sistema verdes mares

9ª edição do 'Tô na Praça' será em logradouro histórico

Neste sábado, o evento acontecerá, a partir das 17 h, na Praça Luiza Távora, no bairro Aldeota

Com árvores frondosas e amplos espaços para o lazer, a Praça Luíza Távora atrai público de diversas idades, principalmente nos fins de semana ( Foto: Helene Santos )
00:00 · 21.04.2017

Com um saquinho de pipoca na mão, sentado à sombra das frondosas árvores, o casal namora tranquilo no fim de tarde, ignorando o vai e vem das crianças que correm sem rumo pelo extenso pátio. Ao redor, os palacetes em tons de rosa, azul e amarelo e o vagão de trem estacionado refletem um sol teimoso em se pôr. O cenário é quase o de uma novela de época, mas descreve o retrato atual do movimento da Praça Luíza Távora, no bairro Aldeota, que recebe a próxima edição do "Tô na Praça", sábado (22), a partir das 17h.

A aura familiar e até romântica do logradouro é de nascença, herança deixada nos alicerces por quem pisou o solo quando ainda era um terreno sem vida - e que, depois, seria pavimentado por amor. Isso porque, por volta de 1917, um dos maiores empresários de Fortaleza à época, Plácido de Carvalho, viajou à Europa e, em Milão, esbarrou com a paixão incondicional pela italiana Pierina Giovanni. A troca de Itália por Brasil, porém, não era uma vontade compartilhada pelo casal.

"Ela só casaria e viria morar no Brasil se o Plácido fizesse um castelo para ela. Ele não contou conversa: foi aos melhores escritórios de arquitetura, mandou desenhar o castelo, mostrou a ela e construiu", relata o pesquisador Miguel Ângelo de Azevedo, o Nirez.

Memória

O imenso castelo erguido por capricho e paixão numa Aldeota ainda horizontal, onde Pierina e Plácido viveram até ela ficar viúva, só existe agora na memória de historiadores. Após a morte do marido, a italiana casou-se com o arquiteto Emílio Hinko e cercou o imponente Palácio do Plácido com pequenos chalés, únicos preservados até hoje.

"Quando Pierina morreu, Hinko alugou o palácio ao Serviço de Malária do Governo. Depois, na década de 1960, foi vendido ao grupo cearense Romcy, que derrubou o castelo para construir uma loja", conta Nirez, lamentando a demolição. O comércio que tomaria o lugar de um importante monumento histórico, porém, nunca foi construído, transformando o espaço em um terreno abandonado após a decretação da falência do grupo empresarial.

Desde 1990, então, o espaço é cuidado pelo Governo do Estado, que transformou os palacetes históricos em prédios públicos, e o antigo vagão de trem desativado, em uma minibiblioteca. Como vizinho, os equipamentos têm a sede da Central de Artesanato do Ceará (Ceart), ponto de referência cultural criado pela ex-primeira-dama Luíza Távora - nome que batiza, hoje, uma das mais belas praças da Capital.

"É uma pena que o principal objeto arquitetônico, o castelo, tenha sido derrubado. Era um edifício da elite, mas muito querido pelos fortalezenses, porque marcou o processo de ocupação da Zona Leste da cidade", lembra o professor de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Ceará (UFC), Romeu Duarte.

"Fica sempre aquele gosto de saudade do que existia antes, do que se perdeu e não se pode mais recuperar", completa o arquiteto Romeu Duarte, afirmando, ainda, que o logradouro é um dos mais ocupados da Capital não apenas pela beleza, mas pelas constantes atividades promovidas no local.

Programação

Evento terá serviços e atrações culturais

No próximo sábado, a Praça Luíza Távora sedia a 9ª edição do Tô na Praça, evento promovido pelo Sistema Verdes Mares em parceria com a Prefeitura de Fortaleza. A programação conta com atrações culturais, de entretenimento, serviços e distribuição de brindes para todas as idades.

Às 17h, a diversão tem início com o personagem "Bem Limpinho", que desembarca no local para despertar a consciência sustentável no público infantil. A partir das 17h30, o Grupo de Capoeira Brasil, o DJ Ronaldo e o músico Juca dos Teclados garantem a trilha sonora.

Para movimentar ainda mais os visitantes da Praça, um aulão de zumba, às 19h, e um show do Grupo Mistura Divina, às 19h30, encerram a festa, que já passou por vários bairros da Capital, como Pan-Americano, Cidade 2000, Quintino Cunha e Parque Araxá.

Mais informações

A programação completa e a galeria de fotos das edições passadas estão no site www.verdesmares.com.br/tonapraca

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.