Formação

Chamada para realizadores

Abertas as inscrições para a 4ª Temporada de Arte Cearense e a 6ª seleção para os Laboratórios do Porto

00:00 · 22.02.2018 por Iracema Sales - Repórter
Image-0-Artigo-2365441-1
Em sentido horário: Bete Jaguaribe, diretora do Porto Iracema; a jornalista e curadora Ana Cecília Soares e a cantora e atriz Marta Aurélia, que participaram de edições dos Laboratórios de Criação ( Fotos: Fabiane de Paula/Nah Jereissati (13/09/2016)/div. )

Da Capital ao Interior chegou mais uma oportunidade de a produção artística do Ceará mostrar sua cara. A partida para a garimpagem dos talentos foi dada no dia 15 de fevereiro, quando a Escola Porto Iracema das Artes abriu inscrições para a seleção de 22 projetos que integrarão as atividades dos Laboratório de Criação 2018, nas linguagens em teatro, cinema, artes visuais, música e dança.

Durante sete meses, artistas e tutores viverão a experiência denominada "tempo de invenção", conforme destaca Bete Jaguaribe, diretora da Escola Porto Iracema. Em sua avaliação, os laboratórios constituem a experiência mais importante vivenciada durante os cinco anos de criação do equipamento, centrada na formação.

As inscrições para a 6ª seleção podem ser feitas até 16 de março no site portoiracemadasartes.Org.Br/inscricoes/.

Já o programa de ocupação artística Temporada de Arte Cearense, lançado em 2013, seleciona projetos para dez linguagens artísticas: Música, Teatro, Dança, Circo, Literatura, Performance, Fotografia, Artes Visuais, Cinema e Cultura Popular Tradicional (esta última substitui a categoria Pontos de Cultura), distribuídas em 32 programas. Nesta quarta edição, artistas e grupos cearenses ou residentes no Estado há pelo menos dois anos, poderão se inscrever, até 5 de março, pela página mapa.Cultura.Ce.Gov.Br/projeto/919.

Segundo João Wilson Damasceno, diretor de ação cultural do Centro Dragão do Mar de Are e Cultura (CDMAC), equipamento, o programa é responsável por 50% da programação do equipamento. A novidade para este ano é o volume de recursos superior a R$ 2 milhões - um aumento de 58% em relação ao último edital, o que implica reajuste de cachês.

A ideia da seleção é mostrar um panorama da produção cearense. Há dois anos o processo passou a ser on-line, a fim de abranger também artistas do Interior. A videoconferência foi a maneira encontrada para a Escola Porto Iracema divulgar a seleção entre artistas dos 184 municípios cearenses, argumenta Bete Jaguaribe.

"A Temporada de Arte Cearense é democrática, realizada mediante seleção pública, com curadores externos", explica João Wilson, completando que o programa funciona como uma maneira dos artistas novatos e veteranos mostrarem seus trabalhos. O edital beneficia também o público, que pode fruir essa produção com ingressos a preços populares ou gratuitos. A direção do Instituto Dragão do Mar (IDM) projeta que a 4ª edição chegue a 150 mil espectadores e aprove mais de 200 projetos, ultrapassando 500 apresentações.

O edital garante programação de qualidade durante toda a semana. A terça-feira é dedicada a espetáculos de teatro, enquanto na quinta acontecem as apresentações de dança. No sábado e domingo, a programação é de teatro infantil. A seleção é destinada a artistas e grupos que tenham obras prontas para serem mostradas.

Dentre os 32 programas ofertados, alguns são dedicados a jovens artistas - a exemplo do "Nova Cena", de teatro. A linguagem musical também contempla os iniciantes, com ênfase na produção autoral. Ao longo desses cinco anos, a Temporada revelou nomes como Nayra Costa e Daniel Groove, lembra João Wilson.

Porto Iracema

Bete Jaguaribe ressalta a importância dos Laboratórios de Criação do Porto pela originalidade da proposta. A começar pelo tempo de duração - sete meses -, considerado suficiente para que artista e tutor estabeleçam um diálogo em torno do tema.

"É o tempo de invenção que não é do espetáculo", explica ela, qualificando a experiência como algo precioso, a partir da afinidade que tutores e artistas criam em torno de uma proposta artística ou de pesquisa. "Nossa ênfase é no processo criativo que envolve formação crítica e discussão". Os critérios para avaliação dos projetos envolvem originalidade e consistência artística, análise de trajetória, portfólio e apresentação pública. Aos artistas que participaram no ano anterior é vetada a inscrição no seguinte.

A seleção de 2018 está aberta a artistas que não participaram nos últimos dois anos. Todo o processo é gratuito e os selecionados receberão ajuda de custo mensal, além do acompanhamento de tutor, que será escolhido a partir de sugestão do selecionado.

Natasha Faria, coordenadora dos Laboratórios, esclarece que a formação não é destinada a artistas iniciantes, por isso, o processo seletivo leva em consideração o percurso profissional dos inscritos. A capacidade para a execução da proposta no tempo de duração do laboratório constitui requisito importante na avaliação, que começa com a inscrição on-line, vindo em seguida a análise técnica, da documentação e dos projetos.

A seleção é feita por profissionais de outros estados. Após um mês de análise, serão selecionados cerca de 15 propostas de cada linguagem, cujos autores participarão de entrevistas. "Os Laboratórios não têm como objetivo a realização de um produto final, como um espetáculo ou exposição, mas o período da pesquisa", atenta a coordenadora.

A seleção é bastante concorrida: na última edição, os laboratórios de música e teatro receberam 104 e 70 inscrições, respectivamente, para quatro vagas cada um.

O de cinema é o único a abrir seis vagas, sendo duas para outros estados do Nordeste. O processo é composto de três etapas e as atividades começam no dia 5 de maio. Desde sua criação, em 2013, até o momento, foram desenvolvidos 107 projetos, envolvendo diretamente 271 artistas.

As ações dos Laboratórios totalizam 173 oficinas e 137 master classes, envolvendo mais de seis mil participantes.

Depoimentos

A cantora e atriz Marta Aurélia participou do Laboratório de Música em 2014, tendo como tutor o guitarrista Jr. Tostoi, e fala com entusiasmo da experiência. "O Laboratório fez parte do processo criativo para a construção dos meus espetáculos, que envolvem elementos cênicos e musicais".

Ela destaca também "a oportunidade de ter um estudo sistematizado numa escola de arte, algo raro, principalmente no atual momento político pelo qual o Brasil passa. É um oásis em meio a essa secura".

A jornalista e curadora Ana Cecília Soares também fala sobre sua passagem pelo Laboratório de Artes Visuais, no ano passado, para desenvolver o projeto "Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã, um segundo antes de acordar". A pesquisa tinha como objeto de estudo a incidência do surrealismo no desenho cearense, nas décadas de 1970 e 1980, esclarece a jornalista, que considerou a experiência proveitosa.

Como existem muitas lacunas na história da arte cearense, sua investigação tinha o papel de preencher um desses espaços em branco, justifica. O trabalho contou com a tutoria da psicanalista e teórica da arte Tania Rivera. A realização de master classes, que completa as atividades da tutoria, é o momento de compartilhar o conhecimento com o público, mostrando o retorno para a sociedade.

Mais informações:

Inscrições para a Temporada de Arte Cearense 2018/2019. Até 5 de março no site mapa.cultura.ce.gov.br/projeto/919 Inscrições para Laboratórios da Escola Porto Iracema. Até 16 de março no site portoiracemadasartes.org.br/ inscricoes/

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.