Secult/Porto Iracema

Pelo experimento da imagem

00:00 · 12.06.2018 por Felipe Gurgel - Repórter
Image-0-Artigo-2412400-1
Prática de fotopintura: a atividade, e sua atualização para a cultura digital, é tema do primeiro curso do Fotopoéticas, conduzido pelo mestre Júlio dos Santos

Nesta terça (12), às 19h, a Secretaria da Cultura do Ceará (Secult), em parceria com a Escola Porto Iracema das Artes, lança o programa de experimentações fotográficas "Fotopoéticas". Idealizado e coordenado pelas fotógrafas Iana Soares e Angela Ferreira, o Fotopoéticas vai abarcar cursos, residências, workshops e seminários. O foco teórico da formação inclui a fotografia e suas fronteiras flexíveis, em relação às demais linguagens artísticas, como a música, a literatura e o cinema.

O evento de lançamento é aberto ao público e acontecerá na sede do Porto Iracema (Praia de Iracema). Segundo Iana Soares, a parceria com Angela Ferreira se volta à necessidade de se pensar um "plano estratégico para a fotografia no Ceará".

"É como se o Porto, nesse momento, acolhesse e desse mais visibilidade à fotografia como linguagem. Antes, a fotografia era muito vinculada às artes visuais. Esse programa junta as outras artes para esse diálogo", complementa Iana.

Para a portuguesa Angela Ferreira (também curadora, com experiência em festivais de fotografia pelo mundo), a iniciativa é inspirada pensando, ainda, na vocação dos vários equipamentos ligados à fotografia no Ceará (a exemplo do Museu da Fotografia Fortaleza e a Travessa da Imagem).

"Percebemos que (considerando) desde o autor amador, até o pensamento de um artista consagrado, a fotografia segue um caminho, a partir de micro e macro políticas. As áreas que dialogam com a fotografia (música, literatura, cinema) nos ajudam a pensar o que é a imagem hoje. O programa tem importância nesse sentido", observa Angela Ferreira.

Para Iana Soares, cearense, "o Ceará é uma terra de fotógrafos. Seja os que fazem trabalhos mais documentais, ou os mais inseridos no contexto contemporâneo, de forte experimentação. E a fotografia está sempre muito ligada a outras artes".

A fotógrafa local enfatiza que não se trata do "caso de criar uma 'ilha' para falar de fotografia". "A gente não está reduzindo a fotografia ao meio, ao instrumento. (É preciso) entender que existem questões inerentes ao meio fotográfico, e que se potencializam com as outras artes", reforça Iana.

Início

O programa busca criar produtos visuais para integrar a programação do Festival Internacional de Fotografia, previsto para ser realizado em dezembro deste ano.

O primeiro curso teve início ontem (11), com a realização do percurso "Fotopintura Digital", conduzido pelo mestre Júlio dos Santos. A atividade tem duração de 90h/aula; e segue até 27 de agosto. Durante o curso, Júlio mostra o conceito de fotopintura e como essa prática se adaptou à cultura digital. "Ele é um 'mestre' mesmo, nesse sentido, e há um diálogo entre o tradicional e o contemporâneo", esclarece Iana.

Diálogo

À frente da coordenação do programa, a fotógrafa Angela Ferreira se apresenta, também, como artista, curadora e pesquisadora.

A portuguesa costuma assinar como "Berlinde". É doutora em Comunicação Visual e Expressão Plástica; mestre em Fotografia e Novas Tecnologias. Hoje, Angela Ferreira atua como professora do Instituto Politécnico do Porto (Portugal), com olhar especializado para as "formas híbridas de fotografia".

Na capital cearense, ela integra o conselho de curadores do Museu da Fotografia Fortaleza. "A Angela traz essa visão global, internacional, vinculada a uma experiência com a fotografia pelos festivais, em contato com outros países e a formação em Portugal. E ela já tem contato com a cena de fotografia daqui (do Ceará) há 10 anos", situa Iana.

Além de fotógrafa, Iana Soares é jornalista, com atuação na imprensa local, fez mestrado em Criação Artística Contemporânea pela Faculdade de Belas Artes de Barcelona (Espanha). Atualmente, ela leciona na escola de fotografia da Travessa da Imagem e é vice-presidente do Instituto da Fotografia (Ifoto).

Para a cearense, sua formação no contexto local se complementa à experiência internacional de Angela Ferreira e "Fortaleza se coloca em pleno diálogo com o que está acontecendo no mundo (em termos de fotografia). É interessante a gente entender esse movimento", acrescenta.

Mais informações:

Abertura do programa Fotopóeticas. Nesta terça (12), às 19h, na sala A5 da Escola Porto Iracema das Artes (Rua Dragão do Mar, 160, Praia de Iracema). Acesso gratuito. Contato: (85) 3219.5865 - portoiracemadasartes.org.br

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.