coluna

Frei Hermínio Bezerra: O sentido das palavras

frei-herminio

Frei Hermínio Bezerra

caderno3@diariodonordeste.com.br

00:00 · 11.09.2017

Na coluna de hoje destaco: falação; falante; falso; faltar; familiação; fandango, faniquito e farnesim, que são quase sinônimos; farinhada; faroleiro, com seus dois sentidos; fartum, que tem diversas interpretações.

Falação - s. F. Termo usado no sentido de falatório, maledicência, murmúrio. Além desse sentido, usa-se para indicar discurso comprido, sermão. É conhecida a expressão: "Deitar falação" = aconselhar longamente, querer catequizar ou convencer alguém.

Falador - adj. O sentido mais comum é o de ser maldizente, indiscreto, mas também: linguarudo, fuxiqueiro e intrigante. Às vezes, o termo é empregado para referir-se a uma pessoa que nunca está contente ou não aceita a realidade como ela é, e, por isso, está sempre reclamando de tudo e de todos.

Falante - adj. Diz-se de quem fala com desembaraço, mas também de quem se mete a querer falar difícil, sem ter capacidade para fazê-lo. Nesse caso, o termo tem o sentido de pretensioso e afetado na linguagem.

Falar - vb. Verbo usado, com frequência, no sentido de criticar, falar mal de alguém. Aparece em muitas expressões: falar à boca pequena; falar arrastado; falar difícil; falar franco; falar grosso... E expressões semelhantes.

Falso - adj. Significa enganador, infiel, traidor. Ser falso e não sustentar o que diz e promete é uma falha grave para o sertanejo. Um adágio que descreve a pessoa falsa e traiçoeira diz: "Falso que só tábua de fojo". Para quem não sabe fojo é uma armadilha para pegar preá. Ela consta de um buraco coberto com uma tábua que baixa, deixando cair o preá, depois sobe, tapando o fojo com a presa dentro.

Faltar - vb. Deixar de cumprir a promessa, o acordo, o trato. Significa também não atender um pedido, quando não há motivo que o impeça. O termo aparece em expressões como: falta de criação = falta de educação; faltar terra nos pés = falta de equilíbrio e perca do controle emocional; falta de recurso = de dinheiro, ou de meios necessários para realizar algo.

Familiação - s. F. Termo usado, muitas vezes, para indicar a família na sua extensão. O sertanejo diz: "Seu doutor Juiz é da Familiação dos Brittos" ou ainda, "O Coronel é da familiação dos Feitosas dos Inhamuns". Familiação é a família mais alargada.

Famoso - adj. No sertão, essa palavra é frequentemente usada referindo-se ao animal de raça, robusto, vistoso e de grande qualidade, como o touro e o cavalo. É claro que também se diz que uma pessoa é famosa, no sentido de ser notável por suas qualidades.

Fanabô - s.M. Marca de calçado muito popular no nordeste, confeccionado em lona, com solado de borracha, que proporcionava certo conforto a quem o usava. Essa palavra deriva da primeira sílaba do nome do fabricante: Fábrica Nacional de Borracha.

Fandango - s. M. Significa baile ou festa em que se apresentam várias danças. Esse nome denomina o bailado de marujos ou marujada, ou a chegança dos marujos. É provável que tenha origem na região do Rio da Prata, onde estão localizadas as cidade de Buenos Aires e Montevidéu. Por isso, o fandango é mais conhecido no sul do Brasil. No nordeste ele tem características peculiares e influência de ritmos regionais. Gustavo Barroso fala do fandango no seu livro "Ao Som da Viola", pp. 28-76. Segundo Tomé Cabral, hoje no Ceará ele é praticamente desconhecido.

Faniquito - s. M. É um nervosismo, uma espécie de histeria, um descontrole nervoso que se manifesta em irritação e chiliques, dengues exagerados e caprichos injustificáveis. Veja logo adiante, farnesim.

Farinhada - s. F. É a fabricação da farinha de mandioca, realizada na Casa de farinha, que alguns chamam engenho de farinha. Nesse local, após arrancar a mandioca e descascá-la, faz-se a desmancha e se desenvolve todo o processo. Essa ocasião é sempre um belo encontro de famílias.

Farnesim - s.M. Essa palavra chegou a nós através do francês frenesie = frenesi. Mesmo se em francês ela está no feminino, em português ela deve ser masculina, como diz o Aurélio. Na verdade ela vem do grego, através do latim phrenesis = nervosismo, ataque de nervos. Uma sensação estranha de aborrecimento. O matuto chama farnesim a impaciência ou impertinência que ele não sabe definir ou explicar. Está, com certeza, relacionado com o "faniquito", descrito acima.

Faroleiro - adj. Tudo indica que o nome vem de farol, que era uma luz, um facho colocado na ilha de Faros, no delta do rio Nilo que deu origem à palavra farol. Na acepção comum é o que acende o farol, ou o encarregado de sua conservação. Eu não sei exatamente porque, mas na linguagem popular faroleiro é gabola, fanfarrão, fobista... Ou seja, aquele que gosta de contar vantagem.

Fartum - s.M. Cheiro desagradável, bodum, cabrum, inhaca. Alguns sentem "cheiro de bode", como desagradável. Cheiro e sabor têm características "sui generis", isto é, específicas, próprias, peculiares, únicas. Eles não podem antecipadamente ser classificados como desagradáveis. O cheiro e o sabor do pequi e do jenipapo, por exemplo, são considerados desagradáveis por alguns e agradáveis por outros. O mesmo diga-se do cheiro do peba e do tatu, caças apreciadas no sertão, até a década de 1960. Quando eu era criança, fui vaqueiro de bodes, na fazenda de meu avô. Por isso, para mim cheiro peculiar do (de) bode não é desagradável. Na linguagem popular, fala-se do fartum da cachaça, aí, com razão.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.