Continuação da capa

Trajetória poética

Influenciado pelo poeta Patativa do Assaré, Bráulio conquistou o Brasil com simplicidade e carisma em versos

Bráulio Bessa diz tentar manter hábitos de sempre na rotina, lidar melhor com a fama ( Foto: Yago Albuquerque )
00:00 · 12.01.2018

Ainda na adolescência, Bráulio Bessa descobriu, por meio de um livro, a poesia de Patativa do Assaré (1909-2002). Com a missão de fazer uma atividade escolar, foi ao ler as palavras do poeta que sua vida se transformou. Do menino que sonhava em ter apenas duas coisas - um videogame Super Nintendo e roupas de marcas -, Bráulio passou a sonhar maior. Aos 13 anos, queria ser escritor.

> Poesia com poder transformador

Declamar poesias em rede nacional nunca foi sua pretensão. Tendo Patativa como principal influência, aquele menino de 13 anos, graças ao sucesso na tevê, conseguiu realizar seu sonho. Em 2017 lançou o livro "Poesia com Rapadura", mesmo nome do quadro que apresenta na TV - o caminho, na verdade, foi o contrário, já que o nome do livro sempre existiu dessa forma na cabeça de Bráulio.

"Defino esse livro como uma 'ruma' de sentimentos e pensamentos de um fazedor de poesia. É uma autobiografia poética. Tudo que falo aqui é o que realmente sinto e fez parte da minha construção de vida, como artista e como ser humano, mas está traduzido em forma de poesia, aí fica mais fácil as pessoas entenderem e sentirem. Estou muito feliz com essa realização", finaliza o poeta-escritor.

A escolha por uma editora cearense - no caso, a Cene Editora, de Fortaleza - partiu do próprio Bráulio. Assim, o livro foi todo produziu por mãos nordestinas, "100% made in Nordeste", brinca ele.

A fotografia da capa ficou a cargo de Igor Barbosa, amigo de Bráulio. As ilustrações, por sua vez, são assinadas pelo artista e também amigo Perron Ramos, de Caruaru. A estética remete às xilogravuras, mas são coloridas. O livro pode ser encontrado no site editoracene.Com.Br, por R$ 39,90, e em todas as livrarias do País.

Reconhecimento

A grande repercussão de seu trabalho Brasil afora, ao mesmo tempo que acolhe, assusta. "Tenho medo dessa exposição por nunca ter sonhado com isso. Mas dizer que o carinho das pessoas fortalece, fortalece", admite.

A fama, ele começou a sentir quando passou a colocar o chapéu para sair na calçada e não conseguia mais fazer isso com tranquilidade. "Em Fortaleza, há dois anos, fiz uma palestra em uma faculdade e tinha umas 15 pessoas lá. Esse ano fiz outra e tinha 4.500, não entrava mais ninguém. E isso foi o que me deu um termômetro dessa exposição", dimensiona Bráulio.

Para lidar com isso, o poeta apela para as raízes. "Tô toda semana lá em Alto Santo, com os mesmos amigos, na calçada de mamãe, comendo tapioca, merendando buchada. Não mudou nada. O que muda é quem está visitando e peço a Deus sabedoria", confessa.

Novidades

E é nesse contexto que um novo livro de Bráulio vem por aí. Previsto para o segundo semestre de 2018, a nova obra focará no poder transformador da poesia.

Bráulio explica que pediu, em sua página do Facebook, que as pessoas falassem quais poemas declamados por ele transformaram realmente suas vidas.

Foram mais de seis mil depoimentos. O escritor conta que escolherá os poemas citados e entrará em contato com os remetentes, para pedir permissão de contar suas histórias de transformação

Assim, leitores poderão, ao mesmo tempo, conhecer os poemas e a força que eles tiveram na vida de tantas pessoas. "Temos que quebrar esse mito de que poesia, literatura de cordel não é algo popular. Como não, se é o conteúdo mais assistido na plataforma da Globo", indaga Bráulio.

Na lista da Amazon, "Poesia com Rapadura" está na 21ª posição entre os livros mais vendidos no gênero poesia, ao lado de figuras como Fernando Pessoa e de clássicos como "A Divina Comédia", de Dante Alighieri, e "Odisseia" e "Ilíada", de Homero.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.