VÍDEO

Mostra a tua cara

02:58 · 30.01.2011
( )
Curta-metragem de diretor cearense, "Lampião"migra das telas de cinema para a série de TV "Por que a gente é assim?". Outros 21 curtas serão exibidos pelo projeto, no Canal Futura

Lampião. Esse é o título do curta documental do diretor cearense Ythallo Rodrigues, produzido a partir de apresentações do grupo de teatro Bagaceira, que foi selecionado para série de TV "Por que a gente é assim?", da produtora carioca Matizar/99.

Além de "Lampião", a previsão é de que, a partir do início de fevereiro, o Canal Futura exiba outros 21 curtas-metragens brasileiros, divididos em seis programas. A produção cearense se passa nas duas maiores cidades do Cariri, Juazeiro do Norte e Crato, e usou como locação as próprias ruas das terra dos devotos Padre Cícero.

No documentário de Rodrigues, história contada em 22 minutos, o ambulante Lampião, um sujeito minuciosamente vestido de cangaceiro, caminha pelo centro de Juazeiro, empurrando um carrinho com alto-falante e microfone anunciando produtos e lojas varejistas.

"Acompanhamos o ´homem-mídia´ que nos ajudou a falar sobre o tema do consumo. Enquanto faz sua propaganda, Lampião interage com transeuntes, canta e dança ao som das músicas que coloca em seu veículo. Tudo com muita irreverência e criatividade", ressalta o diretor. As filmagens do curta-metragem foram realizadas em locais de grande fluxo comercial, nas manhãs de sábado, tanto no centro de Juazeiro, como na também popular Feira do Crato.

Outros projetos

Além da série "Por que a gente é assim?", que será exibida na Canal Futura, outras ações integram o projeto da Matizar/99, entre eles, a construção de uma plataforma digital e a realização de apresentações de teatro em espaços urbanos. De acordo com os organizadores, o objetivo é discutir temas relevantes e polêmicos, como educação, sexo, fé, preconceito, consumo e autoridade. Nesse processo, diversos estados, de todas as regiões do Brasil, enviaram trabalhos para seleção.

Os temas abordados e trabalhados na linguagem dos curtas-metragens selecionados serão aproveitados em mais duas etapas distintas do projeto: divulgação por meio de website, redes sociais e apresentações de teatro nas ruas de diversas cidades do Brasil.

O projeto de "Por que a gente não é assim?" é dividido em três frentes: série de TV, website e exibições de teatro nas ruas de diferentes cidades do Brasil. Com a proposta de brincar com o nome do projeto, "Porque a gente não é assim?", o Bagaceira realizará apresentações a partir do dia 17 de fevereiro, em diferentes pontos da Capital: Praça Portugal, no calçadão do Theatro José de Alencar, e na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

A parte que será exibida na TV é composta por seis programas, com 26 minutos de duração cada. Os curtas, realizados por produtores de cinema e vídeos de todo o Brasil, buscam traduzir a diversidade regionais do País. Além de Ythallo Rodrigues, outros realizadores são Cavi Borges e Leonardo Kopke (RJ); Kleber Bechara (AM); Thiago Bríglia (RO); e Louise Ganz e Ines Link (MG), realizaram curtas-metragens a serem exibidos também a partir de fevereiro.

Já a edição de conteúdo digital, de Leonardo Pimentel, coordenação editorial de Arthur Dapieve, e edição de conteúdo de Leonardo Pimentel, virá em um site com uma equipe de blogueiros. A página é um fórum permanente e interativo para discutir as opções morais do dia a dia do brasileiro. A ideia é provocar o internauta a refletir sobre os temas, dar a sua opinião e contribuir com a discussão, compartilhando experiências pessoais, segundo a direção do projeto.

No teatro, cinco companhias de rua farão apresentações em suas respectivas regiões. Em "Por que a gente é assim?", a ideia é organizar debates e apresentações de teatro na rua. Entre os participantes estarão, também, os grupos "Artetetude", de Brasília (DF) e "Timbre de Galo", de Passo Fundo (RS).

Um conselho consultivo multidisciplinar foi criado para ajudar na criação de pautas e análise de conteúdo do projeto. Entre eles, estão a atriz Camila Pitanga; a coordenadora do núcleo audiovisual "Nós do Morro", Luciana Bezerra; a antropóloga Regina Novaes; o cientista social, Alberto Carlos de Almeida; o urbanista Mozart Vitor Serra; e o sociólogo e coordenador do Observatório das Favelas, Jailson de Souza. A direção editorial do projeto é do jornalista Arthur Dapieve.

Audiovisual

A realizadora do "Por que a gente é assim? é a Matizar, produtora audiovisual dedicada à pesquisa e ao desenvolvimento de conteúdo para cinema, televisão e plataformas digitais. Em parceria com a Matizar, a NOVENOVE, atua na parte digital criando formatos transmídia, com o objetivo de promover experiências úteis e simples para o usuário produzir e consumir conteúdo.

MAIS INFORMAÇÕES

Projeto da web:

Conheça a programação do projeto em http://www.porqueagenteeassim.com.br. Exibições em fevereiro, no Canal Futura.

NATERCIA ROCHA
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.