas há mais de 80 anos, elas possuem valor histórico e sentimental para a cidade. Contudo, na manhã de quarta-feira, os transeuntes se assustaram com a presença de uma equipe realizando o corte total de dois oitis.

A denúncia foi feita por membros do Movimento Pro-Árvore que contestam a ação, considerada radical. De acordo com eles, o corte e a poda de sete árvores foram realizados à pedido do Colégio Militar. Tal ato tinha como intuito evitar acidentes devido um possível tombamento das plantas em consequência do período chuvoso.

Para o advogado Leonardo Jales Leitão, membro do movimento, a ação preventiva é totalmente compreensível sabendo que já houve a queda de um exemplar em cima do muro do colégio, em 2012. Entretanto, ele acredita que a ação foi realizada de forma inconsequente. "As duas árvores cortadas tinham o caule perfeitamente saudável, sem cupim. Será que eles tinham a licença necessária?", indaga.

O Pró-árvore está tentando entrar em contato com os órgãos municipais responsáveis para ter acesso ao documento de autorização, mas ainda não obteve resposta. Leonardo Jales explica que, neste caso, a atitude correta seria realizar apenas uma poda para aliviar o peso da copa e o efeito dos ventos. "Eram as maiores e, provavelmente, as mais antigas. Cortaram para se livrar do problema", diz.

Motivos

Em resposta ao questionamento acerca das árvores, o Colégio Militar de Fortaleza explica que o estabelecimento de ensino defende a preservação ambiental e a sustentabilidade, trabalhando o assunto em sala de aula e em atividades extracurriculares com os seus alunos.

Segundo o capitão Fábio Cunha, da Seção de Comunicação Social do CMF, a poda foi realizada por uma equipe da Prefeitura Municipal de Fortaleza, após avaliação técnica realizada pela Secretaria do Meio Ambiente e Controle Urbano (Semam), com o objetivo de evitar acidentes causados pela iminente queda de troncos ou galhos.

Durante a análise técnica realizada, algumas árvores foram condenadas por estarem podres e com risco de tombar. O serviço de poda deve continuar na próxima segunda-feira, dia 9. Apesar de os moradores da região temerem que mais árvores centenárias sejam cortadas.

A assessoria de imprensa da Semam explica que não autorizou o corte, mas, nesses casos a Secretaria Executiva Regional (SER) II também pode conceder o documento.

Devido ao feriado, a Regional II destacou a impossibilidade verificar se o corte realizado foi legal, mas garantiu que, nesta segunda-feira, uma equipe de técnicos da Prefeitura de Fortaleza será enviada ao local para analisar o caso. Se não houver documento de autorização, os responsáveis pela atitude poderão ser notificados.

ADRIANA RODRIGUES
ESPECIAL PARA CIDADE

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999