Ensaio

As entranhas da narrativa ficcional

00:48 · 01.06.2013
Narrado em 3ª pessoa, o conto começa com a melodia do drama de Judá ressoando na cabeça do cônego Matias - personagem principal - enquanto este procura um adjetivo para anexar a um substantivo já encontrado. Logo de início, o narrador admite que o que ele vai dizer será desacreditado, mas afirma que "o dia da conversão pública há de chegar... e abraçarão esta psicologia nova, única e verdadeira...", quando já se nota que o enredo trará em si alguma reflexão sobre a mente humana.

Esta obra, do pintor belga René Magritte, é uma das expressões mais importantes da pintura surrealista - uma das vanguardas estéticas do início do século XX e que percorre o universo do sonho, do inconsciente, rompendo com o real objetivo

O idílio psíquico

Trata-se da "cabeça" do cônego Matias, que elaborava um sermão para uma festa próxima. Durante esta atividade, o cônego esbarra na dificuldade de encontrar um adjetivo para casar com um determinado substantivo. A partir daí dá-se um verdadeiro "idílio psíquico" no qual Sílvio e Sílvia, personificação do substantivo e do adjetivo, procuram-se, buscam um ao outro, é uma união perfeita, destinada ab aeterno.

O ponto de vista

O narrador faz um convite ao leitor: "Subamos à cabeça do cônego... Cá estamos. Olha que é a cabeça do cônego".

É por tal lugar que viajarão o narrador e o leitor, no cérebro do religioso, em que ocorrerá uma descrição da luta, da tensão entre tudo aquilo que está no consciente e no inconsciente e influenciará de alguma forma a composição do sermão.O trabalho intenso do sacerdote é reforçado pela antítese: "A inspiração, com os olhos no céu, e a meditação, com os olhos no chão....".

Descreve-se como se dá a procura do adjetivo em cabeça de padre. A linguagem em que se concebe a busca amorosa entre o substantivo e o adjetivo, Sílvio e Sílvia, o que eles encontram no cérebro do cônego, influências, ideias que surgem e obscurecem ainda mais as vozes dos chamados de ambos, as figuras que surgem de modo diverso da realidade; fatos que haviam sido esquecidos inteiramente pelo cônego pululam no seu inconsciente, atrapalhando a busca do substantivo e do adjetivo.

Um mundo pastoso

O cônego vai espairecer-se do esforço. Esquece o trabalho de há pouco. O substantivo e o adjetivo, porém, "prosseguem em busca um do outro, sem que ele saiba nem suspeite nada". O narrador trata diretamente do inconsciente, descrevendo-o como um lugar do desconhecido, onde as reminiscências, disforme e confusamente, vivem, atuam.

Nas entranhas

Na imensidão do inconsciente, recordações da infância vagueiam, ideias permeiam-se, imagens, confusas, misturam-se. Sílvio e Sílvia continuam a procurar-se e a esbarrarem-se em conteúdos dos estudos antigos do padre, naquilo que está engavetado em algum espaço da mente do religioso, "na grande unidade impalpável e obscura". O cônego volta à mesa do trabalho. "Justamente agora é que os dous cobiçosos estão mais perto um do outro", porque, enquanto o cônego repousava a mente, o inconsciente se movimentava embalado pela busca do substantivo e do adjetivo. "Enfim, Sílvio achou Sílvia... Unem-se... regressam palpitando da inconsciência para a consciência... o cônego estremece... Sílvia caminhará ao pé de Sílvio, no sermão que o cônego vai pregar um dia destes...".

O conto e o inconsciente

Mas quais as possíveis relações de contato entre o conto e a ideia freudiana de inconsciente? Desde o momento em que o leitor "aceita" o convite do narrador e passa a divagar, ao lado deste, pela mente do cônego, somos expostos à descobertas e informações sobre o que há na cabeça do religioso. Num dado momento, o narrador observa: (Texto I)

É possível perceber em meio ao rebuscamento das frases a presença de dados, informados pelo narrador, que fogem ao campo da consciência, da percepção imediata do próprio cônego.

São conhecimentos, experiências, conteúdos obtidos ao longo dos anos, mas que estão resguardados em algum lugar desconhecido da mente. São coisas "perdidas", portanto, no inconsciente.

