Coluna

Sopa de Letras: O trabalho do ator

00:00 · 06.06.2017

Konstantín Stanislávski

Image-1-Artigo-2251514-1

O livro é um calhamaço dedicado ao "sistema" de Stanislávski, que domina a formação do ator no Ocidente desde que os escritos do teatrólogo, diretor e ator russo foram traduzidos para o inglês nas décadas de 1920 e 1930. Até hoje, porém, leitores digladiavam-se com versões imprecisas. Algumas traduções equivocadas provocaram enormes distorções na interpretação e ensino do sistema de Stanislávski. Esse problema arrefeceu com a contribuição de Jean Benetti, que reuniu num só volume os dois livros conhecidos como "A preparação do ator" e "A construção do personagem", num texto preciso em inglês. No Brasil o volume torna-se disponível com a tradução de Vitoria Costa.

Martins Fontes

2017, 724 páginas

R$ 108

O fio perdido

Jacques Rancière

Image-0-Artigo-2251514-1

Com o subtítulo de "Ensaios sobre a ficção moderna", o livro oferece reflexões sobre algumas das transformações e paradoxos que fundam a ficção moderna sobre a destruição daquilo que parecia - e que ainda muitas vezes parece - fundamentar toda a ficção: o encadeamento das ações segundo a necessidade ou a verossimilhança, que asseguram a inteligibilidade da narrativa por meio de seu desenvolvimento temporal. Essa revolução não foi feita por manifestos, mas por deslocamentos nas práticas narrativas, a partir de autores como Flaubert, Conrad, Virginia Woolf, Keats, Baudelaire e Büchner. Casos singulares desses e de outros nomes da literatura mundial são o meio escolhido por Rancière para abordar o assunto. A tradução é de Marcelo Mori

Martins Fontes

2017, 152 páginas

R$ 35,10

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.