Vestida de cores

Eva

A artista plástica Naza revela versatilidade em looks com reprodução de suas telas

Adquirir uma tela e pendurá-la na parede não é novidade. Mas, levar a arte para moda é o diferencial da artista plástica Naza. Esta piauiense, radicada nos Estados Unidos, trouxe para o Brasil, protótipos de vestidos, echarpes, blusas e bolsas com a reprodução de suas telas. As roupas, ainda em fase de experimental, renderam este editorial exclusivo para o Eva.

Na temporada recente em Fortaleza, onde já morou, a artista aproveitou para rever os amigos, parentes e, também, divulgar sua nova proposta. Segundo ela, até pouco tempo, este tipo de técnica não era permitida, pois as máquinas estampavam, no mínimo, três mil metros de tecido. “Esta quantidade era muito grande para mim, que pretendo trabalhar com peças únicas”, destaca.

Hoje, no entanto, com o avanço da tecnologia, Naza diz ter chegado o momento de colocar em prática um sonho antigo: criar moda. “Agora, posso estampar só um metro de tecido se eu quiser”, explica. Mas, é nas origens do Nordeste brasileiro que ela resgatou o crochê e o macramê, agregando mais valor às peças.

Suas pinturas são um misto de realismo com abstracionismo, sempre com o colorido tipicamente brasileiro. Elementos da fauna e da flora geralmente estão no trabalho da artista. O romantismo também surge em suas criações por meio de imagens suaves e delicadas, a exemplo da “Bailarina”. Esta tela é uma das estampas que virou vestido.

Na seleta lista de clientes, segundo Naza, figuram nomes como o do ex-presidente norte-americano Bill Clinton, Ivana Trump, Brigite Bardot, Emerson Fittipaldi e o rei Roberto Carlos. Suas telas custam, em média, US$ 8 mil. Já os retratos, variam de US$ 4 a 20 mil dólares. Um dos mais famosos é do campeão de Fómula 1, Ayrton Senna, que decora a Fundação Ayrton Senna. Enfim, quem não gostaria de possuir uma roupa com este valor artístico?

SERVIÇO: Informações: www.naza.com  e-mail: naza@naza.com - Modelo: Edcarla Stéphanie Martins. Produção: Franklei Charles.