LEITORAS

O olhar delas

00:15 · 21.09.2008
( )
É começar e não mais parar. O Caderno 3 conversou com duas leitoras que há muito se habituaram a ter os ´romances sentimentais´ em seu dia-a-dia. Elas destacam os motivos para seguir acompanhando os livrinhos, apesar das telenovelas

Leitoras como Vitória Sousa, auxiliar administrativa, que conheceu os livrinhos pro volta de 1998, por indicação de uma pessoa próxima. ´Era uma amiga do colégio que lia, e me emprestou um. Não lembro qual foi o primeiro que eu li, mas a partir daí comecei a ler bastante´, conta. ´Por ser uma história romântica, prende muito a atenção. Acho que tem que ser romântica, pra gostar desses livros. Pelo menos eu me acho romântica´.

Vitória não aponta um autor preferido, mas tem predileção por uma das séries que freqüentam as bancas. ´Eu, particularmente, gosto mais do ´Clássicos Históricos´, porque conta histórias de outras épocas. Eles descrevem as roupas, os costumes, falam de outros países, o modo como essas pesosas vivem´. E quanto à disposição para encarar os livros, mesmo tendo romantismo de sobra ao alcance do controle remoto, nas telenovelas? ´Acho que é diferente. Gosto dos dois. Mas o livro você pode ler onde quiser. A novela, tem que ficar em casa. Então, minha preferência é pela leitura´, diz, citando entre outros autores que costuma ler Agatha Christie e Sidney Sheldon. ´Sempre eu tô lendo´.

A figura feminina, exposta nos livros, é vista com ressalvas por Vitória. ´O livro é mais um conto de fadas, com a mulher pobre, geralmente encontrando um marido rico. Acho que a mulher, hoje em dia, já não é mais tão sonhadora quanto as protagonistas que estão ali´, diferencia. ´Hoje as mulheres são mais práticas, digamos. Já não sonham tanto´.

´Uma leitura amena´

A auxiliar de escritório Marilena Coelho, por sua vez, aponta que nem sempre as protagonistas dos romances sentimentais são tão ingênuas quanto se pode crer. ´Elas têm realmente esse parâmetro, de o homem ter vantagem no sentido financeira. Mas já peguei série em que a mulher não tem esse glamour todo não´, conta. ´Comecei a gostar desses livros muito cedo, porque desde que me entendia por gente já gostava de leitura. Os romances eu intercalo. São uma leitura mais amena´, avalia, lembrando a série ´Fascinação´ como a primeira que leu. ´Aí pronto, comecei ´Sabrina´, ´Júlia´ e ´Bianca´. A Bianca tinha muitas histórias de hospital, enfermeira. Alguém tinha que trabalhar num hospital. Lembro também dos livros da Barbara Cartland´, detalha.

´São livros bons pra você passar o tempo. E tem coisas que hoje em dia é muito difícil você encontrar, só nos romances mesmo´, acrescenta Marilena, que gosta de ler, entre outros autores, Machado de Assis. E não rebate a crítica aos romances ´água-com-açúcar´. ´Eles realmente têm essa tendência mesmo. Mas são ótimos pra você ler no dia-a-dia, numa fila de banco, em situaçõe que não dá pra você querer ler uma coisa mais didática´.

DALWTON MOURA
Repórter


© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.