Ensaio

Uma revolução chamada Internet

00:36 · 25.05.2013
A Internet trouxe uma nova forma de comunicação entre os leitores e o mercado literário, um meio rápido e barato que está oferecendo diversas oportunidades e experiências na tentativa de tornar os livros mais atrativos

Durante séculos, o homem se atualizou através de histórias que alguns contadores traziam de suas viagens. Há 500 anos, esses contadores foram aposentados, e os livros e os jornais impressos passaram a fazer essa tarefa; hoje, a Internet faz esse papel através de mensagens multimídias, para um público cada vez maior e com transmissão em alta velocidade. Trata-se de um serviço público de acesso universal, que esta diversificando o controle da informação, tirando o poder das mãos de poucos para colocar nas mãos de todos.

A gênese

Depois de Alexander Grham Bell ter inventado o telefone em 1875, Guilherme Marconi ter inventado o rádio em 1898, entre tantas outras invenções, foi na década de 1970 que aconteceu a grande revolução tecnológica baseada nas duas décadas anteriores, que mudaria o rumo da comunicação e do comportamento do homem.

A Segunda Guerra Mundial foi um marco para as principais descobertas tecnológicas em eletrônica. Se formos considerar as ferramentas com objetivos bélicos (CASTELLS, 1999), em 1941, os alemães utilizaram o Z-3 para auxiliar os cálculos das aeronaves, e em 1943 nasceu o Colossus2 britânico com o objetivo de decifrar códigos inimigos. O primeiro computador para uso geral nasceu em 1946, na Universidade da Pensilvânia, localizada na Filadélfia, pelas mãos dos engenheiros Mauchly e Eckert; o ENIAC pesava 30 toneladas, com uma estrutura metálica de 2,75m de altura, 70 mil resistores e 18 válvulas a vácuo.

Histórico

Os físicos Bardeen, Brattain e Shockley, da empresa Bell Laboratories, localizada em Murray Hill no estado de Nova Jersey, inventaram o transistor em 1947, mecanismo que possibilitou o processamento de impulsos eletrônicos em velocidade rápida e em modo binário de interrupção e amplificação de sinais elétricos, permitindo a codificação da lógica e 12 da comunicação entre as máquinas. Ficou popularmente conhecido como chip, que possui milhões de transistores juntos, e pode ter sua capacidade avaliada por meio de 3 características básicas: capacidade de integração, capacidade de memória e velocidade de microprocessamento. Na década de 60, as empresas conseguiram melhorar a tecnologia de fabricação e o design dos chips, utilizando dispositivos mais rápidos e mais avançados, fazendo com que o seu preço médio caísse de US$ 50, em 1962, para US$ 1, em 1971.

A Agência de Projetos de Pesquisa Avançada do Departamento de Defesa norte-americano - ARPA instalou em 1969 uma rede eletrônica de comunicação. Em 1974, Cerf e Kahn, inventaram o TCP/IP, o protocolo de interconexão de redes. Nos anos 80, os computadores não trabalhavam mais de forma isolada, e sim em redes, onde computadores pessoais eram servidos por máquinas com maior capacidade:

O ponto de partida

O engenheiro da Intel, Ted Hoff, inventou em 1971 um microprocessador, que é um computador em um chip, fazendo possível processar informações em todos os lugares, 13 dando o primeiro passo para a mobilidade das máquinas, causando, assim, um avanço gigantesco na difusão da microeletrônica, "uma revolução dentro da revolução" (CASTELLS, 1999, p.61). A Xerox Alto, empresa que seria muito importante nos anos 90 pelos seus softwares para computadores, nasceu em 1973, nos laboratórios PARC, em Palo Alto.

