PRÊMIO

Talentos para a fotografia

00:58 · 18.09.2008
( )
Três profissionais da fotografia cearense ganham destaque em renomado prêmio nacional

Iluminação adequada, enquadramento perfeito, câmera na mão e um simples clique. Basta isso para que um momento seja eternizado pela fotografia. E em tempos de equipamentos digitais de fácil acesso, qualquer um pode capturar a realidade e dar a ela um novo olhar. Mas se a fotografia é hoje uma técnica mais do que difundida na nossa sociedade, não é todo mundo que consegue fazer dela uma forma de arte, uma maneira de modificar o mundo. Um ingrediente fundamental aos elementos citados acima faz toda a diferença e separa os fotógrafos de plantão daqueles que nasceram para o ofício, seja de forma amadora ou profissional: talento.

Três nomes da fotografia cearense tiveram, recentemente, o talento reconhecido por um renomado prêmio nacional da categoria, o Concurso Cultural Fotográfico Leica-Fotografe, promovido pela tradicional marca alemã de equipamentos fotográficos (referências como Sebastião Salgado e Henri Cartier-Bresson são adeptos da Leica) e pela revista Fotografe Melhor, a publicação de maior destaque no gênero na América Latina. Na sexta edição do prêmio, os fotógrafos Silas de Paula, Gustavo Pellizzon e Thiago Gaspar ganharam destaque e deram visibilidade à fotografia cearense no cenário nacional.

Ensaio fotográfico

O professor do curso de Comunicação Social, da Universidade Federal do Ceará, Silas de Paula, ganhou o prêmio na categoria Ensaio Fotográfico, composto por 10 fotos realizadas no Mercado São Sebastião, e mais uma menção honrosa na categoria P&B. “Um ensaio tem que ter unidade, contar uma história e ser entendido rapidamente. O Silas pegou um tema comum, mas difícil de fotografar, e realizou um trabalho muito bem feito. Todas as fotos foram tiradas de maneira chapada e de um ponto de vista superior”, conta Sérgio Branco, editor-chefe da Fotografe Melhor e um dos idealizadores do Prêmio

Gustavo Pellizzon, ex-repórter fotográfico do Diário do Nordeste, que trabalhou no jornal durante quatro anos, ficou em primeiro lugar na categoria Cor. Pellizzon, paulista que mora no Ceará há 15 anos, foi premiado graças a uma foto realizada no Poço da Draga. “É a foto de um varal colorido, com um sofá colorido por trás, em um casa humilde”, detalha.

“A foto tem muito a ver com meu trabalho, que procura revelar o cotidiano da periferia. Um povo muito colorido, cheio de força e auto-estima, mesmo com tantas adversidades. Procuro mostrar o lado positivo e contar pequenas histórias urbanas de como as pessoas tentam levar a vida”, explica. “O prêmio é entregue pela maior publicação de fotografia do País e ganhá-lo dá uma visibilidade ao meu trabalho, ainda mais porque não estamos no eixo Rio-São Paulo”, acredita Gustavo Pellizzon.

Um dos prêmio dado aos ganhadores foi participar e expor as fotografias selecionadas no Festival Internacional de Fotografia de Paraty em Foco, realizado de 10 a 14 de setembro, em Paraty. “Foi um momento de troca”, empolga-se Gustavo. “A cidade inteira parou para pensar fotografia e pude fazer contatos e apresentar meu trabalho para importantes profissionais do mundo todo. Chegar como premiado, então, foi incrível”, anima-se.

Menção honrosa

Thiago Gaspar, repórter fotográfico do Diário do Nordeste , foi agraciado com uma menção honrosa na categoria P&B. Natural de Florianópolis, Gaspar mora em Fortaleza há oito anos e trabalha no Diário do Nordeste há três. “Mandei quatro fotos para o prêmio: duas na categoria P&B e outras duas para Cor. A foto que recebeu menção honrosa foi a de um pai segurando um bebê recém-nascido”, descreve. “Ela foi tirada durante o nascer do dia, na praia de Canoa Quebrada, quando estava fazendo uma pauta sobre o litoral cearense”.

“Além do cenário, a foto mostra uma relação de carinho e afeto entre pai e filho. Coincidência ou não, ela mostra uma ligação entre o homem e a natureza, da mesma forma que outra fotografia minha premiada [em 2007, no Nikon Contest, prêmio internacional que selecionou 57 premiados entre 47 mil inscritos]”, traça um paralelo. “O que me incentivou a participar do concurso foi o nível do prêmio e uma característica mais artística da premiação, preocupada mais com a forma do que com o conteúdo das fotografias”.

INSCRIÇÕES

9 mil fotos. Essa é a quantidade de fotos recebidas pela produção da 6ª edição do Concurso Cultural Fotográfico Leica-Fotografe, totalizando mais de 2 mil fotógrafos disputando o prêmio.

Revelando o Brasil através de fotos

O Concurso Cultural Fotográfico Leica-Fotografe já acontece desde 2003 e é dividido em três categorias (Ensaio Fotográfico e fotografias em Cor e P&B). O tema é fixo, a Cena Brasileira, e possibilita a fotógrafos, profissionais e amadores, inscrever trabalhos inéditos dentro de um amplo campo criativo. “A intenção é valorizar imagens do território nacional que vão do Oiapoque ao Chuí, bem como os profissionais de todo o Brasil, não apenas no eixo Rio-São Paulo”, conta Sérgio Branco, editor-chefe da Fotografe Melhor e um dos idealizadores do prêmio.

A intenção é mostrar o Brasil e sua gente através de imagens de paisagens, fauna e flora do País. Manifestações folclóricas, culturais, religiosas, artísticas, sociais e esportivas também fazem parte do leque de fotografias recebidas pelos organizadores do prêmio e submetidas a uma comissão julgadora formada por representantes da revista Fotografe Melhor e fotógrafos profissionais.

“Não julgamos nomes, mas trabalhos. Temos como objetivo descobrir novos talentos nacionais, sem nenhum tipo de bairrismo ou panelinha”, revela Sérgio. “Selecionamos e premiamos fotos que falam por si, que tenham impacto e que comunicam imediatamente”, enfatiza. “Pode ser um clichê, mas é verdade, uma foto vale mais do que mil palavras”.

Esse ano, foram mais de 9 mil fotos inscritas, totalizando cerca de 2.200 fotógrafos participando do concurso. Dessas, uma média de 20% chegou às mãos da Comissão Julgadora, composta por sete pessoas. O resultado foram três premiações na categoria Cor, mais três P&B e 10 fotos na categoria Ensaio, além de mais 14 menções honrosas: sete na categoria Cor e sete, P&B. Todas as fotos participaram de uma exposição na última edição do Festival Internacional de Fotografia de Paraty, que aconteceu entre 10 e 14, agora, de setembro. (FF)

PREMIADOS

Categoria P&B

1ºlugar: Domingos Martins Costa, Porto Alegre (RS)
2ºlugar: Luciana Cattani, São Paulo (SP)
3º lugar: Jean Lopes, Assu (RN)

Categoria Cor

1º lugar: Gustavo Pellizzon, Fortaleza (CE)
2º lugar: Marcelo Oliveira, Porto Alegre (RS)
3º lugar: Daniel Cerqueira, Belo Horizonte (MG)

Categoria Ensaio

Silas de Paula, Fortaleza (CE)

FÁBIO FREIRE
Repórter

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.