Show

Um par e tanto

Neste domingo (15), Silva traz pela primeira vez a Fortaleza o show do disco "Silva canta Marisa", com interpretações do repertório da cantora

00:00 · 13.10.2017 por Adriana Martins - Editora Assistente

O lançamento foi em novembro de 2016. Quase um ano depois Fortaleza finalmente tem a oportunidade de conferir o show do disco "Silva canta Marisa" (Slap/Som Livre), último trabalho do cantor e multi-instrumentista Silva. Nesse que é seu quarto disco, o capixaba homenageia a diva da MPB Marisa Monte, interpretando 12 faixas de seu robusto repertório, sob nova roupagem. Elogiado, o material já ganhou registro em DVD, gravado em junho deste ano, em show na casa Natura Musical.

Na capital cearense, Silva traz o projeto para o Theatro Via Sul. O repertório inclui, ainda, a canção "Noturna", que conta com a participação da própria cantora na composição.

Silva, que admira Marisa desde seus 12 anos, homenageou a cantora ao ser convidado a participar do programa Versões, do Canal Bis, em que um artista apresenta interpretações de músicas que marcaram a carreira de seus ídolos.

A partir disso iniciou-se o contato entre os dois. "Escolhi interpretar as canções da Marisa porque sou muito fã e sempre a admirei, desde criança. Ela ficou sabendo do programa e me escreveu um e-mail agradecendo pela escolha e dizendo que me acompanhava desde o começo da carreira", conta Silva. A troca de mensagens foi o início de uma parceria artística, e daí surgiu a ideia de reunir versões das canções de Marisa em um novo projeto.

Para o show, além das 12 canções gravadas no álbum, foram pinçadas por Silva e o jornalista e pesquisador musical Marcus Preto, que assina a direção artística do espetáculo, músicas presentes em memoráveis repertórios de Marisa Monte, como "Acontecimento", de Hyldon, presente no setlist da turnê "Memórias, Crônicas e Declarações de Amor"; "Chuva no Brejo", de Morais Moreira, presente em "Barulhinho Bom"; "Sonhos", de Peninha, registrada no DVD "Marisa Monte Ao Vivo", de 1989, entre outras.

Processo

Em Fortaleza, Silva sobe ao palco acompanhado da banda que o público conhece das turnês de seu trabalho autoral: Rodolfo Simor (guitarra), Hugo Coutinho (bateria e programações) e Jackson Pinheiro (baixo).

Sobre o repertório do disco, Silva conta, em entrevista por e-mail, que foi um processo a quatro mãos. "Convidei o Marcus Preto para dirigir o show e decidimos ir a fundo na carreira de Marisa. Nem todas as músicas foram compostas por ela, mas foram muito bem gravadas em seus discos e outras só foram cantadas ao vivo, sem registro. Tem sido uma experiência deliciosa poder cantar - além de Marisa - Hyldon, Caetano, Tim Maia, Peninha e Novos Baianos".

Apesar de investir numa nova roupagem, o capixaba não mexeu nas melodias - algo que considera "sagrado". "Cresci numa família de músicos e sempre achei que o que um compositor escreve deve ser respeitado, melodia e letra. As adaptações mais interessantes, na minha visão, acontecem nos arranjos, no tratamento do som e na interpretação", avalia.

Para Silva, o mais atraente na obra de Marisa é a relação que ela mantém e a maneira como trata a música brasileira. "Hoje, conhecendo-a pessoalmente, sei que ela ouve de tudo e é muito aberta às inovações. Acho que é uma das maiores responsáveis pela maneira como nós, brasileiros, passamos a ouvir e tratar nosso passado musical".

Reconhecimento

E como foi a parceria com Marcus Preto? "Além de ser um baita conhecedor de música brasileira, é um amigo que sempre me desafia. Ele me encorajou a cantar musicas que eu tinha certo receio de encarar e acredito que essa turnê tem me feito crescer em vários aspectos", reconhece Silva.

Parte da crítica considerou "Silva canta Marisa" como o melhor trabalho do capixaba - justamente um disco de versões, de canções não-autorais. "Fico feliz, é um sinal de que estou evoluindo. 'Silva canta Marisa' não é um disco de covers, são versões que cuidei para que cada uma delas tivesse minha personalidade", pontua o músico.

"Além disso, temos 'Noturna', música inédita composta por mim, por meu irmão e Marisa para esse disco e que inclusive acabou de ser indicada ao Grammy Latino como 'melhor canção em língua portuguesa'. Sendo autoral ou não, sou eu ali no disco, no palco, na voz e nos arranjos. E fiquei feliz quando Marisa me disse logo após um show que fizemos juntos no Rio: "Silva, que bom que foi você que escolheu me homenagear'".

Mais informações:

Silva canta Marisa. Neste domingo (15), às 19h30, no Theatro Via Sul Fortaleza (Av. Washington Soares, 4335, Edson Queiroz). Ingressos: R$ 80 (inteira). Pontos de venda: Bilheteria do Theatro Via Sul (das 10h´ às 22h) e site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br). Contato: (85) 3099.1290

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.