Mãos que fazem história

Artesanato cearense será exibido em Portugal

Estado representará o Brasil como país convidado da 40ª Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde

Convidadas pela Ceart, Maviniê Mota, artesã de areia colorida, de Fortaleza, e a rendeira Ana Maria da Silva, residente no distrito de Canaan (Trairi), demonstrarão ao vivo os seus ofícios no estande do Ceará ( Fotos: Marília Camelo/Fabiane de Paula )
01:00 · 12.07.2017

Partilhar a beleza do trabalho feito à mão além-mar, mostrando todo o potencial dos artesãos cearenses. Com esse intuito, o Ceará participa da Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde (FNA 2017), na Região Metropolitana do Porto (Portugal). O Estado representará o Brasil como País convidado da 40ª edição do evento, realizada no período de 22 de julho a 6 de agosto.

O estande "Artesanato do Ceará - Mãos que fazem história" exibirá em terras lusitanas o que há de melhor e mais original da produção artesanal cearense. A promoção é do jornal Diário do Nordeste, com realização do Governo do Ceará. A primeira-dama do Estado, Onélia Leite de Santana, confirmou presença na solenidade de abertura do evento.

A Central de Artesanato do Ceará (Ceart) assina a curadoria da exposição. Foram selecionados, por Angélica Freitas, produtos que têm prioritariamente identidade cultural, expressando valores estéticos tradicionais, com qualidade e alto padrão de técnica. Além da mostra, a Ceart levará a Vila do Conde duas artesãs cearenses, Ana Maria Silva (renda de bilros) e Maviniê Mota (areia colorida), que demonstrarão, ao vivo seus talentos.

Inspiração

O convite da Câmara Municipal de Vila do Conde e da Associação para Defesa do Artesanato e Património de Vila do Conde, promotores da FNA, surgiu após conhecerem o livro "Mãos que fazem história - a obra e a arte de artesãs cearenses" (Editora Verdes Mares, 2012), de Cristina Pioner e Germana Cabral. As jornalistas, ao lado da fotógrafa Marília Camelo, integram a equipe organizadora do estande e lançarão a obra durante o evento.

O diretor-editor do Diário do Nordeste, Ildefonso Rodrigues, reforça que manter o artesanato cearense vivo como também sedutor para novas gerações de artesãos é um dos objetivos desse trabalho de resgate, realizado, inicialmente, com a série de reportagem e o livro "Mãos que fazem história" e, agora, com o estande em uma das principais feiras do segmento na Europa.

Investimento

Participar da FNA 2017 é também muito importante para o Governo e o Programa de Desenvolvimento de Artesanato do Estado: "Representa uma retomada do mercado internacional desse importante setor cultural e econômico do Ceará", diz Amanaci Diógenes, coordenadora do Programa.

No dia da abertura, 22 de julho, estão confirmadas, além do estande de 72m², duas atrações: jantar com o chef de cozinha cearense Vicente Neto, do restaurante Cantinho do Avillez (Lisboa), e show da Banda Luso Baião, cujo repertório valoriza a música nordestina, numa promoção da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setfor). Durante 16 dias, a FNA receberá cerca de 400 mil visitantes, dentre portugueses e de outros países, que curtem o verão europeu em Vila do Conde.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.