Em 1975, o engenheiro Ed. Roberts, dono da MITS em Albuquerque, Novo México, construiu o Altair, um computador com um microprocessador que gerou um grande alvoroço, fazendo com que, em 1976, Bill Gates e Paul Allen fundassem a Microsoft, fábrica de softwares para computadores. Segundo Dizard (2000), Bill Gates afirmou que "a multimídia será maior do que qualquer coisa que fazemos hoje em dia" (GATES apud DIZARD, 2000, p. 66)

O Altair foi a base do design do Apple I e II, microcomputadores idealizados em 1976 pelos jovens Steve Wozniak e Steve Jobs, em Menlo Park, no Vale do Silício. A Apple Computers foi fundada com um capital de US$ 91 mil e alcançou em 1982 a marca de US$ 583 milhões em vendas. A IBM agiu rápido e em 12 de agosto de 1981 ela lançou o Computador Pessoal (PC), mas a empresa tinha terceirizado o projeto, o que facilitou a clonagem em alta escala do equipamento, principalmente na Ásia. Em 1984 nasce o Macintosh da Apple, o primeiro passo para computadores de fácil utilização.

A indústria da mídia ainda estava um pouco receosa com essas novas tecnologias, principalmente por uma série de fracassos que aconteceram nas décadas de 70 e 80. Um exemplo foi o investimento de US$ 75 milhões que a Warner Communications fez em 1975 no Atari, uma máquina que podia programar cassetes de jogos interativos. Em 1982, o aparelho era responsável por metade da receita da empresa, mas em um ano ela ruiu. O maior erro dessa e de outras empresas que fizeram um alto investimento em novas tecnologias, na época, foi o tamanho investimento, quando o mercado ainda não estava estável.

Elementos recorrentes

Sempre que uma nova tecnologia se torna popular, é decretado o fim de outra tecnologia mais tradicional; e, com a popularização do computador, decretaram o fim da TV em 14, um prazo de 3 anos, mas não aconteceu, existe uma barreira social e econômica que não permite a adesão total a novas tecnologias, porém as novas tecnologias ganham mais adeptos e as tecnologias tradicionais vão perdendo público, ou renovam a sua linguagem. A cada dia, os computadores estão ficando menores, mais potentes, com uma memória maior. O que mudou, a rigor, não foi só a tecnologia em si, mas a interação social e organizacional.

Os jovens profissionais e estudantes de grandes metrópoles formaram um movimento sócio cultural espontâneo e imprevisível que rapidamente tomou uma dimensão mundial. Diferentes redes de computadores se juntaram, e a interrede cresceu, rumo ao que se chama ciberespaço

FIQUE POR DENTRO

Os passos da revolução tecnológica

Jack Kilby, engenheiro do Texas Instruments, em parceria com Bob Noyce, fundador da empresa Fairchild Semiconductories, fabricou o circuito integrado pela primeira vez em 1957, utilizando o processo plano. A Fairchild Semiconductories, localizada no Vale do Silício, usou o processo plano para possibilitar a integração de componentes miniaturizados com precisão de fabricação, o que causou uma explosão tecnológica entre os anos 1959 a 1962, "os preços dos semicondutores caíram 85% e nos dez anos seguintes a produção aumentou vinte vezes" (CASTELLS, 1999, P.58), porém 50% dessa produção foram para fins militares, e se tornou possível o uso desses chips em máquinas de uso diário, fazendo com que a computadorização se tornasse essencial para a vida doméstica.

A UNIVAC-1 foi primeira versão comercial do computador eletrônico. Ele foi desenvolvido em 1951 pela mesma equipe que criou o ENIAC, depois recebeu a marca Remington Rand, que alcançou um grande sucesso. Na época, o mercado fez muitas tentativas para dominar a indústria de computadores comerciais, porém, só em 1964 a IBM conseguiu com a criação do Mainframe 360/370. Em síntese, estes foram os primeiros e decisivos acontecimentos em direção a uma verdadeira revolução.

NEYARA FURTADO LOPES
COLABORADORA*

*Concludente do Curso de Publicidade e Propaganda da Unifor

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.