Espaço Cultural Unifor

Um homem e seu legado ainda presente

01:10 · 20.04.2012
O industrial Attilio Fontana, integrante da exposição Pioneiros & Empreendedores, perdura no mercado

A oportunidade surgiu por iniciativa do prefeito de Concórdia (SC), uma pequena cidade com dois mil habitantes. Nomeada município há pouco mais de oito anos, se via às voltas com um moinho de trigo e um frigorífico que não conseguiam dar lucros. Ainda que fossem de propriedade particular, os empreendimentos preocupavam o prefeito, já que deveriam gerar empregos à população, o que, àquela altura, não acontecia. Teve, portanto, a ideia de convencer um homem de negócios a aceitar o desafio e este seria Attilio Fontana. O industrial, fundador de uma das empresas mais estáveis do País, é uma das personalidades que compõem a exposição Pioneiros & Empreendedores, em cartaz no Espaço Cultural Unifor.

Naquela época, Attilio já possuía uma casa, esposa, filhos bem criados e um comércio estável, mas, de fato, pretendia tornar-se industrial. Antes, porém, sua infância fora difícil, trabalhando em lavouras de alfafa desde os oito anos. Era o oitavo filho de uma família que chegaria a doze, cinco homens e sete mulheres, que trabalhavam igualmente, independentemente do gênero.

Na década de 1940, Attilio propôs comprar todas as cotas dos acionistas do frigorífico e finalmente abria uma nova empresa: a S.A. Indústria e Comércio Concórdia, cujo nome mais tarde seria alterado conservando-se as primeiras duas letras e as três últimas: Sadia. Apesar das terras férteis, adequadas ao cultivo do trigo e à criação de porcos, o transporte e a conservação dos produtos eram os maiores obstáculos do início da produção.

O alto investimento em tecnologia impediu a recorrência de uma decisão que o empresário odiava tomar: destruir toda a produção do frigorífico por suspeita de contaminação.

Apenas nove anos depois de inaugurada, a Sadia já implantava um moinho de trigo em São Paulo, estratégia para se inserir definitivamente no cenário nacional. Na década de 1960, apesar das intempéries políticas vividas pelo País, o empresário conseguiu inaugurar em São Paulo a Frigobrás - Companhia Brasileira de Frigoríficos, ao lado de 94 acionistas. Não demoraria para que o investimento em conservação e produção de frios lhe garantisse um retorno substancial.

A exportação dos produtos também estava nos planos e, já no início dos anos 1970, a Sadia chegou aos países árabes e europeus, para depois aterrissar na Ásia e no restante da América Latina.

Attilio Fontana continuou ampliando seus negócios, e a marca Sadia já era vista como sinônimo de qualidade. Ainda nos anos de 1970, foram inauguradas unidades em Chapecó (SC), Várzea Grande (MT), Toledo e Dois Vizinhos (PR).

Política

Dois anos após a fundação da empresa, Attilio Fontana inicia sua trajetória política, tendo sido eleito vereador de Concórdia. Quatro anos depois vencia as eleições para prefeito e, posteriormente, para deputado federal por dois mandatos consecutivos: 1954 - 58 e 1958 - 62.

No final do segundo mandato como deputado, o empresário recebeu um convite para assumir a Secretaria de Agricultura de Santa Catarina, na gestão de Celso Ramos. Eleito senador em 1962, exerceu seu mandato até 1970 e encerrou sua carreira política quatro anos mais tarde, como vice-governador de Santa Catarina. Foram 28 anos de vida pública. Attilio faleceu em março de 1989, deixando oito filhos, 26 netos e uma empresa consolidada. Atualmente, a Sadia conta com mais de 650 itens, distribuídos para cerca 300.000 pontos de venda em todo o Brasil e ainda em mais de 100 países.

Mais informações:

Exposição "Pioneiros & Empreendedores", até 13 de maio, no Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321). De terça a sexta, das 8h às 18h; sábados e domingos, das 10h às 18h. Entrada e estacionamento gratuitos. Contato: (85) 3477.3319

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.