ROMANCE

A vida como uma grande festa: luzes e sombras

01:19 · 18.05.2013
Um dos clássicos da literatura moderna norte-americana recebe uma edição de luxo, bilíngue, em capa dura

A atmosfera que envolve a trama descreve a vida da alta burguesia norte-americana nos espaços de Nova Iorque e no litoral de Long Island, e o tempo é o verão de 1922. O autor, habilmente, capta o que se esconde por trás de gestos e de atitudes das personagens, cosendo um mundo que se estende entre a essência e a aparência: "Um cadáver passou por nós em um ataúde coberto de flores, seguido por duas carruagens com as cortinas fechadas e carruagens mais joviais destinadas aos amigos. Estes nos fitaram com olhos trágicos e os pequenos lábios superiores da gente do Sudoeste da Europa, e me alegrei pelo fato da visão do esplêndido carro de Gatsby ter sido incluída em seu feriado sombrio." As forças que controlam a existência - as da vida e as da morte - estão constantemente se digladiando ao longo da narrativa.

Detalhe da capa do romance "O Grande Gatsby", do escritor norte-americano F. Scoot Fitzgerald. O universo que envolve riqueza, atitividades ilícitas, paixões e traições constitui o pano de fundo para um dos grandes textos do século passado

A trama

Gatsby e Daisy encontram-se cinco anos antes do início dessa trama. Enquanto ela é uma bela moça de tradicional família, ele é um jovem oficial da Marinha, desprovido de bens materiais e de grande senso de dever para com a pátria. Eles se apaixonam um pelo outro. No entanto, o conflito bélico - A Primeira Guerra Mundial - obriga-o a separar-se dela, uma vez que ele vai para o combate. Ela, por sua vez, casou-se com um milionário Tom Buchanan. Terminada a guerra, ele, de volta, empenha-se em reconquistar Daisy. Entende que para tal deve, de modo obsessivo, construir fortuna não importam os meios. Já rico e poderoso, comprar uma mansão próxima da que a mulher morava com o marido. Gatsby promove festas extravagantes na esperança de que Daisy compareça a uma delas. Quando, por fim, eles se reencontram, acontecimentos trágicos ocorrem. A história é contada através da percepção do amigo e vizinho do onipotente Gatsby, que mora numa casa humilde e indaga sobre os valores que regem a vida social.

Recursos expressivos

O ponto de vista em primeira pessoa põe em destaque um narrador observador que, a partir de humor e de ironia, tece a cena social. A crueza do mundo é descortinada, sem que o narrador haja qualquer sentimento de piedade diante dos valores que movem os atos das personagens. A forte presença do diálogo mostra como as pessoas, na vida social, procuram burilar as palavras, confeitá-las, no sentido de que nada possa ser dito além do conveniente: "- Afinal das contas, quem é esse Gatsby?, perguntou Tom subitamente. Algum contrabandista importante? - Onde ouviu isso? Perguntei. - Não ouvi, imaginei". Como se percebe, as falas são secas, judiciosas, incisivas. Entram na trama como um elemento importante, pois, dependendo de determinadas circunstância, podem intensificar, no sentido da intensidade dramática, a atmosfera que envolve as personagens.

Considerações finais

Além do desenho de uma sociedade alimentada pela ânsia de riqueza e de poder, o autor também se ocupa de questões políticas, econômicas e sociais, com destaque para os conflitos bélicos e para os efeitos da lei seca: o contrabando de bebidas alcoólicas, bem como o aumento do crime organizado. O amor entre os protagonistas serve de pano de fundo para que toda uma sociedade seja investigada, pondo a nu os verdadeiros motivos por que a sociedade se orienta. Trata-se de uma história densa e que coloca em destaque a condição humana, em suas eternas contradições.

LIVRO

O Grande Gatsby
F. Scott Fitzgerald
LANDMARK
2013, 224 Páginas
R$ 30,00

CARLOS AUGUSTO VIANA
EDITOR

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.