Reformas

A difícil manutenção de acervos e espaços culturais

Secretaria da Cultura do Ceará desembolsa cerca de R$ 14 milhões para a reforma de equipamentos como a Biblioteca Pública do Estado

00:00 · 22.02.2016 por Iracema Sales - Repórter
Image-0-Artigo-2018972-1
Espaços como museus, arquivos públicos e bibliotecas contribuem para a preservação da memória de uma sociedade, daí o cuidado que o poder público teve dispensar, sob pena de comprometer a própria história
Image-1-Artigo-2018972-1
Para o Museu do Ceará, será disponibilizado R$ 1,1 milhão. Outro equipamento que está na mira da administração estadual para ser reformado é o Museu da Imagem e do Som do Ceará, cujo valor não foi ainda definido ( FOTO: JOSÉ LEOMAR )

A cultura constitui uma das principais bandeiras da administração do atual governo do Ceará, que, no momento, desembolsa cerca de R$ 14 milhões em reformas de equipamentos culturais, denunciando, assim a, falta de manutenção com as edificações. Parte dos equipamentos data dos séculos XVIII e XIX, mas a idade não é o principal motivo para desencadear a situação de desgaste.

É exemplo do retrato de descaso com o patrimônio cultural material, cujos prédios funcionam como verdadeiros guardiões da vida sociopolítica e cultural de uma sociedade, a Biblioteca Pública do Estado Governador Menezes Pimentel.

Edificação da década de 1970, o equipamento incorpora o espírito da arquitetura moderna do concreto armado, simbolizando o "milagre brasileiro". Mesmo com pouco tempo de uso, o equipamento não resistiu ao desgaste das intempéries do tempo e da falta de manutenção, fazendo com que suas portas fossem fechadas em 2014.

Desde o ano passado, a biblioteca passa por reforma geral, totalizando 60% dos trabalhos, fazendo com que a assessoria de comunicação da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), pasta responsável pela gestão e preservação dos equipamentos culturais (Capital e Interior), assegure que a obra segue o cronograma previsto.

Cabe ao Governo o investimento de R$ 9 milhões. A realização das obras de reforma geral da Biblioteca Pública do Estado implicou na transferência de 40% do total do acervo para a Biblioteca Pública Espaço Estação, local onde o público é atendido, de maneira provisória, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos sábados de 8h às 18h.

Image-2-Artigo-2018972-1

 Desde o ano passado, a Biblioteca Menezes Pimentel passa por reforma geral, totalizando 60% dos trabalhos. Secult diz que obras estão dentro do previsto

Valores

O valor destinado à biblioteca soma-se aos R$ 2,17 milhões que serão empregados na recuperação do Arquivo Público do Estado do Ceará, outra construção que merece o olhar atento do poder público. Há muito tempo, carece de restauração. Para o Museu do Ceará, será disponibilizado R$ 1,1 milhão, conforme licitação. Outro equipamento que está na mira da administração estadual para ser reformado é o Museu da Imagem e do Som do Ceará (Mis- CE), cujo valor não foi ainda definido, enquanto o reforma do Centro Cultural do Bom Jardim está estimada em R$ 664 mil.

Em nota, a Secult confirma a sensibilidade do governador em compreender que esses equipamentos merecem atenção especial, prometendo investir, anualmente, R$ 1,5 milhão apenas em manutenção. "O governador Camilo Santana está demonstrando um amplo compromisso com a cultura, não só pela elevação progressiva do orçamento, já em curso, mas também por várias e amplas ações, como o investimento de quase R$ 40 milhões em editais e, ainda, em obras de restauro/reforma em andamento nos equipamentos culturais do Estado", informa comunicado da Secult.

Arquivo Público

O prédio que abriga o Arquivo Público do Ceará, construção do século XIX, passa por reforma geral, que foi dividida em três etapas. A primeira, consistia na preparação do espaço que receberá o acervo, no Espaço Estação, concluída em janeiro. A segunda, que se refere à transferência do acervo, também está em andamento, contando com o trabalho de empresa especializada para executar o serviço que exige habilidade, devido ao cuidado com o material.

O equipamento guarda importantes documentos da vida do Estado, desde o século XVIII. A terceira etapa da reforma, que vai incluir as obras de reforma e requalificação do espaço, tem prazo de um ano para execução.

O Museu do Ceará, edificação do século XVIII, que também passará por reforma geral, teve obra licitada com investimento de R$ 1,1 milhão. O governador autorizou a Secult a assinatura da ordem de serviço para a obra. "A Secretaria aguarda somente a confirmação da disponibilidade por parte da empresa licitada para execução", uma vez que a licitação aconteceu em 2014, entretanto, a ordem ainda não havia sido dada pelo governo anterior.

No Centro Cultural Bom Jardim, a obra da parte emergencial, referente à coberta, está sendo concluída, para começar os reparos das partes elétrica e hidráulica, além da pintura. As obras e os serviços no MIS-CE terão orçamento definido após a licitação da empresa de manutenção para os prédios do Estado, em curso pelo Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE).

"A data de reabertura do MIS será definida após o termino das obras", assinala a assessoria de comunicação da Secult, completando que o cuidado estende-se também aos equipamentos do Interior. Cita a conclusão das obras da Vila da Música, no Crato, e do Centro de Arte e Cultura Popular e Memorial Cego Aderaldo, em Quixadá, bem como a restauração do Museu Sacro São José de Ribamar, em Aquiraz.

Na contabilidade da Secult, o investimento na reforma dos equipamentos pode atingir quase R$ 40 milhões, se for levado em conta os trabalhos do Cineteatro São Luiz, Theatro José de Alencar e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC). O órgão esclarece que os valores variam a cada ano, acordo com a demanda e as obras em andamento.

"Além das reformas, aproximadamente R$ 1,5 milhão é destinado anualmente para serviços de manutenção dos equipamentos. A expectativa é de que todos esses investimentos sejam mantidos, assim como foi possível em 2015", informa a Secult.

Obras raras

Espaços como museus, arquivos públicos e bibliotecas contribuem para a preservação da memória de uma sociedade, daí o cuidado que o poder público teve dispensar, sob pena de comprometer a própria história. A Biblioteca Pública do Estado detém um importante espaço voltado à pesquisa, o setor de obras raras, que segundo a Secult, passa regularmente por serviços de higienização e restauração dos livros.

Devido à particularidade do material, o acervo não foi transferido para a Biblioteca Pública Espaço Estação, ficando em locais do prédio original. Outro importante ponto destinado aos pesquisadores e estudantes em geral, é a hemeroteca. Enquanto durar a reforma, os interessados devem agendar visita pelo telefone (85) 3101-6779.

Com relação ao processo de informatização do equipamento, a Secult afirma que a digitalização foi concluída para o acervo de livros, faltando parte do setor de obras raras. "70% do acervo de 10 mil obras raras já foram digitalizados, assim como todos os demais livros da Biblioteca (obras gerais, referência, infantil, empréstimos, braile, Ceará etc), abrangendo ao todo aproximadamente 130 mil livros, número que cresce diariamente, com novas doações". Existe um projeto para digitalização dos jornais da hemeroteca, atualmente, em análise por instituições parceiras.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.