coluna

Sopa de Letras

00:00 · 05.09.2017

Não adianta morrer
Francisco Maciel

Image-2-Artigo-2291912-1
Amizades, desavenças, flertes, crimes, pecados e delírios misturam-se num "tabuleiro de damas (e cavalheiros") - como define o próprio autor -, em meio às ruas do bairro do Estácio, no Rio de Janeiro, enveredando por botecos, atalhos dos morros e multiplicidade de vozes de personagens - Pedrão, Vovô do Crime, Guile Xangô, Mirtes, Lana, Dafé, Marcelo Cachaça, As Comadres, entre outros atormentados. Em seu segundo romance pela Estação Liberdade, lançado neste sábado (2) na Bienal do Rio, Francisco Maciel apresenta uma capital fluminense realista e mágica, marginal e erudita, com doses de humor irônico, descrições impressionistas e referências intertextuais (de Edgar Alla Poe a Santo Agostinho, passando pelo cancioneiro brasileiro).

Estação Liberdade
2017, 288 páginas
R$ 46

À primeira luz da manhã
Virginia Baily

Image-1-Artigo-2291912-1
Aos 27 anos, Chiara havia abandonado a ideia de ser mãe, após perder os pais e o noivo durante a guerra. Ao se preparar para fugir de Roma junto com a irmã, ela se depara com um grupo de judeus forçados a entrar num caminhão. Numa aflita troca de olhares com uma das mulheres, Chiara entende a súplica para que tire seu filho dali. Assim, resgata o pequeno Daniele como se fosse seu sobrinho. A história avança 30 anos e em 1970 o leitor encontra a protagonista morando sozinha e trabalhando como tradutora. Afastada da irmã e de Daniele, parece não querer enfrentar o passado e seus ressentimentos. Até receber, num dia qualquer, o telefonema de uma adolescente que diz ser filha dele. O aparecimento da jovem leva os personagens por uma jornada de amadurecimento e esperança.

Bertrand Brasil
2017, 350 páginas
R$ 49,90

Turing
Jean Lassègue

Image-0-Artigo-2291912-1
Neste título que integra a coleção Figuras do Saber - de obras introdutórias ao pensamento de autores consagrados, filósofos e cientistas - o autor delineia o itinerário excepcional de Alan Turing (1912-1954), matemático e especialista em lógica, considerado o inventor da informática e da inteligência artificial. Durante a Segunda Guerra Mundial, conseguiu decodificar mensagens criptografadas pela máquina Enigma, enviadas por rádio de Berlim para os submarinos nazistas que faziam o bloqueio da Inglaterra. A vida e obra de Turing já foi adaptada para o cinema, no longa "O jogo da imitação" (2014), de Morten Tyldum, com o cientista interpretado por Benedict Cumberbatch

Estação Liberdade
2017, 232 páginas
R$ 42

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.