Exposição

Gênese de ´Guerra´ e ´Paz´

01:18 · 24.10.2012
Espaço Cultural Unifor recebe 50 estudos do artista Candido Portinari para as obras-primas da ONU

Na obra dos grandes artistas, o processo da criação pode ser tão rico quanto seu resultado final. É o que se poderá ver, a partir de amanhã, na Universidade de Fortaleza (Unifor). A exposição "Guerra e Paz, de Portinari (estudos)" será aberta, dia 25, às 20 horas, no Espaço Cultural Unifor.

A morte se abate sobre os homens, em estudo do artista Candido Portinari para o painel "Guerra"


"Guerra e Paz" reúne cerca de 50 estudos preparatórios (entre desenhos e maquetes), realizados por Candido Portinari (1903 - 1962), no processo de criação dos painéis "Guerra" e "Paz" (1956), além de documentos, fotografias, recortes de jornal dos anos 1950 e vídeos. Os estudos foram realizados a partir de 1952, quando o artista começou a trabalhar nas obras, encomendadas pelo governo brasileiro para presentear a Organização das Nações Unidas. Os painéis são expostos na sede da ONU, em Nova York.

Nas obras, horror e redenção, angústia e alívio se opõem na estética geométrica e dramática de Portinari. No Espaço Cultural Unifor, o público terá a oportunidade de admirar, em detalhes, os movimentos, as expressões faciais e fragmentos de cenas que viriam a compor os célebres painéis.

"Guerra" e "Paz": obras de imensas proporções, os painéis levaram quatro anos para serem produzidos. Portinari deixou 180 estudos preparatórios para as pinturas, as principais obras-primas do acervo da sede da ONU em Nova York


Fase final

Durante quatro anos, Candido Portinari produziu aqueles que seriam seus dois últimos e maiores trabalhos artísticos. Os murais "Guerra" e "Paz" possuem, aproximadamente, 14 metros de altura por 10 de largura. As obras renderam ao artista o prêmio da Solomon Guggenheim Foundation de Nova York.

Em 2007, 55 anos depois do início dos trabalhos de Portinari, a ONU anunciou uma grande reforma em sua sede, com início em 2010 e término apenas em 2014. Foi assim que, após três anos de articulações, o Projeto Portinari, em parceria com o Governo Federal, instituições internacionais e empresas estatais e privadas, conseguiu trazer os painéis para o Brasil e manter a posse deles pelo período da reforma da sede da ONU.

Estudos de Candido Portinari para os painéis presenteados pelo governo brasileiro às Nações Unidas. Em tempos de paz, o artista imaginou cenas do cotidiano brasileiro, com crianças brincando sob o Sol


Panorama

O pesquisador João Cândido Portinari, filho do pintor e fundador do Projeto Portinari, estará em Fortaleza para a abertura da exposição de estudos de "Guerra" e "Paz". Antes da cerimônia de lançamento, às 10 horas, ele ministra palestra, aberta ao público, na qual repassa a vida e obra de seu pai, além de destacar os 33 anos do Projeto.

Através dele, João Cândido reuniu um dos mais importantes arquivos multimídia existentes sobre a história e a cultura brasileira do século XX. O Projeto já catalogou mais de 5,4 mil pinturas, desenhos e gravuras, além de mais de 25 mil documentos sobre sua vida e obra.

Confira vídeo



Grandiosidade

Portinari foi um dos grandes nomes do modernismo brasileiro. Sua obra ficou famosa por retratar a cultura brasileira e as desigualdades nacionais. Artista versátil, deixou uma variedade de obras que vão desde pequenos esboços até grandiosos painéis.

O convite para elaborar "Guerra" e "Paz" chegou ao artista quando já havia sido alertado pelos médicos do risco de uma intoxicação pelas tintas. Mesmo assim, Portinari aceitou. Durante quatro anos, o pintor teria como ateliê o auditório dos estúdios da extinta TV Tupi, onde criaria sobre uma superfície de 280 metros quadrados de madeira compensada naval - uma dimensão maior do que a trabalhada por Michelangelo na Capela Sistina.

Antes da entrega oficial dos trabalhos à ONU, em setembro de 1957, um movimento de intelectuais e artistas apelou ao Itamaraty para que fossem expostos no Brasil antes de embarcar para os Estados Unidos. À ocasião, sequer Portinari os havia visto montados integralmente. Foi assim que, em cerimônia solenemente presidida por Juscelino Kubitschek, "Guerra" e "Paz" foram expostos, lado a lado, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, em fevereiro de 1956. Os painéis retornariam ao mesmo teatro em dezembro de 2010, Em 12 dias, 44 mil pessoas contemplariam, maravilhadas, a grandiosidade da obra do gênio.

Mais informações:

Exposição "Guerra e Paz, de Portinari (estudos)". Abertura para convidados, dia 25, às 20h, no Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321). Em cartaz de 26 de outubro a 20 de janeiro (de 2013). Entrada franca. Estacionamento livre no local. Contato: (85) 3477.3000


MAYARA DE ARAÚJO
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.