Coluna

Mingau Pop: Rebeldia nordestina

00:00 · 27.12.2017

A primeira temporada de shows da Caixa Cultural Fortaleza, em 2018, acontece de entre os dias 5 e 7 de janeiro (sexta, às 20h; sábado, às 18h e às 20h; domingo, às 19h). Quem sobe ao palco é a baiana Margareth Menezes. A cantora apresenta "Rebeldia Nordestina 2 - Música Contemporânea". No primeiro espetáculo dedicado ao cancioneiro do Nordeste, Margareth Menezes interpretou canções de nomes que despontaram, nacionalmente, na década de 1970 - caso dos cearenses Raimundo Fagner e Belchior; do paraibano Zé Ramalho; dos pernambucanos Alceu Valença e Geraldo Azevedo; e do baiano Raul Seixas. Em sua segunda edição, o projeto Rebeldia Nordestina terá interpretações de nova geração de compositores, entre eles os baianos Carlinhos Brown, Baiana System e Jorge Portugal, os paraibanos Flávia Venceslau e Chico César, o cearense Marcos Lessa, o maranhense Zeca Baleiro e o pernambucano Lenine.

Iggy & Jarvis

"Red right hand" é um dos clássicos de Nick Cave & The Bad Seeds. Lançada no álbum "Let Love In", foi escolhida como canção-tema da série histórica/policial britânica "Peaky Blinders" (que pode ser vista, no Brasil, via Netflix). Virou tradição no seriado, a cada nova temporada, lançar um cover da canção de Cave feito por um grande nome - incluindo uma versão rocker dos Arctic Monkeys e outra, lenda e sombria, de PJ Harvey. O tema deste ano é um dueto entre Iggy Pop e Jarvis Cocker (ex-Pulp), verdadeira instituição inglesa. Como as anteriores, esta tem identidade. É suja e lenta, com um climão pesado, meio protopunk, com a cara de Iggy; e guitarras à britpop, com jeito de Noel Gallagher.

Biografados I

O ano de 2018 ainda não começou e, em algumas livrarias virtuais, uma série de seus destaques já estão em pré-venda. "Después de vivir un siglo" (editora Lumen), do jornalista Víctor Herrero Aguayo, é uma biografia de Violeta Parra (1917-1967), um dos grandes nomes da música popular chilena (e da América do Sul) - que ajudou a difundir com sua própria obra, além de estudos acadêmicos. O livro será lançado em 27 de fevereiro

Biografados II

Destacam-se entre as biografias a sair, em inglês: "David Bowie: A Life", de Dylan Jones (7/06); e "Jeff Buckley: From Hallelujah to the Last Goodbye", de Dave Lory (29/05). Numa linha reportagem estendida, é bom ficar atento a "Just a Shot Away: Peace, Love, and Tragedy with the Rolling Stones at Altamont", de Saul Austerlitz (10/07) e "We Are The Clash", de Mark Andersen e Ralph Heibutzki (3/07).

Elba gospel no fim de ano

elba
As duas últimas semanas do ano são desérticas, no que se trata a lançamentos fonográficos. Mesmo os discos de Natal - uma tradição forte no mundo anglófono - saem bem antes disso. Aqui, em meio a singles de pouca expressão (à exceção do candidato a hit de Carnaval, de Anitta), foi lançado um novo álbum de Elba Ramalho. O 35º disco de estúdio da carreira solo da cantora é temático. Em "Eu sou o caminho", Elba professa a fé católica em cada uma das 12 faixas do álbum. A cantora paraibana construiu o repertório com um cuidado raro em projetos do gênero. Ela mapeou canções de louvor dentro da tradição da MPB e de lá trouxe composições que ficam bem em sua voz e nos arranjos que honram seu histórico musical. As raízes nordestinas não foram deixadas para trás. Aparecem aqui versões de "O homem" (de Roberto Carlos, autor também de "O terço"), "Estrela luminosa" (do repertório de Alcione) e "Paz pela paz" (de seu parceiro frequente, Nando Cordel)

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.