Matéria-1245163

Arte Cearense

ler@diariodonordeste.com.br

00:12 · 23.03.2013
Pintura de Aldemir Martins

Sem título

Nascido na região do Vale do Cariri, no Estado do Ceará, Aldemir Martins consagrou-se, quer no Brasil, quer no exterior, por haver criado um estilo singularíssimo, em cujas formas e cores há um resgate do universo que encarna a força do sertão e de sua gente. É que em sua pintura a terra, seus valores, seus motivos, tudo isso fala mais alto: cangaceiros, galos, gatos. Um mundo em cores

Poemas de Barbosa de Freitas

Ave libertas!
Salve! Da glória os romeiros!...
Os combatedores bravos
Que na luta dos escravos
Se alevantaram do chão!
Salve! Oh plêiade bendita
Que ampara a causa dos fracos,
Salve! Novos espartacos
Da arena da escravidão.
Salve!, oh vós, que suspendeis
O martelo do progresso,
A cujo som o Universo
Ergue os braços p´r´amplidão!
Salve! Oh vós, - demolidores
Das paredes tenebrosas
Das espirais assombrosas
Do templo da escravidão!
Salve! Oh vós - os mandatários
Da bendita Liberdade!
Que difundis a igualdade
Do Brasil no coração!...
Salve! Oh vós - os lutadores
Da mais sublime contenda
Que carregais por legenda
- "O futuro da Nação!"

O anjo da caridade
Cicia uma asa dourada
Junto ao leito do infeliz,
Tem o aroma das flores,
Das lindas flores gentis:
Asa d´um anjo bendito
Que se coloca de pé,
Dando ao pobre um lenitivo
Nascido da luz da fé.
E fala assim: - meu amigo,
Que sofres, meu pobre irmão?
Sofres fome? Sentes febre?
Padece teu coração?
Sou mensageiro celeste,
Pra dizer à humanidade: -
Que no céu por ti pelejam
Fé, Esperança e caridade.
És criatura divina.
Luta sempre! És soberana!
Sejas rei, plebeu ou nobre,
Ou o lenhador da cabana!

O gênio
Quando o gênio irrompe altivo
Dos mundos fitando os céus;
A terra lhe estende os braços
E os homens o chamam - Deus!
O mar se cala um momento...
No fundo do firmamento
O astro rei está de pé:
Humilhado ante a presença
Dess´outra grandeza imensa
Como outrora a Josué.
É que o gênio - essa cratera,
Que não é como as demais...
Forma astros de granito,
De pigmeus - imortais!
Ele preside as batalhas,
Ele é quem rasga as mortalhas
Onde envolvem-se os heróis;
Obreiro predestinado,
Mergulhando no passado
Traz à luz nossos avós.
Ele é Moisés, o levita,
Conduzindo o povo hebreu;
É Davi, o rei poeta,
É Jesus, é Galileu!
É Alexandre - o guerreiro
Que, com a espada primeiro,
Foi quem mais glória alcançou:
Campeia por toda parte,
No peito de Bonaparte
Como na fronte de Hugo.
Das revoltas nos prelúdios
Se transforma em Mirabeau;
Jeová pede-lhe o nome
Ele responde: - "Quem sou?!
- Nesta libré onde a história
Gravou a fama e a glória,
Que os sec´los vêm repetir...
Perguntai meu nome às gentes,
Perguntai aos continentes...
- Que vos responda o Porvir!

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.