exposição

A transcendência em imagens

A XIX Unifor Plástica continua em cartaz, no Espaço Cultural da Unifor, até 28 de janeiro de 2018. Obra do fotógrafo Rodrigo Frota é um dos destaques da mostra coletiva

00:00 · 07.12.2017

Até o próximo dia 28 de janeiro, segue em cartaz, no Espaço Cultural da Universidade de Fortaleza (Unifor), a XIX Unifor Plástica. A edição da mostra, em 2017, homenageia o artista plástico cearense Sérvulo Esmeraldo, falecido no último mês de fevereiro. Em diálogo com a obra de Sérvulo, os artistas Eduardo Frota, José Guedes, José Albano, Carlos Macedo, Tiago Santana, Eduardo Eloy, Rafael Vilarouca, Cadeh Juaçaba, Márcio Távora, Luiza Veras, Waleria Américo, Marco Ribeiro, Sabyne Cavalcanti e Rodrigo Frota expõem seus trabalhos.

Realizada após uma pesquisa que durou seis meses, entre março e agosto deste ano, a seleção aborda a tradição construtivo/concreta brasileira, tendo uma perspectiva dos meios empregados na construção dos objetos.

Uma das obras que marca a exposição coletiva é a junção de seis quadros produzidos pelo fotógrafo Rodrigo Frota, para sua série "Pictoriais" (Sem título, 2011, 80 x 120cm). Em entrevista por telefone, o artista contextualiza a produção da obra. "Fiz um estudo sobre diversos pintores. Grandes pintores clássicos, desde modernistas, contemporâneos, e aí levantei algumas questões da pintura", resume Frota.

O artista se refere à obra "O Lago das Ninfeias", do francês Claude Monet (1840-1926), para situar os artifícios que basearam sua própria criação. Pontuando os seis quadros criados, Rodrigo Frota enfatiza como "a maioria das minhas obras tem um caráter exploratório. Nessa obra específica, não existe uma sequência (fixa) de montagem. O olhar do espectador define por onde pode fluir melhor essas linhas", sugere.

Ainda refletindo sobre como os seis quadros "funcionam" independentes de si, Rodrigo Frota observa que a percepção da obra depende de como o espectador se posiciona (mais perto, ou mais longe dos quadros).

"O que mais tentei buscar, nesse quadro, é a transcendência da realidade. De uma realidade enclausurada dentro do quadro. Da mesma série, Pictoriais, tem outra obra minha, na mesma perspectiva, exposta no Museu da Fotografia", situa o artista.

Sobre a homenagem a Sérvulo Esmeraldo, Rodrigo destaca que "é mais que uma honra" expor em um evento com esse mote. "Para nós, cearenses, em relação à pintura, à escultura, se você olhar para a carga artística que ele nos deixou, o poder de representar a gente é incrível. Inclusive, conheço vários artistas que se espelham nele para criar", elogia.

Cenário

Com sua obra em cartaz no circuito artístico de Fortaleza (a exemplo da participação na mostra coletiva "Todas as Direções", na Galeria Casa D`Alva, aberta em julho passado), Rodrigo Frota vê crescimento no cenário artístico da cidade, em relação ao interesse do público e ao amadurecimento dos criadores.

"Você tinha uma situação, antes, em que principalmente os colecionadores podiam comprar. Hoje existe um movimento maior, das pessoas querendo vender obras de valor. Ao invés de chegar numa loja comum e comprar um quadro de 10 mil reais, você tem onde procurar melhor agora", identifica Rodrigo.

Ele recorda que o próprio Sérvulo Esmeraldo já foi considerado "inacessível" para parte do público. E lembra como antes, para um artista vender sua obra, era preciso bater de porta em porta e "convencer" eventuais compradores.

"Era chatíssimo. Mas hoje os movimentos na cidade potencializaram um interesse novo, o mercado anda mais aquecido. E você tem materiais pra produzir arte, que também estão mais acessíveis. Acha informações livres. Não só o público está mais sensível (à produção artística), como os artistas mesmo estão acompanhando isso", percebe o fotógrafo.

Mais informações:

XIX Unifor Plástica. A mostra segue em cartaz no Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz). Visitação: até 28 de janeiro de 2018, de terça a sexta, das 9h às 19h; sábados e domingos, 10h às 18h. Acesso gratuito. Contato: (85) 3477.3319

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.