coluna

Contraplano por Diego Benevides: Fora da disputa

Contraplano

diego.benevides@diariodonordeste.com.br • Coluna focada no melhor do cinema brasileiro e mundial

00:00 · 17.12.2016
"Pequeno Segredo", de David Schurmann, fica de fora da disputa por uma vaga no Oscar 2017

Não foi surpresa ver que "Pequeno Segredo", longa-metragem dirigido por David Schurmann e escolhido para representar o Brasil no Oscar 2017, não conseguiu ficar na lista de nove pré-selecionados divulgada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Considerado pelo próprio diretor um filme "a cara do Oscar", "Pequeno Segredo" dificilmente passaria da primeira peneira, que contou com 85 filmes inscritos para ocupar as cinco vagas finais da premiação.

>Histórias de amor e vingança 

>Uma caçada a Pablo Neruda 

O drama familiar, que segue os princípios básicos de uma ficção televisiva e busca a todo o tempo que o público se emocione, se vendeu como algo além do que realmente é. Talvez justifique o fato de que o filme, depois que foi lançado, não recebeu grandes destaques. Estreou quase silenciosamente. Não é ruim, mas não representa o que há de melhor no cinema brasileiro contemporâneo.

A vergonha foi maior com a exclusão de "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, da disputa. Exibido em Cannes, o destino da obra pernambucana ainda resiste na memória dos cinéfilos e da imprensa especializada, como uma ferramenta importante de manifestação artística e política.

Estrangeiros

Surpresa mesmo foi a ausência do drama francês "Elle", de Paul Verhoeven, na lista de nove pré-candidatos ao Oscar 2017. A Academia excluiu o filme do processo, ao lado de outro bem cotado, o romeno "Sieranevada", de Cristi Puiu. A temporada de ouro já começa diferente, quebrando algumas previsões e trazendo surpresas, como "É Apenas o Fim do Mundo", de Xavier Dolan, na shortlist de filmes estrangeiros. Dos nove, apenas cinco serão anunciados no dia 24 de janeiro. Concorrem, além de Dolan, o favorito "Toni Erdmann" (Alemanha), "O Apartamento" (Irã), "En Man Som Heter Ove" (Suécia), "Ma Vie De Courgette" (Suíça), "Paraíso" (Rússia), "Tanna" (Austrália), "Terra de Minas" (Dinamarca) e "The King's Choice" (Noruega).

História

O autor Laurent Desbois lança o livro "A Odisseia do Cinema Brasileiro - Da Atlântida à Cidade de Deus", publicação da Companhia das Letras, com uma extensa pesquisa sobre a identidade do cinema brasileiro. Desbois viaja pelo Cinema Novo, com foco em Glauber Rocha e Nelson Pereira dos Santos, passa pelo Tropicalismo, pelo cinema marginal, Embrafilme e Retomada, etapas decisivas para a consolidação da arte cinematográfica no Brasil.

Terror

O arquivos do controverso casal Ed e Lorraine Warren, que serviram de base para os filmes da franquia "Invocação do Mal", foram reunidos pelo autor Gerald Brittle na obra "Ed & Lorraine Warren - Demonologistas", lançado no Brasil pela DarkSide Books. A obra reúne casos reais que aconteceram, em sua maioria, durante a segunda metade da década de 1970. A edição luxuosa mexe com os nervos, principalmente no capítulo "Annabelle", a boneca do mal.

O retorno de Dona Hermínia

Image-2-Artigo-2175847-1

Sequência Sucesso no teatro, na televisão e no cinema, o comediante Paulo Gustavo traz de volta um de seus personagens mais icônicos. Dona Hermínia, estrela de "Minha Mãe é uma Peça" retorna aos cinemas a partir do dia 22 de dezembro, do jeito que podemos esperar: divertidamente sem filtro. O segundo filme traz Hermínia tentando lidar com a liberdade dos filhos, que decidem sair de casa. A principal força do roteiro está nos diálogos e no espaço para improviso, que realmente se destaca entre tantas comédias descartáveis do cinema comercial. Por outro lado, ainda carrega aquela cara de especial de final de ano, com pouco ou quase nada de cinema, assumindo o posto de diversão sem compromisso.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.