Encontro

Vila das Artes promove Conversa de Academia com o bailarino cearense Alysson Amancio

Alysson Amancio irá dialogar e debater sobre os desafios e perspectivas da dança no interior do Estado

08:40 · 10.09.2018
Alysson Amancio
Espetáculo Alafia da Cia Alysson Amancio. ( Foto: Souza Junior )

A Escola Pública de Dança da Vila das Artes realiza mais uma edição do programa Conversa de Academia. O convidado deste mês é o bailarino e professor da Universidade Regional do Cariri (Urca) Alysson Amancio, que abordará os desafios e perspectivas da dança no interior do Estado, na próxima segunda-feira (10/09). O evento é aberto ao público e gratuito.

Alysson é mestre em Artes Cênicas no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRN, além de doutorando em Artes na Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Há 12 anos, retornou ao Cariri e desde então, através da Associação Dança Cariri e da Cia Alysson Amancio, vem desenvolvendo trabalhos e ações que fomentam o ensino, pesquisa, criação, formação profissional e circulação da dança.  

“Essa pluralidade de atividades, o intercâmbio com artistas e profissionais da dança de diversos estados do país, tem feito a nossa dança cada vez mais potencializadora, pensamos em pensar/fazer dança para o mundo, não é por que é do interior, que é inferior. Os corpos, a capacidade de reflexão, produção e criação artística estão cada vez mais fortes ao longo dessa última década e isso é irrefutável”, afirma o bailarino.

Conversa

O encontro na Vila das Artes consiste em um momento dedicado ao diálogo e debate sobre a pesquisa de Alysson, que trata da cena da dança no interior do Ceará. Segundo ele, o incentivo para o desenvolvimento de projetos artísticos ainda é inexpressivo, especialmente em relação à Capital.  

“As políticas pensadas para a dança,embora tentem construir ações para o interior, ainda são insuficientes ou chegam sem o diálogo e as necessidades reais de cada ambiente. O Ceará é um estado de 184 municípios, são mais de nove milhões de habitantes, as políticas públicas não podem mais ser pensadas apenas para Fortaleza. O Discurso se diz descentralizador, mas a prática não é”, diz Alysson.

O artista ainda faz um apelo à importância do incentivo do Estado para a continuidade de seu trabalho no interior do Estado. “Creio que se faz urgente, que a Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, através dos seus diversos projetos e equipamentos, possam direcionar ações pensadas e dialogadas com os artistas da dança do Cariri. Pela falta de apoio, este movimento pode ser extinto, pois a Associação Dança Cariri não consegue ampliar ações sozinha pela falta de recursos”, conclui.

Mais informações

Conversa de Academia com Alysson Amancio. Nesta segunda-feira (10), às 19h. Na Escola Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro). Gratuito. Contato: (85) 3252.1444

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.