Um pouco mais adiante, o narrador reafirma de modo mais explícito o encontro com esses conteúdos abscônditos da psique do cônego: (Leia-se o Texto II)

A mente desnuda

O que o narrador fez com relação à mente do cônego Matias é na verdade o que Machado de Assis faz em relação à psique humana.

De forma poética, através do texto literário, utilizando inúmeras metáforas, Machado desnuda os conteúdos obscuros da mente. E o faz utilizando-se da sua incomparável ironia ao retratar o momento em que o narrador e o leitor, no giro pela mente do cônego: "chegam às profundas camadas de Teologia, de Filosofia, de liturgia, de geografia e de história, lições antigas, noções modernas, tudo à mistura, dogma e sintaxe. Aqui passou a mão panteísta de Spinoza, às escondidas; ali ficou a unhada do Doutor Angélico..." O cerne da nossa análise é mostrar que o conceito de inconsciente filiado à Psicanálise possui algumas relações de proximidade com conto "O cônego ou metafísica do estilo". E tal relação dá-se por antecipação, haja vista a obra "Várias Histórias", da qual faz parte o conto supracitado, ter sido publicada por volta de 1894, ou seja, no mínimo, seis anos antes de Freud lançar a obra inaugural da Psicanálise: A Interpretação dos Sonhos.

Considerações finais

É mais um caso em que a Literatura, a seu modo, antecipa descrições científicas sobre determinados temas. O próprio Machado de Assis no conto "O Anjo Rafael", publicado em 1869, no "Jornal das Famílias", antecipou em dezoito anos a descrição de um distúrbio psíquico, a "folie à deux" (loucura a dois), descoberta pelos psiquiatras Jean Pierre Falret e Ernest-Charles Lasègue em 1887.

Essa patologia leva pessoas muito próximas a alguém acometido de algum sintoma psicótico a sofrerem, pelo contato, a assimilação do mesmo problema mental. Há quem assevere ter sido Fiódor Dostoiévski, no romance "O Idiota", o primeiro a descrever a epilepsia do lobo temporal, tipo de epilepsia mais comum em pacientes adultos. Passagens de "As viagens de Gulliver", de 1726, descrevem, nesse mesmo matiz antecipatório, a "Doença de Alzheimer". O próprio Freud encontrou no "Édipo rei", de Sófocles, uma espécie de antecessor da Psicanálise. (As questões do psiquismo sempre intrigaram o ficcionista Machado de Assis, mesmo na fase inicial, com o romance Helena) (A. S & F. R.)

Trechos

TEXTO I

"Caminho difícil e intrincado que é este de um cérebro tão cheio de cousas velhas e cousas novas! Há aqui um burburinho de ideias, que mal deixa ouvir os chamados de ambos; não percamos de vista o ardente Sílvio, que lá vai, que desce e sobe, escorrega e salta; aqui para não cair, agarra-se a umas raízes latinas, ali abordoa-se a um salmo...".

TEXTO II

"Agora, porém, o caminho é escuro. Passemos da consciência para a inconsciência, onde se faz a elaboração confusa das ideias, onde as reminiscências dormem ou cochilam ... vasto mundo incógnito. Sílvio e Sílvia rompem por entre embriões e ruínas. Grupos de ideias, deduzindo-se à maneira de silogismos, perdem-se no tumulto das reminiscências de infâncias e do seminário ...cousas e homens amalgamam-se; Platão traz os óculos de um escrivão da câmara eclesiástica; mandarins de todas as classes distribuem moedas etruscas e chilenas, livros ingleses e rosas pálidas; tão pálidas que não parecem as mesmas que a mãe do cônego plantou quando era criança. Memórias pias e familiares cruzam-se e confundem-se. Cá estão as vozes remotas da primeira missa; cá estão as cantigas da roça que ele ouvia cantar às pretas, em casa; farrapos de sensações esvaídas, aqui em medo, ali em gosto, acolá um fastio de cousas que vieram cada uma por vez, e que ora jazem na grande unidade impalpável e obscura."

SAIBA MAIS

ASSIS, Machado de. Várias Histórias. São Paulo: Martin Claret, 2006

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao estudo de Psicologia. São Paulo: Editora Saraiva, 1999

FREUD, Sigmund. Freud por ele mesmo. São Paulo: Martin Claret, 2005

METÁFORA: LITERATURA E CULTURA. Escritores cientistas, São Paulo, nº. 1, 2011. Editora Segmento

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.