Parque do Cocó

1ª fase das obras deve ter início até dezembro

Intervenções foram definidas no Concurso Nacional de Ideias e prevê a recuperação de 17 áreas do Parque

O Parque Adahil Barreto deve ser entregue revitalizado à população em junho ( Foto: Thiago Gadelha )
01:00 · 04.05.2018 / atualizado às 08:23 por Renato Bezerra - Repórter

Com trabalhos iniciados há cerca de duas semanas, o Parque Adahil Barreto, integrado oficialmente ao Parque Estadual do Cocó após sua regulamentação, deve ser entregue revitalizado à população até o fim de junho deste ano, segundo estimativa da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema). Até dezembro, por sua vez, deve ter início a primeira intervenção prevista no projeto vencedor do Concurso Nacional de Ideias para a Unidade de Conservação, no bairro Tancredo Neves.

O primeiro trecho a ser urbanizado, segundo explicou o secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno, foi escolhido por se tratar de uma área carente, sem áreas de lazer e esporte. O local ganhará equipamentos como quadra poliesportiva, pista de skate, calçadão e uma ciclofaixa, que deve percorrer toda a área do Parque. "É uma área ampla da BR-116 e pega um bom trecho do Cocó. Já acertamos com a arquiteta vencedora, Marina Grinover, o projeto executivo para este local, que deve ser entregue em 45 dias. Assim que chegar, faremos a licitação", diz.

> Rio Cocó pode ter trecho de navegação ampliado

Conforme o secretário, a ideia é que todas as áreas previstas no projeto sejam entregues de forma gradual, em um cronograma que deve durar alguns anos. No momento, acrescenta Artur Bruno, também segue em andamento um processo licitatório para demarcar toda a área do Parque com cerca verde.

O projeto vencedor do Concurso Nacional de Ideias tem como foco o estimulo às práticas esportivas e de lazer. A meta é a recuperação de 17 locais degradados do Parque, em uma área de 1.571 hectares entre o Anel Viário e a foz do Rio Cocó. Também estão previstos a instalação de piers, mirantes, o museu do mangue, um centro de estudo ecológico, uma escola de esportes náuticos e um viveiro de animais. Para a execução do projeto foram assegurados R$ 50 milhões pelo Estado.

O Conselho Gestor do Parque do Cocó, composto por 12 instituições públicas e 12 entidades da sociedade civil, será empossado no próximo domingo (6), ainda conforme o secretário de Meio Ambiente.

Consultoria

Artur Bruno destaca, ainda, a contratação de um consórcio de empresas formado pela Engesoft Engenharia e Consultoria LTDA e pela Gau Guimarães Arquitetura e Urbanismo S/S LTDA, para a execução dos projetos complementares.

Entre eles, aponta, o estudo para identificar as comunidades tradicionais do Cocó, análise para obter em dados oficiais o número de imóveis na área do Parque, além da contratação de consultoria para fazer a regularização fundiária da Unidade de Conservação. "Além disso, o consórcio vai contratar uma empresa para fazer o plano de manejo, para saber as áreas que não podem ser ocupadas de forma alguma. Na próxima semana, vamos nos reunir com esse consórcio e passar todas essas tarefas", diz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.