Ensaio

O Impressionismo e o momento histórico de sua produção

Uma invenção industrial permitiu o surgimento do Impressionismo e a criação artística ao ar livre

00:00 · 19.10.2014
IMPRESSIONISMO
Claude Monet: "Impressão: nascer do sol", óleo sobre tela. Pintada em 1872, é a obra que implica o marco inicial do movimento impressionista; veja-se o jogo de luz

A criação da técnica da pintura ao óleo foi atribuída, pelos historiadores de Arte, ao artista flamengo Jan Van Eyck (1390-1441). O método utilizado pelo artista consistia em misturar os pigmentos no óleo, indo além, Van Eyck produziu um tipo de verniz estável, e conservou o segredo da receita de fabricação até a sua morte. É notório que o processo de fabricação da pintura a óleo era conhecido pelo monge alemão Théophilus, autor do tratado De diversis artibus no Século XIII, no qual ele relata conhecimentos a respeito da fabricação particular das cores.

A gênese

As descobertas das grutas contendo afrescos na cidade afegã Bamiyan no ano 2008 trouxeram a luz sobre obras de Arte, tentando de recuperar e de salvar o que for possível nessa cidade antiga, tão ferida pelos numerosos anos de guerra, mas também pelo fanatismo dos talibãs que destruiram muitas obras-mestre, notadamente inúmeras estatuas de Buddha. Esses afrescos representando criaturas míticas, são da primeira metade do século 7 segundo a datação feita a partir de amostras analisadas pelo museu norte americano Paul Getty da cidade de Los Angeles, na Califórnia usando a cromatografia gasosa, e essa descoberta faz dos afrescos as mais antigas pinturas ao oleo do mundo. De primo abordo, Senhora Yoko Taniguchi (perita no instituto nacional japonês de pesquisa sobre os bens culturais) pensava admirar pinturas italianas medievais dos séculos 14 ou 15 em razão dos diferentes tipos de óleos usados e que precisaram uma técnica tão elaborada para serem confeccionadas. Os dois inventores do tubo impermeável de tinta foram John Goffe Rand em 1841 e Alexandre Lefranc em 1859, ambos inspiraram-se de Nicolas Appert que inventou o processo de esterilização quente dos recipientes hermeticamente fechados no ano 1795, mais conhecido sob o nome de apertização. O tubo desenhado e desenvolvido por John Goffe Rand era de metal compactável e hermeticamente fechado por meio de uma pince, enquanto aquele criado por Alexandre Lefranc é o antepassado do tubo com tampa enroscada.

Vendedores de cores

Os pintores preparavam as suas cores usando vários ingredientes como arsênico, pedras semipreciosas, múmias moídas e sangue de dragão, pigmento feito de uma árvore do Sudeste Asiático, no qual sua cor vermelho-sangue era muito popular no mundo antigo. A preparação dessas cores era caprichada e exigia tempo, então, quando os artistas começaram a viajar, os atéliês dos especialistas em cores foram sumindo gradativamente em beneficio das academias de Artes. Esse fato fez com que os mestres-pintores perdessem grande parte de seus aprendizes, para repassar as concepções de moer pigmentos e juntá-los aos fichários.

Desse modo, pintores como Chardin (1699-1779) decidiram confiar a elaboração dessas cores a um mercador, Charles de Laclef, que tinha o seu comércio de pigmentos e especiarias no bairro Saint-Germain, fazendo nascer a indústria das belas-artes com a colaboração dos artistas e vendedores de cores.

Os paisagistas

Paisagistas e impressionistas foram tão seduzidos por essa invenção, que ambos desenvolveram uma nova técnica de pintura a óleo, a alla prima. O método eficaz permite que a primeira camada seja utilizada tanto pelos artistas impressionistas quanto pelos pontilhistas, fauvistas e expressionistas, para render cor e luz de uma só vez. Mas como a base de branco e prata continha chumbo os pintores, e principalmente os impressionistas, tinham que diluir suas tintas com solvente, pois usando fundos muitos absorventes, causava o problema devido a falta de verniz das obras que eram assim criadas, e os telas escureciam rapidamente em razão do enxofre encontrado no ar e do branco de prata que era o único branco opaco disponível então. Apesar da imperfeição, até os dias de hoje essas obras-mestres impressionistas, admiradas em todo o mundo, pois conseguiram a capturar a luz externa pela justaposição das cores.

 O  batismo 

A obra artística de Claude Monet ainda não desvendou todos os seus segredos, quando ela foi feita? Em 1872 ou 1873? Qual é o verdadeiro desenho, sol nascente ou poente? O que aconteceu com a obra depois da primeira amostra no ateliê de Charles Nadar em 1874?

O mestre que inspirou Monet é Eugène Boudin, por sua obra Na praia, de 1860. Como se vê no quadro de Monet, tendo a assinatura do artista (Claude Monet 72) como testemunha, temos certeza de que foi pintado em 1872. Estudos meteorológicos mostram que, nessa, o sol é nascente e o mar está alto.

Por essa hipótese, seis datas são possíveis: 21 ou 22 de janeiro de 1872 às 8h10, 13 ou 15 de novembro de 1872 às 7h35, e 25, 26 de janeiro de 1873 às 8h05, mas, em virtude do vento que vem do leste, a data mais provável, inscrita por Monet, é o dia 13 de novembro de 1872 às 7h35. No mais, tudo são cores.

Saiba Mais

BALZI, Juan Jose. O impressionismo. São Paulo: Claridade, 2010

DOMINIQUE, Lobstein. Impressionismo. São Paulo: L&PM, 2011

REWALD, John. História do impressionismo. São Paulo: Martins Fontes, 1991

Frank Zaoui
Especial para o Ler

Do Curso de Letras da Uece

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.