Música

Vivendo o momento

Paulo Miklos sobe ao palco da Caixa Cultural de Fortaleza e canta e conta momentos de sua carreira

00:00 · 06.12.2017
Image-0-Artigo-2333315-1
O cantor Paulo Miklos combina histórias e músicas em performance na Caixa Cultural

Se "A Gente Mora no Agora", como intitula o nome do novo álbum de Paulo Miklos, então o convite do Palco Brasil está feito: viva o agora, mais especificamente estes dias que vão de sexta-feira (8) a domingo (10). É quando o projeto musical volta a ocupar o palco da Caixa Cultural Fortaleza, com uma apresentação do cantor e compositor, que ficou famoso com os Titãs e hoje se dedica, integralmente, a sua carreira solo.

Na sexta, Paulo Miklos sobe ao palco às 20h; no sábado, são duas sessões, às 17h e às 20h; e domingo, o Palco Brasil se despede deste ano com o show às 19h. Com duração de 60 minutos, o Palco Brasil dá oportunidade ao artista relembrar histórias e compartilhar um pouco do seu processo criativo, em um contato bem diferenciado com o público, do tipo que não é possível em performances para grandes plateias.

Agora, somam-se três finais de semana consecutivas de muita música boa oferecida pelo projeto. Com quatro sessões de apresentações, os ingressos para ver e ouvir Paulo Miklos começam a ser vendidos nesta quinta-feira (7), a partir das 10h, na bilheteria da Caixa Cultural Fortaleza.

Após proporcionar uma vivência pelo melhor da música da década de 80 e 90, o Palco Brasil também visa contribuir com a sociedade civil e o meio escolhido foi pedir a contribuição dos interessados com uma campanha de arrecadação de livros, que serão doados para a biblioteca da Edisca.

Novos rumos

Uma das vozes mais conhecidas do rock nacional, Paulo Miklos vai contar um pouco de suas histórias e memórias. Além de mostrar canções que foram sucesso ao longo de sua carreira no Titãs, o cantor e compositor também cantará músicas do seu álbum solo mais recente, lançado este ano. "A Gente Mora no Agora" é o sucessor de "Paulo Miklos" (1994) e "Vou Ser Feliz e Já Volto" (2001).

Terceiro álbum solo, o disco é o primeiro após deixar os Titãs. Conta com parceiros como Emicida, Céu, Lurdez da Luz e Russo Passapusso, além de contribuições do Maestro Letieres Leite, nos arranjos, e a produção musical de Pupilo (baterista da Nação Zumbi). Erasmo Carlos, Arnaldo Antunes, Nando Reis e Guilherme Arantes complementam a parceira do disco.

O álbum é produzido por Pupillo Oliveira, da Nação Zumbi, conhecedor e estudioso dos ritmos brasileiros e tem Apollo Nove, na coprodução, que entrou com teclado e sintetizadores e Marcus Preto, na produção artística. O novo trabalho de Miklos pode ser considerada uma obra de caráter autobiográfico, já que o processo de criação do disco se deu em 2016, três depois de perder sua esposa, Rachel Salém, com quem era casado desde 1982. Num período de um ano e meio, o cantor também perdeu os pais. A dores estão inscritas no disco.

Perfil

Miklos é cantor, compositor, instrumentista, além de ator, tendo passagens pelo cinema e teatro. Foi jurado da versão brasileira do programa X-Factor. Em 2016, deixou os Titãs, assumindo integralmente a carreira solo. No grupo, foram 34 anos de trajetória artística e 14 álbuns de estúdio, além dos ao vivo, formato acústico, coletâneas e DVDs.

Entrevista com o cantor, compositor e músico Paulo Miklos

 "No show, vou contar e cantar essa minha relação com a música"

O show que você vai trazer para a Caixa Cultural não é o mesmo que tem divulgado seu novo álbum solo. Que tipo de apresentação o público de Fortaleza vai conferir?

Esse show é bastante diferente. É uma versão com a história que tive com a música. Eu meio que vou contar e cantar essa minha relação com a música, desde as primeiras canções que criei, os primeiros discos que ganhei... Faço uma trajetória em que conto, por exemplo, como eu ganhei meu primeiro cachê, minha história com os Titãs e minha relação com o cinema também. É bastante diferente o que eu pensei para esse projeto com o Palco Brasil. É um show intimista. Estou só com o violão, comento os grandes do sucessos da carreia e canto músicas do novo disco, "A Gente Mora no Agora".

Como vai ser o repertório da noite? Músicas dos Titãs, suas, como será essa seleção?

A seleção foi através do tempo, como uma amostragem de momentos importantes da minha carreia. Canto o sucesso do disco 'Acústico MTV' (que os Titãs lançaram em 1997), "Sonífera Ilha" e grandes sucessos na minha voz. Vou cantar os meus sucessos com o Titãs.

Você faz adaptações nos arranjos dessas músicas, para serem cantadas de forma solo?

Sim, é um arranjo para violão. Não tem a guitarra. O material do disco novo é diferente. Essas canções surgiram no violão, então eu mostro as versões originais delas.

Sua música "Vou te Encontrar", que está na nova novela das 9 da Globo, foi escrita por Nando Reis, que foi seu companheiro de ex-Titãs. Você ainda compõem com outros integrantes da banda?

Nesse disco novo, tem uma música que fiz com o Arnaldo Antunes, que é meu parceiro desde a escola. E o Nando compôs essa para mim. O disco é repleto de encontros felizes, que geraram canções muito bacanas. Várias gerações... Guilherme Arantes! Tem gente que eu admiro, como o Tim Bernardes, a Mallu Magalhães e novos nomes da música brasileira, Lurdez Da Luz e o Emicida. O nome ao disco é um verso dele. É um álbum cheio de encontros. Apresentar essas músicas no violão é muito interessante, porque você mostra como nascem as canções. Sempre gostei muito de assistir os artistas que eu gosto em voz e violão.

Como foi o processo de criação deste trabalho?

Então, eu escrevi as músicas e letras e troquei com os parceiros. A gente compunha por e-mail, por WhatsApp, além de se encontrar pessoalmente, mas foi bastante intenso o processo de composição desse novo disco. Eu tenho Pupillo Oliveira, meu produtor, e uma série de músicos que estão comigo. Uma série de músicos muito bacanas. E estou muito feliz com a recepção do disco pelo público.

O que você está esperando do público cearense?

Espero o que sempre encontrei aí: o calor do público cearense, que eu conheço bem, já fiz shows aí diversas vezes, é sempre muito animado, o público é sempre muito participante. Vai ser bacana, ainda mais porque o show na Caixa Cultural vai ser mais intimista. Eu converso sobre cinema nessa apresentação, faço uma homenagem, entre outras coisas, e canto.

Mais informações:

Paulo Miklos. Nesta sexta-feira (8), sábado (9) e domingo (10), na Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema). Classificação 16 anos. Ingressos: R$ 20 (inteira). As vendas começam nesta quinta (7), na bilheteria da Caixa Cultural.

Contato: (85) 3453.2770

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.