Arte mapeada

No Dia Nacional do Grafite, Fortaleza ganhará um aplicativo que mapeia as obras de arte urbana espalhadas pela cidade. Essa e outras iniciativas digitais articulam novas maneiras de interação com a urbe

00:00 · 25.03.2017 por Roberta Souza - Repórter

Em geral, obras de arte urbana costumam nos pegar de surpresa. Não raro, nós as percebemos a caminho de um compromisso; ainda que já estivessem ali por certo tempo, podem pedir um olhar direcionado para se fazerem realmente vistas. Em outros casos, chamam atenção de imediato, instigando o observador a entendê-las para além do que se pode ver.

Leia mais

.Coexistência do físico e do digital 

.Uma nova forma de interagir com a urbe 

.Em busca de rotas culturais permanentes 

O processo que conduz essa contemplação ganhará mais uma ferramenta a partir de segunda-feira (27) em Fortaleza. Trata-se de um aplicativo geolocalizador desenvolvido pelo Festival Concreto em parceria com os governos municipal e estadual, que será lançado a partir das 17h, em evento no Cineteatro São Luiz.

Auxiliar no mapeamento, memória e geolocalização das obras; integrar, ainda mais, os artistas e a cidade; ajudar a construir rotas de contemplação, promover encontros e também a doação de muros; apresentar as cores da capital: estes são alguns dos objetivos do aplicativo "Arte Urbana Fortaleza", que logo estará disponível para download gratuito, tanto para iOS como para Android.

O grafiteiro Narcélio Grud, idealizador do Festival Concreto e coordenador do projeto que resultou neste aplicativo, visitou três outras cidades do mundo onde a ferramenta é utilizada - Berlim, Londres e Madri -, e garante que o daqui tem funcionalidades mais interativas, o que o torna inovador.

"Os de lá são todos bem básicos, com nome do autor e da obra; o nosso é mais personalizado", explica. O aplicativo cearense, por exemplo, permite que as pessoas criem rotas de apreciação - seja pela busca dos trabalhos de um artista específico ou a partir de obras diversas detectadas em suas proximidades.

Interação

Mas é a opção "Doe um Muro" que mais se destaca frente aos demais aplicativos existentes. Baseada na experiência que o Festival Concreto teve desde sua segunda edição - com o pedido deste tipo de doação que abriu margem para a execução de inúmeros trabalhos -, essa nova possibilidade vai garantir que os espaços para intervenções continuem sendo oferecidos em outros períodos do ano.

"Nas duas últimas edições do Festival, a gente teve uma participação muito bacana da população, mais de 70% dos muros grafitados foram doados. Mas não atendemos a todos e agora entramos em contato com essas pessoas, falamos do aplicativo e elas concordaram em manter a doação", conta Grud.

Quem tiver interesse em doar, pode mandar uma foto pelo próprio "Arte Urbana Fortaleza". Os artistas terão acesso a isso, podendo solicitar autorização direta para intervir no muro doado. Se em 72 horas, a obra não for feita, a parede voltará a ficar disponível para que outros possam solicitá-la.

Entre os critérios do projeto, vale ressaltar que nenhuma das obras deve ter conotação racista, preconceituosa, política, sexual; tampouco poderão estar vinculadas à publicidade. "Quando você coloca uma logomarca, tira o caráter de obra de arte. A gente trabalha pela valorização do grafite. A publicidade pode entrar em todas as outras coisas, mas na parede, não", defende.

Há mais de um mês o aplicativo já está funcionando em caráter experimental. As obras cadastradas até agora dizem respeito, principalmente, ao que Grud já tinha arquivado com as três edições do Festival Concreto.

Na segunda, quando o aplicativo ficar disponível para o público, tanto artistas quanto apreciadores poderão mandar imagens de arte urbana em Fortaleza; estas passarão por um processo de curadoria para entrarem efetivamente no mapeamento.

"Acho que é mais uma ação que visa a profissionalização, uma integração maior da população com essas obras, que são públicas, estão na rua, e as pessoas poderão acessar de forma mais fácil. Esses apreciadores vão se encontrar, vão viver mais a cidade, conhecer outros artistas", acredita Grud.

Mais informações:

Lançamento do Aplicativo "Arte Urbana Fortaleza" e festa Dia Nacional do Grafite. Dia 27 de março, a partir das 17h, no Cineteatro São Luiz (R. Major Facundo, 500, Centro). Gratuito.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.