novo projeto

Anos de batalha e genialidade

Após o fim oficial das atividades, Black Sabbath prepara outro material especial sobre a fase clássica do grupo

00:00 · 17.07.2017 por Antonio Laudenir - Repórter

Em fevereiro deste ano o Black Sabbath protagonizou, segundo os integrantes, o último show da carreira. O concerto realizado na Genting Arena, em Birmingham, representou dessa forma o fim de uma era de peso, polêmicas e genialidade difundidas através de quase meio século de existência.

Verdadeira instituição da cultura popular, Bill Ward, Geezer Butler, Ozzy Osbourne e Tony Iommi (soberana formação clássica entre 1968 e 1978) estabeleceram as pedras fundamentais do heavy metal e injetaram o clima obscuro e esfumaçado da cidade natal na música produzida nos anos 1970.

Entretanto, quando o assunto corre para o lado business, o grupo segue em constante atividade. Mirando o público sedento por novidades, a escolha dos ingleses é por requentar o material clássico e aprofundar o clima em torno dos últimos shows realizados na turnê mundial "The End".

Nesse último caso, o Black Sabbath vai disponibilizar nos cinemas o filme "Black Sabbath: The End of The End", que mostrará os bastidores do último concerto. Além das imagens ao vivo, o filme incluirá imagens de bastidores, incluindo imagens de estúdio da banda tocando músicas não apresentadas no repertório ao vivo. O documentário terá única exibição, no dia 28 de setembro. Para o Brasil não foram confirmadas informações de onde será exibido o longa.

Caixa

A segunda novidade em torno dos britânicos fica pela divulgação do lançamento da luxuosa caixa intitulada "The Ten Year War". Essa "Guerra dos Dez Anos" chega ao mercado em 29 de setembro (justamente um dia depois do documentário) e reúne todos os discos produzidos pelo grupo durante a formação original.

O conteúdo do box reúne os LPs (todos em vinil 180g em cores únicas) "Black Sabbath" (1970), "Paranoid" (1970), "Master Of Reality" (1971), "Vol. 4" (1972), "Sabbath Bloody Sabbath" (1973), "Sabotage" (1975), "Technical Ecstasy" (1976) e "Never Say Die!" (1978).

Além da discografia oficial, a caixa reúne dois 7 polegadas raros: a versão japonesa de "Evil Woman (Don't Play Your Games With Me)/Black Sabbath" e a versão chilena de "Paranoid/The Wizard" (só 100 cópias desse foram feitas à época). A história não se encerra aí e prossegue com a brochura "The Ten Year War" (reproduzida do original), livro de capa dura com fotos inéditas da banda nos anos 1970, reprodução do Programa da Turnê Mundial de 1978 e pôster do icônico show na Seattle Centre Arena (1972). Para fechar a tampa do "caixão", o quarteto disponibiliza USB em formato de crucifixo, que serve de pingente de colar, com áudios de alta qualidade dos discos e extras.

Guerra

O lançamento descortina da gênese da banda à saída do homem de frente, Ozzy Osbourne. Nesse intervalo, o mundo assistiu a ascensão de quatro jovens advindos de um pequena cidade industrial inglesa. Ganharam o mundo, detonaram o que puderam detonar e trouxeram um ar maligno ao então ensolarado rock.

Criados em Birmignahn, a banda reuniu à explosiva mistura de blues-rock as letras do baixista Geezer Butler (apoiadas pesadamente no ocultismo), a escalada sem igual de riffs do guitarrista Tony Iommi e o massacre sem igual da bateria de Bill Ward. Sem contar, é claro no carisma e selvageria de Ozzy.

O quarteto ultrapassou as limitações de seu tempo e influenciaram diferentes gerações de músicos. Foi formado em 1968 sob o bizarro nome de "Polka Tulk Blues Band" - Iommi e Ward queriam dar ao blues uma direção mais robusta. Eles recrutaram os serviços de Butler e Osbourne, que haviam tocado juntos em um grupo chamado "Rare Breed".

No final daquele ano, o quarteto operava com o nome de "Earth" e a transição definitiva para Black Sabbath aconteceria logo depois, quando Osbourne e Butler escreveram uma música inspirada em um filme de terror de 1963, com Boris Karloff no elenco. O nome homônimo "Black Sabbath" resultaria em uma sonoridade macabra, assustadora para os padrões daquela época. A faixa seria o cartão de visita dos ingleses. A maldade entraria de vez na musicalidade rock.

Durante esses 10 anos de guerra, sucederam-se clássicos do metal como "N.I.B", "War Pigs", "Paranoid", "Children of the Grave", "Into the Void", "Snowblind", "Sabbath Bloody Sabbath", "Sympton of the Universe", entre outras porradas.

A caixa "The Ten Year War" terá pré-venda no dia 25 de agosto e sai pela bagatela de 195 libras (algo em torno de R$ 810). Este lançamento acompanha o recente aquecimento em torno dos vinil e estabelece um passeio definitivo sobre um dos períodos mais férteis do grupo. Os fãs mais afortunados financeiramente agradecem.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.