Arte

Mitologia e gênero no teatro

Atividades da I Bienal Internacional de Teatro do Ceará (BITCE) chegam a Fortaleza nesta segunda-feira (3) e seguem até quarta (5), gratuitamente

Espetáculo "Medeia Material", com Diana Peñalver, de Caracas, uma das atrações da Bienal
00:00 · 03.09.2018 por Roberta Souza - Repórter

A cada dois anos Fortaleza recebe uma Bienal de Dança ou de Literatura, mas a de Teatro ainda era apenas um projeto, até a atriz e pesquisadora Rejane Reinaldo decidir executá-lo. Este ano, a BITCE chega a sua segunda etapa, já que a primeira aconteceu em novembro de 2017, contemplando Espanha e Brasil com 57 apresentações durante dez dias. Após viajarem por Sobral e Juazeiro do Norte desde o último dia 28 de agosto, os espetáculos e discussões chegam à capital nesta segunda-feira (3), onde cumprem agenda até quarta (5) nos palcos do Theatro José de Alencar.

As obras convidadas para o festival foram escolhidas a partir do tema "Teatro, Mito e Feminino: Conexões", como explica a coordenadora geral. Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia (UFBA) com a tese "Pentesileia, a rainha das Amazonas - travessias de uma personagem", Rejane tirou fôlego dessa pesquisa para, junto a outras mulheres, desdobrar-se na organização da bienal de teatro.

Para fazê-la, contou com um orçamento de pouco mais de R$ 300 mil, viabilizado por meio de patrocínio do Ministério da Cultura e Governo Federal, Atacadão e Banco do Nordeste. "Essa primeira edição é estruturada em solos para reunir mulheres criadoras, atrizes, diretoras, professoras de universidade, que têm como unidade essa ideia do feminino, teatro e mitologia. Reunimos direção, processo criativo e processo pedagógico num só evento", destaca a coordenadora.

À frente da curadoria, estão profissionais da Amazônia, Bahia, Minas Gerais, França e Itália, que indicaram obras de acordo com afinidades, e não pelo processo de convocatória. Essa metodologia deve permanecer em outras edições, assim como a estruturação a partir de temáticas específicas.

Espetáculos

A abertura da segunda etapa da BITCE em Fortaleza será marcada pela apresentação do espetáculo "Pentesileia, treinamento para a batalha final", primeira montagem no Brasil de obra da dramaturga italiana Lina Prosa. A peça marca os 80 anos da atriz Maria Esmeralda Forte, que contracena com Antonio Salvador em narrativa inspirada no mito das amazonas atualizando questões do feminino.

tabela

Mais informações:

I Bienal Internacional de Teatro em Fortaleza. De 3 a 5 de setembro, no Theatro José de Alencar (R. Liberato Barroso, 525, Centro). Gratuito. Inscrições em ações formativas pelo bienaldeteatrodoceara@gmail.com

FIQUE POR DENTRO

BITCE terá Seminário no encerramento

Como parte da programação da I Bienal Internacional de Teatro do Ceará, no dia 5 de setembro, das 14h às 17h, o Theatro José de Alencar recebe o Seminário Teatro, Mito e Feminino: conexões, com a participação de Humberto Cunha (Unifor), que falará sobre "Justiça: substantivo feminino. Lições da Trilogia Tebana", e Rejane Reinaldo (Ponto de Cultura Escola Livre Teatro da Boca Rica), que apresenta ao público "Pentesileia, a rainha das Amazonas". Participa do encontro, via internet, o professor Thiago Arraes (IFCE).

O advogado e professor Humberto Cunha adianta um pouco de sua participação: "A trilogia tebana é composta por três peças de Sófocles. Édipo Rei, Édipo em Colono e Antígona. Nessas peças há julgamentos sociais, políticos, metafísicos, dos quais resultam consequências muito fortes para mulheres, geralmente vítimas dos resultados desses julgamentos", conta o professor.

"O público, no final das contas, têm certeza de que elas foram injustiçadas. Fica a lição de que há uma diferença entre o direito posto e o direito que corresponde a ideia de justiça. Embora a mulher no mundo helênico tivesse posição política secundaria, no imaginário dos poetas (teatrólogos), ela tinha um papel importante", conclui.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.