REDE MUNICIPAL

Alunos terão ensino com abordagem socioemocional

01:00 · 08.08.2018
s
Ontem, cerca de 500 profissionais de educação das 300 escolas municipais receberam uma formação inicial FOTO: PREFEITURA DE FORTALEZA (ALCIDES FREIRE) ( Foto: Prefeitura de Fortaleza (Alcides Freire) )

Para exercitar e intensificar a cidadania dos alunos da rede municipal de ensino, além de promover a discussão das competências socioemocionais na sala de aula a partir de abordagens temáticas como respeito e confiança, foi lançado, na tarde de ontem (7). O Programa e Formação dos Diálogos Socioemocionais nos Anos Finais do Ensino Fundamental. O Plano está sendo desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação (SME) em parceria com o Instituto Ayrton Senna, que já aplica o Programa em outros municípios do Ceará, como Sobral, e outros estados, entre eles Goiás.

Na tarde de ontem, cerca de 500 profissionais de educação de todas as 300 escolas municipais estiveram reunidos para receber uma formação inicial sobre o assunto. Por enquanto, o projeto beneficiará apenas os estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental, cerca de 20 mil crianças ao todo, conforme a titular da SME, Dalila Saldanha.

"A perspectiva é promover, dentro das nossas escolas, como desenvolver dentro da dinâmica curricular, as competências socioemocionais que vão colaborar com o desenvolvimento deles tanto na aprendizagem dos conteúdos cognitivos, como no exercício da cidadania", explicou a secretária. Segundo ela, a ideia é que, ao estudar conteúdos como matemática, sejam aplicadas metodologias que colaborem com o desenvolvimento da solidariedade, amor, entre outros valores.

A expectativa é que até o fim de 2019 o projeto esteja integrado nas séries de 6º a 9º ano. Para tal, será feita uma pesquisa para ter um diagnóstico do perfil de alunos da rede municipal com o intuito de realizar um trabalho customizado.

Estudos

Para Shirley Ferrari, gerente de projetos do Instituto Ayrton Senna, o projeto é uma solução educacional. Junto com o currículo escolar, o aluno também desenvolve empatia e participação. "Não que existam aulas em relação a estas competências, elas estão dentro do processo de aprendizagem. Estudos trazem o quanto esses alunos avançam nos estudos porque se sentem mais confortáveis na sala de aula, e se preparam sistematicamente melhor para a vida contemporânea", afirmou Shirley. Segundo ela, o Instituto estará próximo das escolas, acompanhando todo o projeto, e fornecendo as formações necessárias aos professores.

Alguns métodos contribuem para o desenvolvimento dos alunos no aspecto socioemocional, conforme citou o diretor da Escola de Tempo Integral José Carvalho, Alex Viana. Uma delas é, quando um problema ocorrer, o professor fazer a intervenção buscando a solução. "O problema que gerou o conflito não pode ser o foco. A partir do erro, o estudante deve desenvolver habilidades para que ele aprenda e não incorra no erro novamente. Se não fizermos isso, a tendência é que tenhamos pessoas cada vez mais doentes", apontou o diretor Alex Viana.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.