meio ambiente

Áreas do Parque do Cocó são revitalizadas

Ao todo, 17 locais foram mapeados por uma empresa que venceu o concurso de ideias proposto pelo Governo

01:00 · 06.07.2018

Oito áreas do Parque do Cocó estão em um processo de revitalização desde o mês de junho, quando foi dada ordem de serviço para as obras. Elas estão recebendo reformas em equipamentos para esporte e lazer. Ao todo, 17 locais foram mapeados por uma empresa de São Paulo, que venceu o concurso de ideias proposto pelo Governo do Estado, com o objetivo de levar melhorias ao Parque.

O projeto recebeu uma verba no valor de R$ 50 milhões. O montante vai servir para implementar o projeto da empresa vencedora da licitação, bem como a consultoria feita pela Arcadis Logos, que tem elaborado uma análise e um diagnóstico socioambiental no Parque. O estudo demarcou, inclusive, a existência de 666 imóveis nos arredores do equipamento.

Das 17 áreas, as oito em questão foram escolhidas pois as demandas da empresa eram maiores. Todas as obras foram pensadas em diálogo com as comunidades que vivem ao redor. O concurso de ideias contemplou 1.080 hectares do Parque, o que compreende o trecho entre a BR- 116 e a Foz do Rio Cocó. Essa área já continha equipamentos previstos pela Secretaria de Cidades do Estado, como uma via e uma barragem inauguradas recentemente. Ao todo, o Parque do Cocó tem 1.571 hectares que, hoje, tornaram-se área de preservação do meio ambiente.

A área é, além disso, um espaço que deve ser de posse e domínio público. A palavra mais certa e buscada talvez seja "ocupação", como explica o secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno. "Fortaleza é uma cidade muito sortuda, porque tem praia e tem uma área verde excelente, que mesmo mais valorizada de uns tempos para cá, ainda merece mais atenção. A conservação do Parque do Cocó é para que as famílias pensem em ir ao local em um domingo", disse.

Dentre as áreas em obras, apenas duas têm previsão de entrega para dezembro deste ano: O ponto da Avenida Raul Barbosa, na Aerolândia e um antigo prédio de uma fábrica de óleo, também na mesma Avenida, mas já no São João do Tauape. As outras reformas incluem equipamentos como o anfiteatro do Cocó, que vai receber um espaço cultural; a área do Adahil Barreto, que em dezembro de 2017 teve seu domínio passado da Prefeitura para o Estado e um local abandonado na BR-116, no bairro Tancredo Neves.

Ampliação

As intervenções continuam ainda na Comunidade do Dendê, que receberá quadras de futebol, areninha e pista de skate; Sabiaguaba, onde a Secretaria irá discutir com a população a respeito da ampliação de equipamentos já existentes, como o Museu do Mangue e a Cidade Ecológica, equipamento situado por trás da Universidade de Fortaleza (Unifor).

Cada um desses locais vai ter um píer, partido de uma captação de recursos da Secretaria de Cidades. Uma dragagem em parte do Rio Cocó também está prevista, com o intuito de se aumentar os passeios no local, hoje concentrado em um período de 20 minutos nos 48 km do Rio, entre as avenidas Sebastião de Abreu e Engenheiro Santana Júnior.

"Nosso objetivo é a balneabilidade. Nós queremos tomar banho no rio Cocó", revela Artur Bruno. Todos esses trabalhos são parte de um projeto mais amplo da Sema, que é o Pacto pelo Cocó. O Pacto visa o auxílio de quatro prefeituras - Fortaleza, Pacatuba, Itaitinga e Maracanaú, e tem o apoio de 24 entidades, entre poder público e sociedade civil, que compõem o Conselho Gestor.

Conscientizar

O Pacto tem ideias a curto, médio e longo prazo, e tem o objetivo de conscientizar ambientalmente os moradores dos 15 bairros por onde o Rio passa, sobretudo em relação a separação de resíduos sólidos e reflorestamento. O Conselho trabalha sobre três pilares: preservar o Rio, conservar a fauna e flora do Parque e desenvolver as próprias melhorias em seus equipamentos.

"Um trabalho de fôlego", define o secretário. Ele explica que os nove espaços restantes deverão ter trabalhos menores, como entradas ou trilhas a serem desenvolvidas, de acordo com as sugestões de arquitetos de todo o País. Todo o Parque deverá ainda ser envolvido por cerca verde, cujo processo licitatório deverá ser resultado no próximo dia 13 de julho. (Colaborou João Duarte)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.