Lançamento

Luizinho Ferreira: Memórias de um fotógrafo

Ao contar sua vida, Luizinho Ferreira traz em seu livro momentos históricos acontecidos no País e em Fortaleza

00:00 · 15.03.2018
Luizinho Ferreira
Luizinho Ferreira: nova edição do livro traz registros do período entre 1977 a 1989, com material sobre a vida universitária e boêmia da cidade, acontecimentos políticos, sociais e do cotidiano da cidade

Fatos históricos, fotografias e desenhos fazem parte do livro "Quando éramos felizes... Nem tanto" do fotógrafo Luizinho Ferreira, que será lançado nesta quinta-feira (15), às 15h, no Jardim da reitoria da Universidade Federal do Ceará. O evento, que contará com a presença do autor, será acompanhado de samba ao vivo.

O livro, em sua segunda edição, chegou às livrarias em 2014, em uma versão mais resumida. Agora, em 2018, Luizinho imprimiu, com recursos próprios, 500 exemplares da obra - dessa vez com mais fotografias e desenhos assinados por Damião Lopes.

O livro mistura histórias de vividas por Luizinho, perpassando um relato biográfico e momentos históricos do País e de algumas instituições do Ceará. A obra traz fatos do período entre 1977 a 1989.

"Escrevo sobre um passado recente. Falo da Unifor, dos movimentos estudantis, shows na concha acústica da UFC. Também mostro um pouco dos congressos que fui na Bahia e Ouro Preto. Mostro o movimento das "Diretas Já" daqui e em São Paulo", explica Luizinho.

Na ocasião o livro será vendido pelo valor de 30 reais e também pode ser encontrado em algumas livrarias da cidade, postos de gasolina e em bares, já que o artista fotografa muitos esses lugares e traz a boemia de Fortaleza para dentro de sua obra.

Detalhes

O título, "Quando éramos felizes... Nem tanto", explica o fotógrafo, "quem deu foi Oswald Barroso (jornalista). Todo mundo diz que antigamente as coisas eram boas, mas não é assim, também tinha coisas ruins", pontua o fotógrafo.

Com 208 páginas, o livro é separado por 64 capítulos que mesclam textos e fotos sobre os momentos descritos. A capa é de responsabilidade de Etevaldo Gomes, que juntou em um único espaço diversos fatos da história cearense captadas pelas lentes de Luizinho Ferreira.

Os bares frequentados pela juventude universitária da época são tratados com carinho pelo artista das lentes. O bar Quina Azul, o Bar das Letras, a Cantina do Seu Milton e o Bar do Tuíta são alguns dos lugares mostrados.

O forró na quadra do Clube dos Estudantes Universitários - a quadra do Ceu, da UFC - e o show do Raimundo Fagner, acontecido nesse mesmo espaço, em 1982 também viraram capítulos inteiros do livro.

Os encontros dos movimentos estudantis, o restaurante universitário e as residências da UFC são comentadas e tiveram seus registro feitos pela Olympus OM-1, a máquina fotográfica que dava dinheiro para o até então estudante.

Nascido em Floriano, Piauí, Luizinho Ferreira se formou em História pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mas a faculdade lhe formou mesmo como fotógrafo, que além de ser uma paixão lhe ajudava a ganhar algum dinheiro.

No capítulo em que acontece sua formatura, o autor fala: "Agora já era graduado em História. A coisa não mudou muito não. Continuava desempregado e quase todos os dias ia para a UFC, porque lá conseguia trabalhos de fotografia". "Fotografava o pessoal da comunicação, da arquitetura, fazia fotos dos alunos e depois vendia para eles, era assim que eu ganhava algum dinheiro com a fotografia", afirma Luizinho.

Fortaleza é muito retratada na obra e isso mostra a paixão do fotógrafo piauiense pela terra do Sol. No livro, Luizinho faz sua ode à capital cearense. "Continuo andando e amando esta cidade que adotei como minha. Fortaleza é linda, porém muito maltratada".

"Tenho um acervo muito grande, como fotos de Patativa do Assaré e de vários momentos vividos por Fortaleza. Está tudo aqui gravado. Registrei muito a universidade, nasci para fotografar", conclui.

Com esse grande acervo o fotógrafo já recebeu ofertas de compras de suas imagens por parte das universidades e revelou que pretende fazer uma biografia do poeta Patativa do Assaré, já que foi uma das figuras que encantaram suas lentes.

Quando eramos felizes... nem tanto

Mais informações:

Lançamento do livro "Quando Éramos Felizes... Nem Tanto". Hoje (15), às 15h. No jardim da reitoria da UFC (Avenida da Universidade, 2853, Benfica). Gratuito.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.