Narrativas diferenciadas

Contando histórias

MFF promove programação infantil neste sábado (14) com o espetáculo "Os Saltimbancos"

00:00 · 14.07.2018
Integrantes do Grupo Encantos em cena: além da adaptação da dramaturgia para o formato de contação de história, eles também pensaram novos arranjos para as canções de Chico Buarque ( Foto: Mariana Parente )

Não é de hoje que o Museu da Fotografia Fortaleza (MFF) traz em sua programação atividades voltadas ao público infantil e aposta em outras linguagens que não apenas a fotografia. Pela segunda vez no equipamento cultural, o Grupo Encantos, de contação de história, apresenta-se neste sábado (14), a partir das 14h.

A atividade é gratuita, basta se inscrever pelo site sympla.Com.Br. Direcionada ao público infanto-juvenil, a montagem ocupa o auditório do MFF e apresenta uma narrativa baseada no roteiro teatral de "Os Saltimbancos" (1976), obra adaptada no Brasil por Chico Buarque da obra dos Irmãos Grimm, "Os Músicos de Bremen".

A narrativa feita para homenagear o músico brasileiro foi criada em formato de contação de história - ou seja, difere de uma apresentação de teatro convencional.

"Não se trata de uma peça. As crianças não vão chegar lá e encontrar um espetáculo teatral, com os próprios animais", explica Carol Bittencourt, pedagoga e uma das fundadoras do Grupo Encantos. "Trata-se de uma narrativa adequada a essa linguagem. Adaptamos o texto para 45 minutos porque a gente entende que são crianças que estarão presentes. Essa duração é mais agradável para elas, pois conseguem ficar prestando atenção. Tudo se torna mais lúdico", pontua.

Quem faz companhia a Carol na contação de história é o também fundador do grupo, o músico Claudio Fontenele. Acompanham a dupla mais dois convidados, Isaac Cavalcante e Haviv Nogueira, músicos que colaboram para o Encantos desde a criação da companhia, em 2012, e sua primeira montagem, a releitura da obra "Sítio do Pica pau Amarelo".

O grupo já se apresentou no MFF com o espetáculo "Encantos do Nordeste" que busca valorizar a cultura nordestina.

Temáticas

A narrativa de "Os Saltimbancos" conta a história de quatro animais: o jumento, o cachorro, a galinha e a gata, que ao se depararem com uma realidade de maus tratos e injustiças se unem para enfrentar esse descaso.

O roteiro de Chico Buarque nasce com uma conotação política muito forte; entretanto, a narrativa feita para apresentação neste sábado aborda outras temáticas.

A obra original (brasileira) traz uma clara referência às classes sociais, temática muito em alta na época da adaptação (e infelizmente ainda hoje). Mas na narrativa da contação de história, os integrantes optaram por dar foco ao cuidado com os animais e ao respeito ao meio ambiente.

"A obra toda de Chico Buarque traz essa mensagem e a gente reforça isso, faz essa ênfase, respeitando logicamente o enredo do autor, a criação dele, os personagens, a essência da obra. Porém, demos uma repaginada para a contação de história que é diferente do teatro", ressalta Carol Bittencourt.

Narrativa

Cada trecho da história traz as canções de Chico. Entretanto, todas as músicas tiveram arranjos pensados e criados pelo próprio grupo. "Fizemos todo um trabalho musical para que fosse atrativo, voltado para diferentes idades. A gente faz realmente um apelo voltado à questão do cuidado com os animais, com o cuidado com a natureza", adianta.

Ao som de um quarteto de violão, percussão, voz e a cantadora de história, os trecho da narrativa revelam as canções que tornam ainda mais envolvente toda a apresentação - como a versão em samba rock e bossa nova de "A cidade ideal".

"Isso deixa os 45 minutos bem agradáveis para quem está assistindo e permite sair de lá com essa mensagem sólida de cuidar dos animais", conclui Carol.

O formado de contação de história lembra os momentos de leitura em família, trazendo, assim, um clima intimista e de acolhimento. Na apresentação, Carol não traz um livro, mas utiliza diferentes acessórios - alguns feitos de materiais recicláveis - para levar as crianças ao mundo dançante de "Os Saltimbancos".

O uso dos objetos é para que a montagem se torne ainda mais atrativa e com eles o grupo consiga interagir apropriadamente com as crianças. A lista inclui itens incomuns, como uma chaleira e um garrafão de água.

Com um pouco de imaginação, eles viram parte da história - até porque não há cenário, tampouco figurino. Sobre esse último, embora o grupo não se caracterize, há todo um cuidado para que alguns adereços chamem a atenção, mas sem que os atores do grupo se torne os personagens.

Mais informações:

Espetáculo Os Saltimbancos (contação de histórias). Neste sábado (14), às 14h, no auditório
Do Museu da Fotografia Fortaleza (Rua Frederico Borges, 545, Varjota). Classificação livre. Gratuito. 
Inscrições pelo site: sympla.com.br. 
Contato: (85) 3017.3661

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.