Matéria-1263122

Arte Cearense

ler@diariodonordeste.com.br

00:50 · 04.05.2013
Pintura de Otto Cavalcanti

Sem título

O grande mestre Otto Cavalcanti, artista plástico nascido no Brasil e radicado na Espanha, há anos, escolheu a cidade de Fortaleza como sua outra casa, extraindo daqui lições de paisagem e de usos e de costumes. Suas obras estão expostas em grandes museus e instituições europeias e constituem um espetáculo de cores e de formas que nos convidam a uma reflexão acerca da simplicidade que encanta.

Poemas de Adriano Espínola

Fera

Feito um cão solto,
súbito o sol
salta pela janela
adentro do quarto.

Inquieto, morde
os punhos da rede,
derruba a sombra
vã do retrato,

lambe o pé sujo
lá da parede,
fuça a amarela
mancha do espelho,

late: luz! luz! -
depois se enfia,
fiel, no velho
par de chinela.

(Como a cidade
lá fora, fera,
na alva coleira
do novo dia.)

A cebola

Cortá-la camada
por camada
até chegar

ao centro.

(Ao bulho do nada
do eu mais
dentro.)

Não chorar.

Café

A água nova do dia,
o pão, a fruta, a névoa
do café,

o cheiro, o gosto,
o tato ali desperto
e posto,

ferindo o corpo,
que, leve, aflora
na cozinha,

enquanto lá fora
o velho sol a tudo
sacia

de luz - aurora -
e pelas ruas caminha,
desnudo.

Culinária

Fazer a própria comida:
o amor integral,

o pão, a lentilha,
o poema grelhado,

o sal na medida:
cozinhar lentamente

essa fome indefinida.

Outono

As nervuras expostas
as manchas pelo corpo,

a magreza, o abandono,
a pele amarelada,

o silêncio sem dono
daquela velha folha -

tombando na calçada.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.