Coluna

Contraplano por Diego Benevides: Janeiro no Dragão

Contraplano

diego.benevides@diariodonordeste.com.br • Coluna focada no melhor do cinema brasileiro e mundial

00:00 · 24.12.2016
"O Ornitólogo" é uma das atrações confirmadas da Mostra Retrospectiva/Expectativa do Dragão

Como já virou tradição, o Cinema do Dragão - Fundação Joaquim Nabuco, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, organizará a Mostra Retrospectiva/Expectativa de 12 de 25 de janeiro. As duas salas receberão mais de 70 filmes, que misturam em a retrospectiva dos principais lançamentos de 2016 com filmes inéditos que devem estrear em circuito em 2017. A lista completa das obras que irão compor a programação não deve demorar a ser divulgada, mas a Contraplano já teve acesso a alguns títulos confirmados na programação. Entre os destaques dos filmes inéditos estão o drama português "O Ornitólogo", dirigido por João Pedro Rodrigues, premiado no Festival de Locarno, e "Auge do Humano", de Teddy Williams.

LEIA MAIS

.Não é só mais um filme com zumbis

.Romance em viagem espacial

Entre as retrospectivas, destaque para novas exibições de "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, em 4K. Aliás, o cinema brasileiro terá uma forte presença na Mostra. Vencedor do Festival de Brasília, o drama "A Cidade Onde Envelheço", de Marília Rocha, também integra a programação, ao lado dos documentários "Câmara de Espelhos", de Dea Ferraz, e "Precisamos Falar sobre o Assédio", de Paula Sachetta. A curadoria ficou por conta do crítico de cinema Pedro Azevedo.

Em Berlim

A representatividade do cinema brasileiro está confirmada na Mostra Panorama do 67º Festival Internacional de Cinema de Berlim, marcado para acontecer de 9 a 19 de fevereiro de 2017, na Alemanha. O drama "Vazante" (foto) é a primeira experiência solo da diretora Daniela Thomas, que codirigiu "Terra Estrangeira" (1995) e "Linha de Passe" (2008) ao lado de Walter Salles. "Vazante" se passa em 1821, nas serras pedregosas das Minas Gerais, que era baseada na extração de diamantes, ter entrado em colapso. Outro que também garantiu exibição por lá foi "Pendular", de Júlia Murat, que acompanha um casal de artistas analisando como os limites, contradições e obsessões do relacionamento refletem no trabalho de cada um deles.

Image-1-Artigo-2178153-1

Generation

Além da Mostra Panorama, produções nacionais também já foram confirmadas em sessões paralelas. O drama "Mulher do Pai", primeiro longa-metragem da diretora Cristiane Oliveira, será exibido na Mostra Generation, que reúne filmes com protagonistas jovens. O filme já recebeu prêmio de Melhor Direção no Festival do Rio e o Prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) na 40ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo.

Estreante

Outro estreante que também estará no Festival de Berlim é Fabio Meira, diretor de "As Duas Irenes", mais um longa nacional selecionado para a Mostra Generation. Meira é roteirista do filme "De Menor", ao lado de Caru Alves de Souza, e assina seu primeiro longa solo. Na trama de "As Duas Irenes", uma menina de 13 anos de uma família tradicional do interior descobre que o pai tem uma filha de outra mulher, com a mesma idade e o mesmo nome dela, Irene.

Paixões musicais

Netflix.  Sem passar pelos cinemas brasileiros, o filme “Sing Street: Música e Sonho” estreou diretamente na Netflix. Dirigido pelo irlandês John Carney, responsável pelos ótimos “Apenas Uma Vez” (2007) e “Mesmo Se Nada Der Certo” (2013), o longa-metragem foi indicado ao Globo de Ouro 2017 na categoria de Melhor Filme Comédia ou Musical. Carney, que já provou ser apaixonado por músicas e histórias de amor, traz na trilha sonora seu principal acerto. A trama é ambientada nos anos 1980 e acompanha um adolescente que enfrenta uma crise familiar. Ao mudar de escola, ele conhece uma garota e, para conquistá-la, monta uma banda com os colegas da escola. “Sing Street: Música e Sonho” se desdobra em camadas densas ao jogar um olhar sensível sobre a juventude.

Image-2-Artigo-2178153-1

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.