cantora

Ana Cañas está na vida

Paulistana faz três shows na Caixa Cultural Fortaleza. Ingressos começam a ser vendidos nesta quinta (15)

Ana Cañas: "tem que estar no palco", fala, sobre a carreira ( Foto: Caroline Bittencourt/divulgação )
00:00 · 15.03.2018 por Roberta Souza - Repórter

Logo que apareceu para a cena musical brasileira, a paulistana Ana Cañas foi identificada como uma promessa da chamada "nova MPB". As parcerias que firmou ao longo dos anos com músicos como Arnaldo Antunes, Nando Reis e Lúcio Maia (Nação Zumbi) foram reforçando sua vocação. Hoje, com pouco mais de uma década de atuação, ela segue com a turnê de um dos seus discos mais elogiados pela crítica especializada, e incrementa o repertório do show que realiza em Fortaleza nos dias 16, 17 e 18 de março com alguns clássicos da música nacional.

As apresentações acontecem na Caixa Cultural, sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h. Os ingressos já podem ser adquiridos a partir das 10h da manhã desta quinta (15), na bilheteria do local. A paulistana promete 1h30 de show, como já fez nas cidades de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. "Tô na vida" é o nome da turnê e também do quarto disco de Cañas, expressão que serve como metáfora do que ela vem fazendo nos três últimos anos de circulação.

Por aqui, ela esteve em 2015, por ocasião da Feira do Livro Infantil, e no ano passado, no Festival de Jazz e Blues. A relação com o público cearense, segundo a cantora, é sempre calorosa. "Adoro o Nordeste, apesar de cada estado ter a sua idiossincrasia. Em Fortaleza, tenho alguns amigos da vida toda. O público é muito quente, receptivo, muito aberto e é sempre uma grande alegria poder levar o som, porque somos recebidos com muito carinho, expectativa, ansiedade. E isso é recíproco, temos necessidade desse encontro", detalha.

O quarto disco da cantora, no qual ela aparece mais "roqueira", foi produzido por Lúcio Maia (Nação Zumbi) em parceria com Ana e mixado por Mario Caldato. Gravado em São Paulo, é o primeiro totalmente autoral de sua carreira e considerado pela crítica seu melhor álbum. Com 13 canções, "Tô na Vida" conta com a participação de Marcelo Jeneci, Pedro Luís ("O som do osso"), Dadi ("Hoje nunca mais") e Arnaldo Antunes, nas canções "Madrugada quer você", "Um dois um só" e na que dá título ao trabalho.

Sobre a boa receptividade do disco, ela demonstra satisfação. "Fico feliz e grata que tenham elogiado muito quando lancei. Esse disco concorreu ao prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na época, é o reconhecimento de um trabalho que fazemos com muito carinho", ressalta. Mas entende também que é no palco onde a coisa acontece. "O público tem discernimento para saber o que é bom, o que não é, o que gosta ou não gosta. Uma boa crítica ajuda na divulgação, mas tem que estar no palco da vida, independente disso. Tamo aí fazendo show, rodando o País inteiro, seguindo caminho".

Novidades

Ainda que algumas pessoas já possam ter visto a turnê de "Tô na vida", Ana reforça que esta apresentação é diferente. Entre as novidades para a série de shows pela Caixa Cultural estão versões para "Tigresa" (música que ela cantou uma única vez, a convite do Prêmio Multishow em 2015 _ considerado o ponto alto da noite), "Eu Amo Você" (clássico de Tim Maia) e "Velha Roupa Colorida", do cearense Belchior. Compõe ainda o repertório o single "Respeita" (música que ganhou clipe com a participação de 86 mulheres que estão à frente da resistência feminista, como Elza Soares e Maria da Penha), "Esconderijo", Urubu Rei", "Será Que Você Me Ama?" e "Pra Você Guardei O Amor".

Segundo Cañas, essa seleção foi feita a partir da demanda do próprio público. "Como é uma turnê de despedida, estou querendo homenagear esse público tão querido, atendendo a pedidos de pessoas, tentando retribuir o carinho", pontua.

A cantora destaca ainda uma canção inédita no setlist, que integrará o repertório do disco novo, previsto para o segundo semestre de 2018. Sobre este trabalho, no entanto, ela guarda segredos. O que adianta é que haverá alguns duos, um deles com a cantora Maria Gadú, e, possivelmente, releituras de músicas conhecidas, além das autorais. "O disco novo a gente só sabe falar mesmo quando começa a gravar. Por enquanto, ainda está tudo meio misterioso".

Mais informações:

Show Ana Cañas, na Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema). De 16 a 18 de março. Sexta e sábado, às 20h; domingo, às 19h. Classificação: Livre. Ingressos: R$ 20 (inteira). Vendas a partir de hoje (15), das 10h às 20h, na bilheteria do local

Saiba Mais

Ana Cañas descobriu a vocação para a música quando iniciou o curso de Artes Cênicas na ECA-USP, ao fazer um teste para um espetáculo musical.

Em 2007, lançou o seu primeiro álbum, "Amor e Caos", com grande influência de jazz e MPB.

Em 2009, chegou às lojas o segundo disco da cantora, "Hein?". Produzido por Liminha, a cantora acrescentou à sua sonoridade o rock, além de contar com participação de Gilberto Gil e parceria de Arnaldo Antunes nas composições.

O segundo álbum também trouxe o maior sucesso de Ana até então, a balada "Esconderijo".

Em 2009, fez uma participação no álbum "Drês", de Nando Reis, na canção "Pra Você Guardei o Amor", tema de novela.

Em 2012, lançou seu terceiro disco, intitulado "Volta". O trabalho foi gravado ao vivo e conta com canções autorais inéditas e versões para clássicos da música ("La Vie En Rose", "Stormy Weather", "My Baby Just Cares For Me" e "Rock and Roll" do Led Zeppelin).

O show "Volta" contou com a direção e iluminação de Ney Matogrosso. Ele gerou o primeiro DVD da cantora, "Coração Inevitável".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.