coluna

Frei Hermínio Bezerra: O sentido das palavras

frei-herminio

Frei Hermínio Bezerra

caderno3@diariodonordeste.com.br

00:00 · 21.11.2016

Na coluna de hoje indico as palavras: cachaça, com sua rica história; cachê; cachimbo; cacunda; caçoar; caçote, com seus dois sentidos; caçuar; caé; cafajeste e cafinfim, no Ceará relacionado com o nosso Presidente Nogueira Acioli.

Cachaça - s. F. Essa é uma palavra cuja origem etimológica beira o mistério. Alguns pensam ser de origem africana. Frei Domingos Vieira (1873) diz ser um vocábulo brasileiro. Luis da Câmara Cascudo diz vir do espanhol cachaza = vinho de borras. O termo designa a bebida alcoólica feita da garapa da cana de açúcar. Por extensão diz-se também da bebida alcoólica procedente de frutas diversas: caju, uva... São muitos os escritos sobre a cachaça. O Dicionário de Sinônimos da Cachaça, de Jesus Barros Boquady Editora ABC, BSB - Brasília 2000 - tem 162 páginas. O assunto é quase inesgotável. É um termo também muito usado em sentido figurado, como paixão, inclinação, pendor, grande interesse... Como nas expressões: Colecionar é uma cachaça; a política é a cachaça dele; minha cachaça é você... Cognatos: cachaceiro, cachaceira. É conhecida popularmente como: "friinha"; "tola"; "besta"; "mindorra"; "minduba"; "cana"; "caninha"; "caiana"; "meladinha"; "negrita"...

Cachê - s. M. Oriundo do francês cachet, com o sentido de encerrar, fechar e comprimir. O termo designa uma cápsula feita de farinha de trigo, contendo uma dose de medicamento. Tem também o sentido de "remuneração dada a um artista".

Cachimbo - s. M. Segundo Antenor Nascentes, o termo vem do bundo, quixima = poço, buraco, coisa oca. Mas são várias as suposições sobre a origem dessa palavra: tanto pode ser de origem indígena, como pode vir de uma das línguas das Antilhas, etc. É um recipiente de madeira (ou de outro material), aberto na parte superior, onde se coloca o fumo e se acende. Na parte debaixo há um tubo conectado ao recipiente, através do qual é aspirada a fumaça. O termo tem pelo menos mais dois sentidos: bebida feita com mel de abelha e aguardente, citada por Graciliano Ramos, em Infância. Segundo Florival Serraine, em alguma parte do interior cachimbo era um pejorativo para se dizer soldado de polícia (Dicionário de termos populares).

Cachimbeira - s. F. Tem sua origem na palavra "cachimbo", pelo hábito de fumá-lo. Designa uma parteira prática. É bem provável que muitas delas fumassem cachimbo.

Cacimba - s. F. Poço cavado no leito do rio onde há minadouro, de onde se tira água para o consumo humano. Há também cacimbas para o gado e as criações beberem. Cognato: Cacimbão = grande poço com profundidade de muitos metros e paredes de alvenaria.

Caçote - s. M. No nordeste esse termo designa um pequeno batráquio, muito procurado para isca, pelos amadores da pesca de anzol. No sentido figurado caçote é o rapazinho franzino e ainda imberbe.

Caçoar - vb. Troçar, ridicularizar, isto é, fazer pouco de alguém. Além desse sentido, o termo é usado com dois outros significados bem próximos: duvidar e/ou desafiar alguém. Às vezes, estabelecer o limite entre duvidar e desafiar é muito subjetivo.

Caçuá - s. M. Do tupi caá + açoiá = cobertura de mato. É um cesto grande feito de cipó, taquara ou talo de carnaúba. Aparelhado com duas aselhas, a fim de que possa ser pendurado nos cabeçotes da cangalha, ele é muito usado no sertão, para carregar cereais das roças, como milho em espigas, feijão em vagem, arroz em cachos...

Cacunda - s. F. Essa palavra é simples, mas é rica na sua origem: a) Pode vir do latim, corcuvare, segundo João Ribeiro; ou de corcundu, segundo outros; b) do umbundo, kakunda = corcova; c) do quimbundo, caricunda = o lado das costas, o dorso.

Caducar - vb. Do latim, caducus = caduco. O termo latino é oriundo do verbo cadere = cair, decair. Caducar é dizer ou fazer asneiras, atitude própria da decrepitude, de quem está em decadência física e/ou mental. Palavra usada também no sentido figurado de mimar, agradar afetuosamente: "A avó estava caducando com o neto".

Caé - s. M. Termo comum no interior para dizer: azar, caiporismo, feitiço, má sorte. Patativa do Assaré escreveu: "Volta com a cara de choro, / pois quem arranja namoro / também encontra um caé" (Inspiração Nordestina). O VOLP não registra essa palavra.

Caeté/caetê - s. M. Tribo indígena que habitava a região de Pernambuco e Alagoas. De caa = mata + e'ete = verdadeiro. É a designação de várias plantas da família das marantáceas, canáceas..., cujas folhas os indígenas usavam para diversos fins. A notícia mais antiga sobre elas é de Gabriel Soares de Sousa, em Notícia do Brasil (1587). Monteiro Lobato cita essa planta em seu livro Urupês. O mesmo o faz Guimarães Rosa em Grande Sertão Veredas. Às vezes aparece como caetê e não caeté.

Cafajeste - s. M. Termo usado para designar um sujeito sem brio, sem responsabilidade, desmoralizado, sem expressão, nem valor moral; inútil e abaixo de qualquer cotação ou valor positivo. Chamar alguém de cafajeste é grave ofensa.

Cafinfim - s. M. Espécie de maribondo pequeno, mas muito valente. Ele constrói uma pequena casa de forma achatada nas folhas das árvores, sobretudo nas do mofumbo, que tem a folha mais consistente. Segundo Raimundo Girão, cafinfim era o nome popular dado ao partido político do qual foi chefe o Comendador Nogueira Acioli, presidente do Ceará de 1896 a 1900 e de 1908 a 1912 (Vocabulário Popular Cearense). Ele foi forçado a renunciar antes do término do mandato e a exilar-se com a família no Rio de Janeiro.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.