Música

Entre o samba, o choro e a bossa nova

Promessa da cena musical do Estado, Rayane Fortes faz show hoje (13) na Temporada de Arte Cearense

00:00 · 13.07.2018
Rayane Fortes
A cantora Rayane Fortes: lançamento do primeiro EP deve ocorrer em novembro ( Foto: THIAGO BRITO )

Nem só de forró vive a noite cearense. "Quando falamos de Ceará pensamos logo no forró, e eu amo um forró pé de serra, mas samba, choro e bossa são estilos infelizmente carentes aqui no Estado", relata a cantora, compositora e instrumentista Rayane Fortes, considerada uma promessa da música local. Ela sobe ao palco hoje (13), às 20h, no Espaço Rogaciano Leite, do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC), dentro da Temporada de Arte Cearense, com um repertório de músicas autorais e releituras de clássicos dos gêneros.

Rayane aposta em uma formação "raiz", de violão 7 cordas, percussão, bandolim e gaita, e se apresenta com integrantes da Orquestra Popular do Nordeste (OPN) - projeto que mescla música popular e erudita - incluindo o maestro da orquestra, Pedro Madeira, que irá tocar bandolim.

Entre as releituras estão sucessos do choro como "Naquela Mesa", de Nelson Gonçalves; "O Que Vier Eu Traço", de Baby do Brasil; e "Meu Rádio e Meu Mulato", de Herivelto Martins. Canções como "Esboço no Sofá" e "Cantar com Saudade", assinadas por Rayane, completam o set list do show.

Após o samba, o choro e a bossa nova da cantora, o público recebe a banda Vento Mareia, com sua sonoridade nordestina, trazendo o baião, o xote e o ijexá para encerrar a noite. O grupo é composto por Danna de Paula (voz e violão), Rafael Gomes (voz e violão / escaleta), Paulo Maia (baixo), Thaís Costa (percussão) e Ayla Lemos (bateria).

Carreira

Com apenas 10 anos, Rayane aprendeu a tocar violão clássico e daí nasceu seu amor pelo samba, o choro. "Esses estilos falam muito da nossa história (do Brasil) de forma geral e eu sou apaixonada. Quanto mais procuro saber da história do samba, mais fico encantada", revela.

Rayane participou do Carnaval de Fortaleza deste ano, convidada pela escola de samba Baqueta. No Aterro da Praia de Iracema, apresentou-se para mais de três mil pessoas e cantou sucessos da música brasileira.

Também esteve no Foyer do Theatro José de Alencar (TJA) com o show "Chega de Saudade", em homenagem a Jobim e aos 60 anos da Bossa Nova.

Referências

Entre as principais influências que leva para a sua carreira musical estão Maria Rita, Noel Rosa, Teresa Cristina, Cartola, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Roberto Menescal. São eles algumas das inspirações na hora de compor.

"O processo criativo de uma composição é muito individual, vai de cada artista. Conheço pessoas que primeiro escrevem uma poesia e depois procuram por uma melodia. Eu crio a melodia e com ela coloco a letra", detalha a jovem, "Mas a inspiração sempre vem de algum momento marcante, das minhas vivências", ressalta.

Novos voos

Recentemente, a cantora fez uma parceria internacional, com o cantor e compositor Jiimi Denin (Jimi Blu). "Quem entrou em contato comigo foi o produtor dele, Call James. Falou sobre amar a música brasileira e me encontrou nas redes sociais, então me fez o convite de compor junto com o cantor", lembra.

A música, intitulada pelo próprio Jimi como "Samba and Favelas", mistura hip hop e bossa nova e foi lançada no álbum "BlacknOrange", em maio de 2018, disponível nos serviços de streaming.

A letra "nos galhos dos cabelos dela / raiz gingado de sua terra / eu gosto do sambado dela / morena da minha favela", foi todo composto por Rayane, que teve liberdade de criar a letra em português.

"Fazer essa parceria foi muito bom. É muito importante esse lance da galera se juntar, porque infelizmente ainda existe muita competitividade musical. Essas parcerias mostram como a música pode ser uma linguagem universal", pontua. "O samba e a bossa são estilos muito admirados no norte da América".

Entre os planos atuais está o lançamento de seu primeiro EP. Previsto para novembro, o mini álbum, por hora batizado "Esboço", terá quatro faixas com músicas autorais. Rayane já iniciou as gravações no estúdio. "Precisamos dar uma ênfase, mais importância à música autoral local. Temos artistas incríveis e de grande peso que muita gente não conhece, não só da música, mas dançarinos, atores, intérpretes e por aí vai", finaliza.

Mais informações:

Show "Samba Ceará", com Rayane Fortes. Nesta sexta (13), às 20h, no Espaço Rogaciano Leite Filho - CDMAC (R. Dragão do Mar, 81, Praia de Iracema). Classificação livre. Gratuito.

Contato: (85) 3488.8600

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.