SÃO LUIZ

Tempo de inovações

02:10 · 26.03.2008
O Cine São Luiz completa 50 anos com programação especial apresentando o primeiro filme exibido na sala de cinema

O Cine São Luiz trouxe a Fortaleza várias inovações no campo do conforto e das técnicas de projeção. Foi o primeiro a ter poltronas estofadas, ar condicionado perfeito e a implantar o então revolucionário CinemaScope, com tela bem mais ampla do que a normal e o recurso do som estereofônico. Muita gente se assustou com os trovões de “O Manto Sagrado” ecoando com intensidade por toda o cinema. Para os neófitos em modernos sistemas de som, era como se a tempestade ocorresse dentro da própria sala.

Nos primeiros tempos, o São Luiz exigia para os homens, obrigatoriamente, o uso de paletó. Quanto às mulheres, elas espontaneamente se vestiam como se fossem a um grande acontecimento social nos chamados clubes elegantes, com vestidos e jóias da melhor qualidade, sobretudo nas sessões noturnas e, principalmente, na sessão de 21h30 dos domingos, quando populares se juntavam à frente do cinema para apreciar um autêntico desfile de moda.

Após o festival de inauguração, o São Luiz passou a fazer três lançamentos por semana, com cinco sessões nos dias úteis e sete aos domingos. Os lançamentos eram às segundas, quartas e sextas-feiras. Nos domingos, havia uma concorrida pré-estreia em duas matinais. Só os grandes sucessos de bilheteria demoravam uma semana ou mais em exibição.

Início do declínio

Com a crescente popularidade da televisão e, sobretudo, após o surgimento de vários centros comerciais e de lazer nos bairros de Fortaleza, a luxuosa sala exibidora da Praça do Ferreira iniciou seu processo de decadência, dando seqüência ao lamentável fechamento e demolição do Cine Moderno e à tragédia cultural representada pelo incêndio que consumiu, para sempre, o belo Majestic-Palace. O primeiro passo indicativo dessa mudança foi a abolição da exigência do uso de paletó, com o objetivo de atingir uma faixa mais popular de espectadores. Também deixaram de ser promovidos os clássicos festivais de aniversário com superproduções inéditas, que tanto sucesso obtinham, todos os anos, no final do mês de março.

Em certa época, o processo de fuga do público se acentuou tanto que o São Luiz passou a programar filmes de “kung fu” e pornochanchadas de terceira categoria, com a frustrada intenção de aumentar o número de espectadores. Isso apenas concorreu para afastar, ainda mais, seus antigos freqüentadores. Em uma única oportunidade, o imponente cinema conseguiu reunir novamente as grandes platéias de sua fase áurea: foi quando da exibição do fenômeno “Titanic”, com Leonardo DiCaprio, que conseguiu lotar os 1.300 lugares durante semanas seguidas. Nem mesmo o Cine-Ceará, agora Festival Íbero-Americano de Cinema, tem conseguido preencher todos os lugares da imensa sala como nos primeiros anos de sua realização.

Projeto elogiável

Construído para funcionar como cinema e teatro, com palco de extensa dimensão, fosso de orquestra e confortáveis camarins, o São Luiz só veio a ser utilizado como sala de espetáculos depois de funcionar como Centro Cultural Sesc-Severiano Ribeiro, após convênio firmado para evitar seu definitivo fechamento. Campanhas promovidas por cinéfilos e pela mídia fortalezense foram decisivas para que a mais tradicional sala cinematográfica da cidade continuasse a existir, não se transformando em cenário de seitas caça-níqueis, ávidas de espaços em locais de grande movimentação urbana.

Resta agora a esperança de que se materialize a intenção da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), no sentido de restituir por completo ao São Luiz sua dignidade e funcionalidade originais, institucionalizando-o, também, como local permanente para apresentações de espetáculos de música, teatro e outras manifestações culturais. Será um resgate apreciável sob todos os aspectos, pelo qual os fortalezenses e a cultura cearense ficarão penhoradamente gratos.

PROGRAMAÇÃO

14h - Audiência Pública ´São Luiz 50 anos: Foco de Resistência do Centro Urbano de Fortaleza´ - Local: Assembléia Legislativa

18h - Lançamento do projeto ´Comerciário, o cinema é seu!´ - Local: Sesc São Luiz

18h30 - Exibição do Documentário de 90 anos do Grupo de Cinemas Severiano Ribeiro - Local: Sesc São Luiz

19h - Lançamento do documentário ´O Luiz de Fortaleza - memórias de um cinema de rua´ - Local: Sesc São Luiz

20h - Exibição do filme ´Anastácia e a princesa esquecida´ - primeiro filme exibido no Cine São Luiz em 1958.

José Augusto Lopes
Repórter

O QUE ELES PENSAM

Os 50 anos do Cine São Luiz

"O Cine São Luiz é um dos grandes equipamentos culturais da cidade e um dos últimos cinemas de rua do País. Cumpre um relevante papel cultural para o Estado, possuindo uma importância afetiva para Fortaleza". (Carlosnaik Veras, Gestor cultural do Centro Cultural Sesc)

"É uma honra que no mesmo ano em que o festival está chegando à maioridade, o Cine São Luiz esteja se tornando um cinqüentão. É um privilégio que o Cine Ceará aconteça nesse palco de grandiosidade e cheio de personalidade". (Wolney Oliveira, Cineasta e organizador do Cine Ceará)

"Patrimônio histórico tombado, o Cine São Luiz precisa ser conservado. A mudança da sede da Secult para o prédio do Cine São Luiz é uma maneira de ajudarmos na sua recuperação e restauração desse espaço que está integrado a uma ação mais ampla de revitalização do Centro". (Auto Filho, Secretário de Cultura do Estado)

"Um dos mais belos cinemas do País, o Cine São Luiz é um patrimônio que deve ser preservado. Elemento máximo da cultura e história do Ceará, é importante que seja integrado ao Centro da cidade. É o templo do nosso cinema e possui um poder simbólico em relação à cultura de Fortaleza". (Rosemberg Cariry, Cineasta)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.