COLUNA

Frei Hermínio Bezerra: O sentido das palavras

frei-herminio

Frei Hermínio Bezerra

caderno3@diariodonordeste.com.br

00:00 · 14.05.2018

Na coluna de hoje destaco as palavras: malfeito; malhada; malinar; malmente; maloca; malucar; maluvido; malvadeza; malvarisco e mamata.

Mal-enjambrado - adj. O termo aparecia muito antigamente para dizer de alguém ou de algo, mal-ajeitado, desajeitado, amarfanhado, mal-acabado ou mesmo malfeito, desorganizado, mal-acabado ou apenas alinhavado.

Malfeito- s. M. No sertão essa palavra tanto tem o sentido de mal acabado por imperícia como algo feito imperfeitamente por capricho e/ou maldade, portanto propositadamente. Os romeiros em Canindé, Juazeiro e em outros centros de romarias dizem: "Eu nunca fiz malfeitos, mas todo mundo peca. Querendo dizer que não tem pecados intencionais, de propósito, mas tem falhas da fraqueza humana. Às vezes, e não é raro, o termo malfeito é usado também para designar "trabalho de bruxaria e de catimbó".

Malhada - s. F. No sertão é um lugar com sombra, onde o gado se abriga quando o sol está muito quente. Na fazenda de meu avô era conhecida uma plantação com o nome de "roça da malhada", pois tinha um desses abrigos buscados pelo gado vacum, para passar as horas do início da tarde, no verão. Perto de Novo Oriente há a Malhada Grande.

Maliconia/malinconia - s. F. Nunca ouvi esta palavra no meu sertão, mas alguns dicionaristas registram, como Tomé Cabral, por isso eu apresento. Ela chama a minha atenção por ser uma palavra clássica e popular na língua italiana no sentido de: melancolia, nostalgia, tristeza e saudade. Um cantador explica: "Nós era sete patrão, / mas porém fumo morrendo / cum a tal malicunia" (Cf. José Praxedi, O sertão é assim).

Malinar - vb. Do latim malignare = ser nocivo, contrariar, obstar, prejudicar. O termo está relacionado à raiz de malignus = fazer o mal (deliberadamente). Da minha observação, no meu sertão esse termo era muito usado com relação aos meninos irrequietos e buliçosos. Diz-se que Machado de Assis era um menino por demais peralta tanto que tinha o apelido de "menino maligno" = menino diabo. Ele tornou-se um adulto tímido e extremamente reservado. Termo cognato: malino = buliçoso, peralta, traquino; malinação e malinagem = é o ato do menino malino.

Malmente - adv. Forma verbal que antigamente se ouvia do sertanejo, querendo dizer: Mal, apenas, por pouco, somente... Como na expressão: Seu moço, por aqui a chuva que deu malmente molhou a terra.

Maloca - s. F. Abrigo de fortuna e improvisado, esconderijo, furna. Segundo Tomé Cabral, o termo também é usado para designar um grupo de pessoas e de gado. Cognato: maloqueiro = o que vive em maloca ou em grupo de rua, malandro, vagabundo... O primeiro sentido é confirmado pela música "Saudosa Maloca", cantada pelo grupo Demônios da Garoa.

Maloqueiro - s. M. E adj. É muito mais do que habitante de maloca, pois, o termo designa alguém dado à vagabundagem e à prática de desordens e de pequenos furtos, praticados mais por meio de ardis e trapaças do que por ameaças e agressões. Por isso, o termo designa também trapalhão, finório...

Mal-ouvido - s. M. Do grego hypakouein = ouvir pouco (literalmente), por deficiência do aparelho fonador. O sertanejo diz: "Menino deixa de ser "maluvido" = isto é, fazer poucoo do que ouve, não dar atenção a quem lhe fala. O maluvido do sertanejo não é por deficiência do aparelho auditivo, e sim pela falta de vontade de atender a quem fala.

Malucar - vb. Ficar maluco, endoidar-se e também caducar, fazer caduquices ou simplesmente não dizer coisa com coisa, ou ainda, imaginar coisas impossíveis, desejar o que é absolutamente irrealizável. Como o leitor observa o termo pode ser empregado em vários sentidos que, embora próximos, têm nuanças diferentes.

Malvadeza - s. F. Câmara Cascudo, citando o autor Luís Martins, fala do dia da malvadeza no interior de São Paulo, na região de Campinas, Jundiaí e Indaiatuba, na Quinta-feira Santa. Certamente está relacionado com a traição de Judas e a tradição em diversas partes do Brasil, sobretudo no nordeste, da malhação de um boneco representando Judas Iscariotes, que entregou Jesus Cristo às autoridades Judaicas. Vivi seis anos em Salvador (BA), (1970-1975), quando era governador ACM = Antônio Carlos Magalhães, um político populista, que tinha um epíteto nada gentil: Toinho Malvadeza..., pois diziam que ele fazia coisas incríveis com seus adversários políticos.

Malvarisco - s. M. Termo formado de malva + o sufixo isco; Esta é a forma popular de mavaisco = nome de uma erva considerada medicinal, cujas folhas, na medicina caseira, são aplicadas como infusão sobre uma parte do corpo machucado ou inchado, com bons resultados.

Mama na égua - s. M. Diz-se do indivíduo bestalhão, boboca, sem valor, mofino, moleirão... Mas observa-se o uso do termo com variação em sentido diverso e quase contrário: poltrão, aproveitador, portanto, também esperto e sabido, que tira proveito da situação ou fragilidade das pessoas.

Mamata - s. F. Diz-se do meio de vida fácil e do emprego custeado pelos cofres públicos, mas sem proveito para o Estado. É o mesmo que Sinecura eclesiástica = um cargo ou ofício com pouco trabalho e sem muita responsabilidade e boa remuneração.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.