crise hídrica

Alternativas garantem água até agosto de 2018

Poços nas dunas do Pecém, no Cumbuco e na Taíba fornecerão água para Fortaleza e a região metropolitana

01:00 · 07.10.2017
Cidade
O abastecimento da RMF foi permanentemente ligado aos reservatórios da Bacia do Médio Jaguaribe, que agora está em situação crítica ( Foto: Juliana Oliveira )

Com os volumes dos açudes Castanhão, Orós e Banabuiú abaixo de 10%, a Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) com a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) implantou novas alternativas de abastecimento para Fortaleza e região metropolitana para garantir recursos hídricos no Estado até agosto de 2018. Com o funcionamento dos poços na região do Pecém, do Cumbuco, da Taíba, a extração de água do sistema lacustre do Cauípe, o objetivo é possibilitar menor dependência dos reservatórios já escassos do Interior do Ceará.

Durante os seis anos de seca, o abastecimento da RMF foi permanentemente ligado aos reservatórios da Bacia do Médio Jaguaribe, que agora está em situação crítica de abastecimento com apenas 3,6%de volume. Segundo o titular da Secretaria de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, devido à grande irregularidade espacial das chuvas, algumas regiões estão com o problema de água resolvido por até dois anos.

A região da bacia do Acaraú, do Litoral, do Coreaú que chegam a ter quase 50% dos mananciais preenchidos por terem tido chuvas acima da média no primeiro semestre. "Agora o que nos preocupa muito é a Bacia do Jaguaribe, do Banabuiú, já que os três maiores açudes do Ceará estão praticamente vazios. E essa região é o grande pulmão de oferta hídrica do estado, com grandes demandas", diz o secretário de Recursos Hídricos.

Projetos

Segundo Teixeira, como choveu dentro da média no norte do Estado, houve um aporte razoável no sistema hídrico metropolitano "e é desse aporte que estamos vivendo". A SRH está com quatro projetos em andamento para garantir a diversificação das fontes hídricas para o abastecimento da região que mais demanda recursos hídricos do Ceará. A RMF está com captação de água subterrânea de 36 poços das dunas do Pecém, vão extrair de poços no Cumbuco, posteriormente na Taíba e no sistema lacustre (lagoa e açude) do Cauípe. "A ideia é chegar próximo a 800 litros/segundo no Pecém, tornando-o quase independente", diz Teixeira.

O presidente da Cogerh, João Lúcio Farias, informou que um poço horizontal, inovação tecnológica na perfuração de poços, está sendo instalado no Cumbuco, com previsão de início de testes em novembro deste ano e aproveitamento da água em dezembro. O secretário de Recursos Hídricos Francisco Teixeira ressaltou ainda a importância da chegada do projeto do São Francisco para maior garantia da disponibilidade de recursos hídricos para o Ceará.

Funceme

Os secretários e representantes dos órgãos que compõem a gestão de recursos hídricos do Ceará estiveram reunidos na manhã dessa sexta (6), em solenidade no Palácio da Abolição, para celebrar os 45 anos da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O presidente da Funceme, Eduardo Martins, ressaltou que a evolução do órgão e a atuação cada vez mais efetiva é grande parte dos motivos de comemoração dos 45 anos. (Colaborou Marina Gomes)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.