coluna

Sopa de Letras: Eu passei pelo inferno

00:00 · 05.07.2016

Jutta Bauer

A autora e ilustradora alemã Jutta Bauer apresenta em "Eu passei pelo inferno" uma versão um pouco diferente de inferno. Uma não, várias. Um homem (de atitudes não muito bondosas) atravessa a vida com o pé no acelerador. Ao envolver-se em um acidente, é julgado e mandado para o inferno. Mas lá - depois de escolher o Inferno do Bem-Estar em detrimento de outros , como o da Cultura ou da Boa Forma -, descobre que passar os dias boiando na piscina e bebendo no bar é um grande tédio. Ele, então, consegue voltar a Terra, apenas para descobrir que a vida contemporânea não é tão diferente do inferno de onde saiu.

Cosac Naify

2015, 48 páginas

R$ 29,90

A história (quase verdadeira) do soldado desconhecido

Emilio Franzina

Historiador profissional, o autor faz uso da extensa bagagem de pesquisas ao escolher o cenário da Primeira Guerra Mundial para desenvolver essa trama sobre a vida de um herói, a um só tempo, múltiplo e único. Múltiplo por se tratar de um personagem fictício, não nominado, que poderia ser, afinal, qualquer soldado em condições semelhantes; único, por sua vez, na medida em que apresenta de diversos detalhes de sua vida pessoal, leva o leitor rapidamente a sentir-se íntimo, cúmplice de sua trajetória.

Martins Fontes

2016, 388 páginas

R$ 38

Nunca o nome do menino

Estevão  Azevedo

Em seu primeiro romance, Estevão Azevedo nos apresenta como protagonista uma mulher que acaba de fazer uma descoberta nada agradável: é personagem de uma ficção que não aprecia e cujo autor despreza. Ela narra os fatos de sua vida passada - sua infância, o amor de um menino, o convívio com o próprio corpo em transformação, a relação com os pais - que a conduziriam a tão terrível descoberta. Com cuidado e apuro, o autor conduz a narrativa criando uma sensação de vertigem, uma história repleta de ciclos e espelhamentos, mas também de sentimentos e paixões, lançando ao leitor o desafio de questionar se não seria também sua própria vida uma ficção.

Record

2016, 196 páginas

R$ 34,90

Na sala de roteiristas

Christina Kallay

Com uma narrativa cada vez mais sofisticada, as séries americanas revolucionaram a TV e conquistaram o mundo. Com o poder de dominar a atenção do público e da crítica, as séries conseguem influenciar pesadamente até mesmo nas produções de Hollywood. A professora e roterista premiada Christina Kallas conversa com quem está no centro desse processo: os roteiristas. Compartilhando suas experiências e práticas da "sala de roteiristas", estes realizadores falam sobre a arte de escrever e criar para a TV séries de grande sucesso como "Família Soprano", "Mad Men", "Game of Thrones", "Friends", "Seinfeld", "The Wire", "Law and Order", entre outras.

Zahar

2016, 256 páginas

R$ 39,90

Sentir, perceber e agir

Bonnie Cohen

Coletânea de ensaios, entrevistas e exercícios escritos para a revista de dança "Contact Quarterly", de 1980 a 2009, a obra aborda o trabalho da educadora de movimento Bonnie Baindridge Cohen e sua busca por compreender a relação entre mente e corpo, que resultou no desenvolvimento do Body-Mind Centering (BMC). O BMC é um estudo experimental dos principais sistemas corporais - esquelético, muscular, neuroendócrino - e os padrões evolutivos de desenvolvimento subjacentes ao movimento humano, visando à reabilitação motora e à reeducação corporal. É uma base para a plena realização do indivíduo.

Sesc

2016, 364 páginas

R$90

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.